Corrente Elétrica


A corrente elétrica designa o movimento ordenado de cargas elétricas (partículas eletrizadas chamadas de íons ou elétrons) dentro de um sistema condutor.

Esse sistema apresenta uma diferença de potencial elétrico (ddp) ou tensão elétrica.

A corrente elétrica que transita nos resistores pode transformar energia elétrica em energia térmica (calor), num fenômeno conhecido como Efeito Joule.

A resistência de um fio condutor facilita ou dificulta a passagem da corrente elétrica, sendo calculada através da fórmula da Primeira Lei de Ohm (R=U/I).

Os aparelhos eletrônicos, pilhas e baterias, apresentam o polo negativo e o polo positivo. Isso explica a diferença de potencial (ddp) presente no circuito de cada um deles.

Observe que o sentido da corrente elétrica é caracterizado de duas maneiras. Uma delas é a “corrente elétrica real”, ou seja, aquela que possui o sentido do movimento dos elétrons.

A outra maneira é a “corrente elétrica convencional”, cujo sentido é contrário ao movimento dos elétrons e é marcada pelo movimento das cargas elétricas positivas.

No Sistema Internacional de Unidades (SI), a intensidade da corrente elétrica é medida em Ampère (A), a resistência em Ohm (Ω) e a tensão elétrica (ddp) é medida em Volts (V).

Leia também Efeito Joule e Leis de Kirchhoff.

Condutores Elétricos

Os condutores elétricos são materiais que permitem a movimentação dos elétrons, ou seja, a passagem da corrente elétrica. Um material é considerado um condutor elétrico dependendo da diferença de potencial ao qual ele está submetido.

Os melhores condutores elétricos são os metais, por outro lado, os materiais que dificultam a movimentação dos elétrons são chamados de isolantes. São exemplos madeira, plástico e papel.

Há três tipos de condutores:

  • Sólidos - caracterizado pelo movimento dos elétrons livres;
  • Líquidos - movimento de cargas positivas e negativas;
  • Gasosos - movimento de cátions e ânions.

Tipos de Corrente Elétrica

  • Corrente Contínua (CC): possui sentido e intensidade constantes, ou seja, apresenta diferença de potencial (ddp) contínua, gerada por pilhas e as baterias.
  • Corrente Alternada (CA): possui sentido e intensidade variados, ou seja, apresenta diferença de potencial (ddp) é alternada, gerada pelas usinas.

Tensão Elétrica

A tensão elétrica (∆V), também chamada de diferença de potencial (ddp), caracteriza a diferencial do potencial elétrico de dois pontos num condutor. É, portanto, a força decorrente da movimentação dos elétrons em determinado circuito.

No sistema Internacional (SI), a tensão elétrica é medida em Volts (V). Para calcular a tensão elétrica de um circuito elétrico, utiliza-se a expressão:

Corrente Elétrica

Onde,

U= Tensão elétrica (V)
Eel= Energia elétrica (kWh)
Q= Quantidade de carga eletrizada (C)

Intensidade da Corrente Elétrica

A intensidade da corrente elétrica, representada pela letra ‘i’, designa a quantidade de carga elétrica (Q) que atravessa um condutor em determinado intervalo de tempo (Δt).

No sistema internacional sua unidade de medida é o Ampère (A), sendo calculada através da seguinte expressão:

Corrente Elétrica

Onde,

I: intensidade da corrente (A)
Q: carga elétrica (C)
Δt: intervalo de tempo (s)

Energia Elétrica

A energia elétrica é produzida a partir do potencial elétrico de dois pontos de um condutor. Dessa forma, Para calcular a energia elétrica utiliza-se a equação:

Eel = P . ∆t

Onde:

Eel: energia elétrica (kWh)
P: potência (W)
∆t: variação do tempo (s)

Para saber mais:

Exercício resolvido

Pela secção de um condutor de eletricidade passam 15 Coulomb (C) a cada minuto. Qual a intensidade da corrente elétrica, em ampères (A), desse condutor?

Para resolver esse problema, basta utilizar a fórmula da intensidade elétrica:

I =Q/Δt
I = 15/60
I = 0,25 A

Logo, a intensidade da corrente elétrica desse condutor é de 0,25 A.

Rosimar Gouveia
Bacharelada em Meteorologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1992, Licenciada em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (UFF)em 2006 e Pós-Graduada em Ensino de Física pela Universidade Cruzeiro do Sul em 2011.