Escola de Sagres

Juliana Bezerra

A Escola de Sagres teria sido uma instituição fundada pelo infante Dom Henrique, no século XV, com o fim de estimular as navegações portuguesas.

A existência da escola, contudo, é duvidosa e foi posta em xeque no século XIX e XX.

Antecedentes

A partir da Conquista de Ceuta, as navegações pelo Atlântico tornam-se parte da política do Estado português.

O Infante Dom Henrique, duque de Viseu, sem direito a herdar ao trono, mostra interesse pelas viagens marítimas.

Assim, solicitou ao seu irmão, o regente dom Pedro (1392-1449), autorização para fundar uma vila no Algarve, em 1443. Com isto, obteve o monopólio das viagens pelo Atlântico.

Estátua do Infante Dom Henrique, na cidade de Lagos
Estátua do Infante Dom Henrique, na cidade de Lagos

A carta de fundação, de 19 de setembro de 1460, aponta que o local seria usado como base para assistir os homens do mar que estavam de passagem.

Eles teriam acesso aos mantimentos e poderiam aguardar condições favoráveis à navegação para prosseguir seu caminho.

A Escola de Sagres não existiu como uma instituição tal como conhecemos hoje. No entanto, é inegável a atuação do infante Dom Henrique ao patrocinar várias expedições que avançarão pela costa africana até chegar as Índias.

Com a morte do Infante, em 1460, o seu sobrinho-neto e rei Dom João II (1455-1495) continuou a proteger os estudos náuticos.

A Construção do Mito

A “lenda” em torno a Escola de Sagres inicia já no século XVI, quando diversos cronistas louvam o desempenho de Dom Henrique.

Em 1660, o escritor português Dom Francisco Manoel (1608-1666), relata o esforço do Infante para fundar a vila, algo que logo foi transformado em "escola".

Entre as disciplinas ensinadas na Escola de Sagres estariam a astronomia, a geografia e a cartografia, ministradas por professores de toda a Europa. Contudo, não existem provas históricas da vinda dessas pessoas e nem que teriam lecionado ali.

O objetivo seria o preparo e ensino de técnica aos navegadores que prestavam serviço para o Infante.

Relatos posteriores e obras sobre a vida de Dom Henrique apoiam a existência da escola onde, inclusive, o navegador Cristóvão Colombo teria estudado.

Embora sem documentos que comprovassem se existiu ou não, a Escola de Sagres ficou registrada nas narrativas sobre os descobrimentos.

Desconstrução

Somente no século XIX, historiadores lusitanos refutaram a existência do local, considerando que a atividade náutica da época era regida por conhecimentos empíricos.

Por isso, não havia a necessidade de estudos profundos por parte dos marinheiros sobre técnicas de navegação.

Posteriormente, no século XX, a tese era de que escola era uma academia científica, o que também foi desconstruído.

Tendo existido ou não, a Escola de Sagres foi a motivadora para revolução náutica promovida pelos portugueses no século XV.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.