Desmossomos

Lana Magalhães

O desmossomo é um tipo de especialização da membrana plasmática. A sua função é manter as células unidas umas às outras.

O termo desmossomo deriva do grego desmos "ligação" e somatos "corpo".

As células do tecido epitelial unem-se através de especializações da membrana, chamadas de junções celulares. São exemplos: os desmossomos, os hemidesmossomos, as zonas de oclusão e as junções gap.

O desmossomo é uma importante junção celular de células epiteliais. Ao manter as células unidas entre si, o desmossomo oferece força mecânica e estabilidade ao tecido.

Onde os desmossomos são encontrados?

Os desmossomos são encontrados em vários pontos da superfície da membrana plasmática de células epiteliais da pele e do músculo cardíaco. Eles são visualizados como placas isoladas.

Desmossomos

As placas pretas são os desmossomos observados ao microscópio

Eles possuem o formato de uma placa circular e unem-se em outra estrutura idêntica na superfície da célula mais próxima. Podemos comparar os desmossomos a um botão de pressão, formado por duas metades complementares que se encaixam, uma em cada célula. Assim, ao unirem-se juntam células adjacentes.

Leia também sobre o Tecido Epitelial.

Como os desmossomos mantém as células unidas?

Um desmossomo é caracterizado por duas placas circulares de proteínas, uma em cada célula. De cada placa, partem filamentos de proteínas que atravessam a membrana plasmática e ocupam o espaço intercelular, onde se associam aos filamentos de proteínas da placa adjacente.

As junções entre as células adjacentes é mediado por proteínas transmembranas do grupo caderinas. A longa cadeia peptídica das caderinas projeta-se para o exterior da célula e prende-se às extremidades das caderinas da célula adjacente.

A associação dos filamentos é o que mantém as duas placas unidas, permitindo que as células estejam fortemente ligadas.

Além disso, as placas dos desmossomos são constituídas por proteínas (desmoplaquinas, placoglobinas), que atravessam as membranas e grudam as células na região de contato.

Enquanto isso, a parte da cadeia de caderina que volta-se para dentro da célula, liga-se aos filamentos intermediários, em vez de ligar-se com os filamentos de actina. Os desmossomos também estão ligados aos filamentos de outra proteína, a queratina. Isso permite o ancoramento do desmossomo a estrutura celular.

Os hemidesmossomos, assemelham-se aos desmossomos, porém possuem estrutura e função diferentes. Eles conectam a membrana plasmática das células epiteliais à lâmina basal adjacente, através dos filamentos de queratina. Nos hemidesmossomos não existem as caderinas, mas as proteínas integrinas.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.