LSD


O LSD ou dietilamida ácido lisérgico é uma substância alucinógena sintetizada em laboratório, reconhecida por ser uma das mais potentes.

Define-se como alucinógeno qualquer substância capaz de provocar alucinações. O LSD é uma droga de uso proibido, a qual diferencia-se por não possui cor, cheiro ou sabor e é solúvel em água.

Ele é produzido em laboratório, a partir da substância ergotina, obtida do fungo Claviceps purpurea, o qual se desenvolve no centeio.

Efeitos do LSD no organismo

LSD
O LSD provoca alucinação e confusões nos sentidos

O LSD é consumido via oral e de forma menos frequente pode ser injetado ou inalado. Pequenas quantidades são suficientes para que os seus efeitos sejam observados. Para se ter ideia, com apenas 100 microgramas da substância os efeitos já são percebidos e podem durar até 12 horas.

Os efeitos do LSD podem ser sentidos após 30 minutos do consumo e consistem em alterações físicas e psíquicas no organismo, dos quais destacam-se:

  • Aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial;
  • Insônia;
  • Tremedeira;
  • Pupilas dilatadas;
  • Alucinações;
  • Confusão mental;
  • Ataques de pânico;
  • Euforia;
  • Tontura;
  • Falta de apetite;
  • Perda da noção de espaço e do corpo;
  • Aumento da sensibilidade dos sentidos.

Enquanto alguns usuários de LSD possam se sentir eufóricos e ter boas sensações, para outros os efeitos não são tão agradáveis, o que é chamado de "viagem errada". Nesse caso, podem acontecer ataques de pânicos e crises depressivas.

Em geral, o LSD não causa dependência, mas efeitos a longo prazo podem surgir, a exemplo da esquizofrenia.

Saiba mais, leia também:

Origem do LSD

O LSD foi descoberto pelo químico suíço Albert Hofmann (1906-2008), em 16 de abril de 1943, enquanto pesquisava compostos para ajudar a problemas relacionados à circulação do sangue.

Hofmann resolveu ingerir uma dose da nova substância que havia descoberto e sofreu alucinações, mas também uma agradável sensação de bem-estar.

Albert Hoffman e LSD
Albert Hofmann segura uma reprodução da molécula do LSD

Diante dos resultados, o laboratório para o qual Hofmann trabalhava decide prosseguir as investigações. Enviam a nova substância para psiquiatras, a fim de conhecer os seus efeitos em pacientes que sofriam transtornos psicóticos.

No entanto, a CIA e o exército americano enxergam outra utilidade para a droga. Como o LSD deixa o ser humano vulnerável, pensava-se poderia ser útil para extrair segredos de inimigos durante interrogatórios.

Da mesma forma, os militares americanos utilizam a droga em seus próprios soldados, especialmente durante a Guerra do Vietnã, onde as condições de batalhas eram extremamente duras.

O LSD foi muito popular entre os jovens nos anos 60 e 70, pelos seus efeitos psicodélicos, que proporcionavam alívio e escape no meio das guerras que ocorriam naquela época. Foi utilizada por vários artistas e inspirou criações em todos os âmbitos artísticos.

Leia mais

Curiosidades sobre o LSD

  • O LSD também é conhecido como doce, ácido, papel, vidraça ou microponto.
  • Existem estudos que investigam o uso do LSD para tratar a esquizofrenia.
  • Os maiores consumidores de LSD são adolescentes de classe média e alta.
  • Como o LSD deixa o ser humano vulnerável, pensava-se que ele poderia ser útil para extrair segredos de inimigos durante interrogatórios.