Consequências da Segunda Guerra Mundial

Juliana Bezerra

A Segunda Guerra Mundial, ocorrida entre 1939 e 1945, deixou milhares de mortos, incontáveis feridos e redefiniu o equilíbrio de poder mundial.

As principais consequências deste conflito foram a ascensão dos Estados Unidos, a divisão do mundo entre capitalismo e socialismo e o surgimento da ONU.

No Brasil, verifica-se o fim do governo de Getúlio Vargas e a aproximação com os americanos.

Número de Vítimas

O conflito, de acordo com algumas estimativas, causou a morte de 45 milhões de pessoas e deixou 35 milhões de feridos. A maior quantidade de vítimas foi registrada na União Soviética com 20 milhões de mortos.

Na Polônia, calcula-se 6 milhões de baixas, enquanto a Alemanha contabiliza 5,5 milhões. Em decorrência do conflito morreram ainda 1,5 milhão de japoneses.

Além disso, a Segunda Guerra produziu um dos crimes mais atrozes contra a humanidade: o assassinato de 6 milhões de judeus em escala industrial.

A eliminação física deste povo fazia parte de um projeto de Adolf Hitler (1889-1945), conhecido como Solução Final. Para realizá-lo, os nazistas elaboraram um complexo sistema de extermínio em campos de concentração e de morte.

Consequências Econômicas da Segunda Guerra

Além das perdas humanas, o conflito custou 1 trilhão e 385 bilhões de dólares em perdas monetárias. Do montante, 21% coube aos Estados Unidos, 13% à União Soviética e 4% ao Japão.

Todos os 72 países envolvidos acumularam perdas em diferentes proporções. Houve intensa queda na produção industrial e os investimentos dos governos foram direcionados para a guerra, em detrimento de outras áreas, gerando intensos problemas sociais.

Se para a maioria dos países houve perda, para os Estados Unidos, a guerra resultou em fortalecimento de sua posição imperialista e econômica. Afinal, este país não foi atacado e, portanto, não foi preciso destinar recursos para sua reconstrução.

Consequências Geopolíticas da Segunda Guerra

Após a Segunda Guerra Mundial novos países surgiram e alguns tiveram suas fronteiras redesenhadas.

Mapa da Europa depois da Segunda Guerra
A Europa após 1945 era um continente dividido entre capitalistas e socialistas

A Áustria, que havia sido anexada pela Alemanha em 1938, ressurge como país independente.

Itália, Hungria, Bulgária, Romênia e Iugoslávia depõem a monarquia e a substituem pelo regime republicano.

Portugal e Espanha se isolam do sistema internacional até meados dos anos 50, por conta das ditaduras de Salazar e Franco, respectivamente.

Os países libertados pela União Soviética como a Polônia, Hungria e Tchecoslováquia passam à esfera de influência soviética; enquanto os demais países continuam com a social-democracia.

Alemanha

Após a guerra, a Alemanha teve que aceitar os quatro "Ds" impostos pelas potências aliadas: "desnazificação", desmilitarização, democratização, desarmamento.

Assim, alguns líderes nazistas foram julgados pelo Tribunal de Nuremberg. Destes, 12 foram sentenciados à morte.

Por outra parte, o país foi dividido em duas zonas de influência bem claras: a República Democrática Alemã (RDA), com um regime socialista, e a República Federal Alemã (RFA), que continuou a ser capitalista.

Igualmente, as Forças Armadas foram reduzidas e o país cedeu instalações para acolher tanto tropas americanas quanto soviéticas.

Japão

O Japão foi obrigado a reconhecer a independência da Coreia, devolver as ilhas Curilas à União Soviética e reduzir suas Forças Armadas.

O país teve as cidades de Hiroshima e Nagasaki destruídas por duas bombas atômicas lançadas pelos EUA e receberam 2,5 bilhões para sua reconstrução.

Guerra Fria

Durante o conflito, os EUA investiram aproximadamente US$ 300 bilhões, que foram recuperados com o incremento de 75% da indústria armamentista.

Os Estados Unidos também passaram à posição de credores dos países destruídos e em 1948 elaboraram o Plano Marshall. Este consistia numa ajuda financeira de US$ 38 bilhões a fim de recuperar as indústrias e cidades europeias.

O auxílio norte-americano, no entanto, foi recusado pela União Soviética, dando início ao processo que ficou conhecido como Guerra Fria.

A União Soviética estendeu sua influência aos países do leste europeu e continuaria a apoiar os movimentos que desejavam implantar o socialismo como regime de governo.

Consequências da Segunda Guerra no Brasil

Os soldados brasileiros que voltaram da guerra desfilam no Rio de Janeiro (1945)
Os soldados brasileiros que voltaram da guerra desfilam no Rio de Janeiro (1945)

No Brasil, a Segunda Guerra Mundial influenciou diretamente no fim do governo Vargas. Intelectuais, políticos de várias tendências, e parte da população questionam a contradição de mandar soldados para defender a democracia enquanto se vivia uma ditadura no Brasil.

Getúlio Vargas é deposto em 1945 através de um golpe articulado entre as Forças Armadas e conservadores. As eleições presidenciais acontecem no ano seguinte e dão vitória a Eurico Gaspar Dutra.

Por sua vez, a Força Expedicionária Brasileira é desmobilizada ainda na Europa, pois Vargas temia que este contingente se voltasse contra ele.

Igualmente, o Brasil continua alinhado política e culturalmente com os Estados Unidos, cuja aproximação se deveu através da política da Boa Vizinhança.

No entanto, pela sua participação no conflito, o Brasil é convidado a entrar na Organização das Nações Unidas (ONU).

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.