Liquefação ou Condensação

Rosimar Gouveia

Condensação é a mudança do estado gasoso para o estado líquido. Também chamada de liquefação, é o processo inverso da vaporização. Para que o vapor sofra condensação é necessário que ocorra ou uma redução na sua temperatura ou um aumento na pressão a que está submetido.

Uma substância no estado gasoso não apresenta nem forma, nem volume definidos, ocupando todo o espaço do volume que a contém. Neste estado é facilmente comprimida.

Os átomos e moléculas que constituem a substância estão bem separados uns dos outros e praticamente não existe força de coesão entre suas partículas.

Quando o vapor perde calor latente, a vibração e a energia interna diminuem. Essa redução faz com que a substância perca as características próprias do estado gasoso e comece a mudar para o estado líquido.

O processo de condensação também pode ocorrer pelo aumento da pressão exercida sobre o vapor. Reduzindo o espaço entre as partículas, a força de coesão aumenta e a substância começa a se condensar.

Um exemplo de condensação são as gotículas de água que se formam na parte externa de um copo que contenha algum líquido bem gelado ou gelo.

O vapor de água presente no ar condensa ao entrar em contato com a superfície fria do copo, fazendo com que o mesmo fique todo molhado.

Condensação
Copo molhado pela condensação da água

Liquefação fracionada

A liquefação fracionada é o processo que consiste na separação de gases de uma mistura homogênea.

O método consiste no resfriamento ou na compressão dos gases que compõem a mistura até que estes passem para o estado líquido.

A mistura líquida e homogênea resultante da condensação é colocada em uma coluna de destilação. Ali, a mistura sofrerá o processo de destilação fracionada, ou seja, separação por calor.

Na coluna de destilação as substâncias que compõem a mistura serão submetidas a áreas com diferentes temperaturas. Como cada uma possui distintos pontos de ebulição, vão mudando de fase em momentos diferentes. Desta forma, conseguimos separar a mistura.

Leia também: Separação de Misturas e Ebulição.

Condensação na Atmosfera

A quantidade de vapor de água na atmosfera é variável, sendo um fator decisivo no ciclo da água e na regulação da temperatura no planeta.

Existem vários índices que indicam o grau de umidade na atmosfera. O mais conhecido é a umidade relativa do ar. Esse índice representa o quanto falta a atmosfera para ficar saturada. Assim, a atmosfera está saturada quando a umidade relativa é igual a 100%.

O vapor de água presente na atmosfera pode sofrer sucessivas mudanças de estado. Podendo se condensar ao atingir camadas mais elevadas e com temperaturas menores.

As minúsculas gotas originadas dessa condensação, quando se aglutinam em torno de núcleos de condensação (partículas microscópicas de poeira, fumaça e sal em suspensão na atmosfera), formam as nuvens.

Desta maneira, as nuvens são compostas basicamente de gotas na forma líquida (camadas mais baixas) ou pequenos cristais de gelo (camadas mais altas).

Nuvens
As nuvens resultam da condensação do vapor d'água

Quando o vapor se condensa próximo ao solo, dá origem os nevoeiros e quando se deposita sobre superfícies frias forma o orvalho.

Fique sabendo ainda mais sobre como estes processos acontecem na natureza lendo o Ciclo da Água.

Mudanças de Fase

A condensação é um dos cinco processos de transformação da matéria. Os outros quatro processos são:

No diagrama abaixo, representamos os três estados físicos da matéria e as respectivas mudanças de fase:

Liquefação ou Condensação

Para saber mais, leia também:

Confira questões de vestibulares com gabarito comentado em: exercícios sobre separação de misturas.

Rosimar Gouveia
Rosimar Gouveia
Bacharel em Meteorologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1992, Licenciada em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2006 e Pós-Graduada em Ensino de Física pela Universidade Cruzeiro do Sul em 2011.