Poesia Intimista


A poesia intimista (ou introspectiva) é uma classificação dada aos poemas que possuem um caráter mais íntimo, ou seja, o qual expõe as emoções e sentimentos do autor, do eu lírico ou das personagens envolvidas.

Trata-se de uma tendência explorada sobretudo pelos escritores modernistas, ainda que seja notório sua existência em outras escolas literárias, por exemplo, no simbolismo.

Principais Características

  • Exploração da alma humana
  • Introspecção, emoção e reflexão
  • Sensibilidade e musicalidade
  • Conflitos pessoais do indivíduo
  • Valorização do psicológico
  • Questões espirituais e metafísicas
  • Universo onírico (sonho)
  • Exploração do consciente e inconsciente

Literatura Intimista no Brasil

No Brasil, muitos escritores modernos adotaram a literatura intimista seja na prosa ou na poesia. Sem dúvida, na literatura intimista produzida no Brasil, merecem destaque as escritoras modernistas Clarice Lispector e Cecília Meireles.

Ambas produziram obras em prosa e poesia e, além delas, outros escritores brasileiros se dedicaram a essa tendência, a saber: Lya Luft, Lygia Fagundes Telles, Fernando Sabino, dentre outros.

Poesia Intimista de Cecília Meireles

Cecilia Meireles é uma das mais importantes representantes da poesia intimista no Brasil. Em sua obra, composta de poesias, contos, crônicas e literatura infantil, podemos observar características do simbolismo e do modernismo.

Desse modo, Cecília revela maior preocupação em compreender a alma humana, mesclando o sonho, a realidade e a fantasia.

Assim, produziu diversas obras poéticas numa linguagem simples, lírica, mística, filosófica e notadamente com forte visão e sensibilidade feminina. Sua poesia é, por vezes, questionadora e melancólica, ao revelar aspectos do interior do ser humano.

Exemplos de Poesia Intimista

Para compreender melhor a poesia intimista, segue abaixo duas poesias de Cecília Meireles:

Romantismo

Quem tivesse um amor, nesta noite de lua,
para pensar um belo pensamento
e pousá-lo no vento!

Quem tivesse um amor – longe, certo e impossível –
para se ver chorando, e gostar de chorar.
e adormecer de lágrimas e luar!

Quem tivesse um amor, e, entre o mar e as estrelas,
partisse por nuvens, dormente e acordado,
levitando apenas, pelo amor levado...

Quem tivesse um amor, sem dúvida nem mácula,
sem antes nem depois: verdade e alegoria...
Ah! Quem tivesse... (Mas, quem teve? quem teria?)

Nem Tudo é Fácil

É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas...
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o...
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga...
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida... Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,
realidade!!!

Para complementar sua pesquisa veja também os artigos: