Gil Vicente

Daniela Diana

Gil vicente foi poeta e dramaturgo português, considerado o “Pai do Teatro Português”. Em Portugal, Gil Vicente foi a figura mais importante do humanismo literário.

Biografia

Gil Vicente

Gil Vicente nasceu em 1465 na cidade portuguesa de Guimarães. Estudou na Universidade de Salamanca, Espanha.

Primeiramente, casou-se com Branca Bezerra, com quem teve dois filhos. Após a morte de sua esposa, casou novamente com Melícia Rodrigues e com ela teve três filhos.

Seu primeiro trabalho foi o "Auto da Visitação", também chamado de "Monólogo do Vaqueiro".

Foi apresentado na presença do rei Dom Manuel e da rainha Dona Maria em 1502 na celebração do nascimento do príncipe que viria a ser o futuro D. João III. Além de ter escrito a peça baseada na adoração dos magos, também participou como ator.

Nos anos seguintes, organizou diversos eventos, festejos e celebrações da realeza sempre aproveitando para apresentar seus textos.

Assim, com grande aprovação do público e da Corte portuguesa, Gil Vicente passa a ser um nome reconhecido, escrevendo cada vez mais peças de teatro. Além de dramaturgo, foi também poeta.

Em 1511 foi nomeado vassalo do rei e mais tarde, mestre da balança da Casa da Moeda (1513). Faleceu por volta de 1536 em local desconhecido.

Obras

Gil Vicente escreveu poemas e obras de dramaturgia (autos e farsas), das quais merecem destaque:

  • Monólogo do Vaqueiro ou Auto da visitação
  • Auto Pastoril Castelhano
  • Auto dos Reis Magos
  • O Velho da Horta
  • Auto da Barca do Inferno
  • Auto da Barca do Purgatório
  • Auto da Barca do Paraíso
  • Auto da Sibila Cassandra
  • Auto da Festa
  • Auto da Índia
  • Farsa de Inês Pereira
  • Floresta de Enganos

Teatro de Gil Vicente

O teatro de Gil Vicente, chamado de Teatro Vicentino, teve origem em 1502 com a apresentação de seu texto “O Monólogo do Vaqueiro”. Suas peças, de caráter popular, possuem um forte teor satírico.

Nas obras mais emblemáticas, ele critica os costumes da sociedade portuguesa, tecendo um fiel retrato de sua época. Além do caráter satírico, o conteúdo das obras apresentava um teor moralizante, repleto de humor.

Saiba mais sobre o Teatro Vicentino.

Humanismo

O humanismo foi um movimento literário de transição entre o trovadorismo e o classicismo. Ele marcou o fim da Idade Média e o início da Idade Moderna.

Em Portugal, o humanismo literário tem como marco inicial a nomeação de Fernão Lopes para cronista-mor da Torre do Tombo, em 1418. Esse movimento terminou em 1527, com a chegada do poeta Sá de Miranda da Itália, dando início ao classicismo.

O humanismo está inserido no contexto do Renascimento, movimento artístico, filosófico e cultural que teve início no século XV na Itália.

As principais características do humanismo são: o antropocentrismo (homem no centro do mundo), a valorização do ser-humano, a racionalidade e o cientificismo.

Os trabalhos produzidos nesse período envolvem o teatro, a prosa e a poesia. Na prosa destaca-se a prosa historiográfica e os escritos de Fernão Lopes.

No teatro popular temos as obras de Gil Vicente. Já na poesia, elas eram recitadas nos palácios, e por isso são chamadas de "poesia palaciana". Nessa categoria, merece destaque o escritor Garcia de Resende.

Saiba tudo sobre o Humanismo nos artigos:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.