Aquífero Guarani


O Aquífero Guarani ou Sistema Aquífero Guarani (SAG) representa a segunda maior fonte de água doce subterrânea do planeta e ocupa uma área de 1,2 milhões de km2.

Recebeu este nome em 1996, pois a região onde se encontra está associada ao território onde viviam parte dos índios guaranis.

Características

Com uma profundidade aproximada de 1500 metros, este grande reservatório de água subterrânea (volume aproximado de 45 mil km3) está localizado no sul da América do Sul.

Em tamanho, o Aquífero Guarani fica atrás somente do Aquífero Alter do Chão, na região norte do país.

Suas águas abrangem quatro países: Brasil (840.000 km2), Argentina (225.500 km2), Paraguai (71.700 km2) e Uruguai (58.500 km2).

Aquifero Guarani
Mapa da localização do Aquífero Guarani

Cerca de 2/3 da área do aquífero guarani está localizada na região centro-sudoeste do Brasil. Veja abaixo o tamanho do aquífero em cada estado brasileiro:

  • Goiás (55.000 km2)
  • Mato Grosso (26.400 km2)
  • Mato Grosso do Sul (213.200 km2)
  • Minas Gerais (51.300 km2)
  • São Paulo (155. 800 km2)
  • Paraná (131.300 km2)
  • Santa Catarina (49.200 km2)
  • Rio Grande do Sul (157.600 km2)

Importância

Os aquíferos possuem grande importância ambiental, pois eles mantêm o equilíbrio entre a quantidade de água subterrânea e superficial do planeta.

O Aquífero Guarani possui grande importância econômica e social, uma vez que abastece a região em que está inserido, colaborando assim com seu desenvolvimento.

O território em que está localizado abrange uma população aproximada de 15 milhões de habitantes e cerca de 200 cidades brasileiras que utilizam sua água para o abastecimento.

Formação

Aquifero Guarani
Estrutura de um aquífero assinalando as diferentes camadas geológicas

O Aquífero Guarani, constituído de sedimentos arenosos (arenito) e lavas de basalto, foi formado na Era Mesozoica (241 milhões a 65 milhões de anos atrás). Num aquífero, rocha e água forma parte da mesma estrutura.

Sua formação geológica, com rochas porosas e impermeáveis, contribuiu para a absorção e armazenamento de captação de água da chuva. Através das precipitações e dos rios, os aquíferos continuam a ter sua água reposta.

Problemas Ambientais

A poluição do local tem sido um dos maiores problemas enfrentados e discutidos pelos ambientalistas. Com a expansão da urbanização e da industrialização nas áreas do aquífero, a contaminação do solo tem afetado a qualidade da água.

A preservação dos solos é fundamental, pois cultivos como o eucalipto, deixam o solo impermeável e dificultam a passagem da água da chuva. Calcula-se que uma área plantada com estas árvores só deixam passar 9% das águas. Por outro lado, uma área de pasto permite a absorção de 26%.

Igualmente, se busca conscientizar a população local contra o desperdício de água.

Estudos recentes apontam para a importância de sua preservação, como o “Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani” (2003-2009), criado em parceria com os países em que o aquífero está presente.

Com a união e cooperação dos quatro países, esse projeto visa melhorar a gestão dos recursos hídricos bem como implementar ações de proteção ambiental nas áreas do aquífero.

O tema de preservação continua em pauta, de forma que em 2010 os quatro países firmaram um acordo para ampliar a cooperação dos interesses em comum.

Privatização

Em 2016 circulou uma notícia falsa que o Aquífero Guarani seria privatizado, pois estaria sendo vendido para grandes multinacionais de alimentos.

Em 2017 e 2018, o boato voltou a circular por conta da apresentação de um projeto de lei do senador Tasso Jereissati (PSDB/CE).

O projeto previa a negociação dos direitos de uso em caso de escassez, mantendo a prioridade para o consumo de pessoas e animais.

Esta proposição não previa a privatização da água, que é um recurso de propriedade do Estado brasileiro, bem como qualquer venda do aquífero ou de outra fonte de água.

Inclusive, as empresas envolvidas (Coca Cola e Nestlé) emitiram uma nota de esclarecimento sobre isso.

Cumpre dizer que o Aquífero Guarani está situado em quatro países e qualquer decisão terá que ser tomado conjuntamente sob o risco de afetar as relações entre eles.

Aquíferos Brasileiros

Além do Aquífero Guarani, no Brasil existem cerca de 25 aquíferos, dos quais se destacam:

  • Aquífero Alter do Chão
  • Aquífero Bauru
  • Aquífero Botucatu
  • Aquífero Serra Geral
  • Aquífero Cabeças
  • Aquífero Urucuia-Areado
  • Aquífero Furnas
  • Aquífero Karst
  • Aquífero Hamza
  • Aquífero Itapecuru

Leia mais: