Gravidez


Gravidez ou gestação é todo o período de crescimento e desenvolvimento do embrião dentro da mulher.

Para que ela aconteça, é necessário que o gameta feminino (óvulo) seja fecundado pelo gameta masculino (espermatozoide), dando origem ao ovo ou zigoto.

Após várias mitoses, o zigoto transforma-se no embrião e se implanta na parede do útero, processo conhecido como nidação. A gravidez tem início a partir da nidação e termina com o nascimento do bebê.

O tempo de gestação normal é de 40 semanas ou 9 meses, contados a partir da última menstruação. Quando o bebê nasce antes da data esperada, é chamado de prematuro.

Semanas de Gravidez

GravidezEsquema mostrando em que período fetal se desenvolvem os órgãos.

As 40 semanas de gravidez são divididas em 3 semestres. Após a oitava semana de gestação, o bebê deixa de ser considerado embrião e passa a ser chamado de feto. É durante o 1º trimestre que todos os seus órgãos importantes de desenvolvem.

A partir da 4ª semana de gestação começam a surgir sintomas comuns no início da gravidez como náuseas, vômitos, cansaço, dores nos seios e aumento de volume das mamas. Esses sintomas são provocados pelo hormônio Gonadotrofina Coriônica, que é produzido pelo embrião.

Perto da 7ª semana de gravidez, um tampão de muco irá se desenvolver no colo uterino para impedir o contato do útero com o meio externo e dar mais proteção ao bebê.

No segundo trimestre, o feto cresce rapidamente e já apresenta uma aparência humana reconhecível. O ritmo cardíaco e a pressão sanguínea da mulher aumentam para suprir as necessidades do feto.

No terceiro e último trimestre, os órgãos do bebê amadurecem e aumentam as chances de sobrevivência do feto.

Hormônios e Gravidez

Quando o embrião é implantado na parede do útero, ele passa a produzir a gonadotrofina coriônica, um hormônio que impede que as taxas de estrógeno e progesterona diminuam.

Com isso, a menstruação não acontece, sendo este um dos primeiros sinais de gravidez.

Os testes de gravidez de farmácia detectam a presença de gonadotrofina coriônica na urina.

Vilosidades Coriônicas

São projeções que recobrem a superfície da bolsa amniótica e penetram no útero. Ao seu redor formam-se lacunas, por onde circula o sangue materno.

Assim ocorrem as trocas gasosas entre o sangue do embrião, que circula nas vilosidades, e o sangue materno, que circula nas lacunas.

Placenta

A maior parte das vilosidades coriônicas regridem a partir do segundo mês de gravidez, exceto na área em que a penetração das vilosidades no útero é mais profunda, originando a placenta.

A comunicação do embrião com a placenta se dá através do cordão umbilical.

Para saber tudo sobre a Reprodução Humana, leia também: