Drogas

As Drogas, também chamadas de entorpecentes, são substâncias que modificam as funções do organismo, bem como o comportamento das pessoas.

Podem ser ingeridas, injetadas, inaladas ou absorvidas pela pele. Quanto ao seu efeito no corpo, são classificadas de três maneiras:

  • Tranquilizadoras ou Depressoras: álcool, solventes, inalantes, cola de sapateiro, loló, lança-perfume, maconha, tranquilizantes e remédios para dormir
  • Perturbadoras: os alucinógenos: cogumelos, LSD, etc.
  • Estimuladoras: crack, anfetamina, ecstasy, cocaína).

Drogas Lícitas

Chamadas de drogas “leves”, as drogas lícitas são drogas permitidas por lei, compradas de maneira livre, por isso, seu comércio é legal. Nessa categoria incluem-se o tabaco, o álcool e os medicamentos.

Que tal ler Bebidas Alcoólicas?

Drogas Ilícitas

A comercialização das drogas ilícitas é proibida por lei, uma vez que são consideradas drogas mais “pesadas”, ou seja, que causam maior dependência em seus usuários. São elas: maconha, cocaína, heroína, o ecstasy, o crack, a heroína, etc.

Tipos de Drogas

  1. Naturais: As drogas naturais provêm de plantas, são elas: Maconha (Cannabis sativa), ópio (flor da Papoula), cafeína (Xantina), nicotina (tabaco), cogumelos (Psilocibina), Chá ayahusaka (dimetiltriptamina).
  2. Sintéticas: As drogas sintéticas são produzidas em laboratórios, são elas:anfetaminas, ecstasy, LSD, lança perfume, barbitúricos, heroína, cocaína, crack, oxi, merla, morfina.

Dependência Química

As drogas causam uma doença chamada de dependência química. Esse é um problema que, tendencialmente, surge na adolescência - período conturbado em virtude da transição para a vida adulta.

Além da integridade física, a toxicodependência afeta o campo psicológico. A dependência é progressiva - em virtude do desejo de consumir mais para obter, supostamente, maior satisfação - e é incurável, sendo amenizada através de tratamento continuado.

História das Drogas

Desde muito tempo as drogas fazem parte da vida humana. Descoberto no norte do Irã, um jarro de cerâmica com resíduos de vinho é considerada a mais antiga ocorrência de droga, datada aproximadamente de 5400-5000 a.C..

Nas antigas civilizações, muitas plantas que possuíam efeitos psicoativos eram utilizadas nos rituais religiosos. Segundo estudos, os chineses são, provavelmente, um dos primeiros povos a utilizar a maconha (4000 a.C.) enquanto os sumérios, o primeiro povo a utilizar o ópio (3500 a.C.) conhecida por eles como a “flor do prazer”.

Acredita-se que o ser humano começou a utilizar drogas naturais observando o comportamento dos animais que consumiam determinadas plantas. Curiosos, os homens provavam e, por meio dos efeitos, acreditavam que essas plantas tinha um caráter divino e assim, os nativos passaram a venerá-la.

Além disso, durante muito tempo as drogas foram consideradas remédios, por exemplo, a papoula, planta do ópio, conhecida há mais de oito mil anos, indicada por Hipócrates, o pai da medicina, para a cura de diversas doenças.

Da mesma maneira, a cocaína, surgida na Europa em 1806, foi recomendada, através dos experimentos de Sigmund Freud, como remédio para problemas digestivos, asma, entre outros.

A partir do século XX que começaram a surgir proibições globais ao uso de drogas. O primeiro país a realizar um luta contra as drogas foi os Estados Unidos, em 1948.

Por conseguinte, no ano de 1961, após uma convenção da ONU, mais de 100 países começaram a proibir e distinguir os entorpecentes entre: drogas “leves” e drogas “pesadas”. Segundo estudos, há cerca de 340 milhões de usuários de drogas no planeta.