Proterozoico


O éon Proterozoico é a mais nova das duas divisões do tempo Pré-cambriano, o mais velho é o Arqueano. O Proterozoico estendeu-se de 2.500 a 541 milhões de anos atrás.

Características

  • Os continentes estavam unidos em uma massa denominada Rodínea
  • Intensa atividade das placas tectônicas
  • Aparecimento de animais multicelulares marinhos
  • Mudança da composição química da atmosfera com aumento da oferta de oxigênio
  • Organismos primitivos ganham capacidade de fazer fotossíntese

Eras Proterozoicas

É dividido em três eras geológicas: Paleoproterozoico (registrado de 2,5 a 1,6 bilhão de anos atrás), Mesoproterozoico (de 1,6 bilhão de anos a 1 bilhão de anos atrás) e Neoproterozoico (de 1 bilhão de anos a 542 milhões de anos atrás).

Vida

Durante o Proterozoico, a atmosfera e os oceanos mudaram significativamente, aumentando a atividade biológica em consequência do acúmulo de oxigênio. Como houve aumento da oferta de oxigênio, ocorrem os primeiros registros de organismos com a capacidade de realizar fotossíntese.

É nesse período que surgem organismos eucariontes, além de algas verdes e vermelhas sobre a face do planeta. São organismos com capacidade de reprodução separada, mas com possibilidade de repasse do código genético para novas gerações. Os organismos, nessa fase da Terra, viviam em margens de águas rasas continentais.

Durante o Proterozoico, a superfície terrestre estava unida em um conjunto continental denominado Rodínia, que foi dividido posteriormente de maneira gradativa em consequência da forte atividade das placas tectônicas.

Antes do Proterozoico, o magma próximo à superfície era mais quente e menos viscoso e permitia o movimento mais livre das placas tectônicas. Essa condição muda consideravelmente.

Saiba mais: Eras Geológicas.