Solo arenoso: o que é, características e principais tipos

Vinícius Marques
Vinícius Marques
Professor de Geografia

O Solo Arenoso, chamado também de "solo leve", é um tipo de solo muito presente na região nordeste do Brasil. Ele é predominantemente composto por areia, apresentando uma textura granulada e solta.

Este solo possui uma textura leve, sendo composto, em grande parte, por areia (70%) e, em menor parte, por argila (15%).

Solo Arenoso

O solo arenoso possui características como boa drenagem, o que facilita a passagem da água, e uma eficiente circulação de ar. Devido à sua capacidade reduzida de reter água, esse tipo de solo tende a secar rapidamente e aquece mais rapidamente em climas frios.

Entretanto, apresenta limitações na retenção de nutrientes, sendo menos adequado para plantas que demandam uma disponibilidade estável de substâncias nutritivas.

Construções em terrenos de solo arenoso próximos aos lençóis freáticos podem resultar em rachaduras devido às características principais desse solo: ser poroso e permeável.

É interessante observar que estradas construídas em terrenos de solo arenoso não geram poeira durante a época seca e não ficam atoladas na temporada de chuvas.

Em contrapartida, em terrenos com solo argiloso, os grãos de areia se aglutinam, tornando as estradas sem pavimentação lamacentas na época das chuvas e com solo rígido durante a estação seca.

Principais Características do Solo Arenoso

As principais características desse tipo de solo são:

  • Consistência granulosa (grãos grossos, médios e finos)
  • Alta porosidade e permeabilidade
  • Pouca umidade
  • Seca rapidamente
  • Pobre em nutrientes e água
  • Deficiência em cálcio
  • pH ácido e baixo teor de matéria orgânica
  • Presença de grandes poros (macroporos) entre os grãos de areia
  • Dificulta a sobrevivência de plantas e organismos
  • Altamente suscetíveis à erosão

Solos Arenosos no Brasil

Os solos arenosos no Brasil estão presentes em diversas regiões, sendo notadamente encontrados em áreas como o Cerrado, Caatinga, e em algumas regiões litorâneas.

Esses solos tendem a secar rapidamente devido à sua capacidade reduzida de reter água, sendo também mais propensos a aquecer rapidamente em climas mais frios.

No entanto, essa característica implica em limitações significativas quanto à retenção de nutrientes, tornando-os menos propícios para plantas que necessitam de uma disponibilidade estável de substâncias nutritivas.

Do ponto de vista econômico, solos arenosos podem impactar construções próximas a lençóis freáticos, pois sua porosidade e permeabilidade podem resultar em rachaduras nas estruturas.

Por outro lado, estradas construídas em terrenos de solo arenoso não geram poeira durante períodos secos e evitam atolamentos na temporada de chuvas, o que pode ser relevante para o planejamento de infraestruturas locais.

Esses solos são utilizados em diversas práticas agrícolas, embora apresentem desafios específicos. Sua boa drenagem é vantajosa para culturas que não toleram excesso de umidade, como algumas variedades de frutas e hortaliças.

No entanto, a capacidade limitada de retenção de nutrientes exige estratégias adicionais, como o uso de fertilizantes e práticas de manejo específicas.

Nas regiões de cerrado, por exemplo, onde solos arenosos são predominantes, a agricultura tem se desenvolvido com o cultivo de importantes commodities como a soja e o milho.

O manejo sustentável dessas áreas muitas vezes requer técnicas específicas para garantir a fertilidade do solo ao longo do tempo.

Tipos de Solos Arenosos

1. Arenossolos Quartzarênicos:

  • São solos arenosos com predominância de partículas de quartzo.
  • Geralmente encontrados em regiões de clima tropical e subtropical.

2. Neossolos Quartzarênicos:

  • Similar aos Arenossolos, mas com menos horizontes bem definidos.
  • Podem ser encontrados em áreas recentemente formadas, como dunas.

3. Podzólicos Arenosos:

  • São solos arenosos caracterizados por apresentarem horizontes ácidos e lixiviados.
  • Encontrados em climas frios e úmidos, especialmente em florestas temperadas.

4. Plintossolos:

  • Solos arenosos com camadas endurecidas (plintitas) abaixo da superfície.
  • Comuns em regiões tropicais.

5. Espodossolos Arenosos:

  • Solos arenosos que desenvolveram horizontes subsuperficiais ricos em alumínio e ferro.
  • Encontrados em áreas com elevada precipitação pluviométrica.

6. Latossolos Arenosos:

  • Solos arenosos com horizontes bem diferenciados, especialmente em relação ao acúmulo de argila.
  • Comuns em regiões tropicais e subtropicais.

7. Cambissolos:

  • Solos com horizontes ricos em argila abaixo da superfície.
  • Podem ser encontrados em diferentes climas.

8. Gleissolos:

  • Solos arenosos que têm horizontes superficiais de cores escuras devido ao acúmulo de matéria orgânica.
  • Encontrados em áreas sujeitas a inundações.

Medidas para Utilização dos Solos Arenosos

Para a utilização sustentável deste solo na agricultura, faz-se necessário a adoção de práticas de conservação. Podemos citar de exemplo o cuidado do solo por meio de técnicas de manejo, utilização do sistema de plantio direto, rotação de culturas, adubação verde (adubo orgânico), dentre outros.

Visto que esse tipo de solo apresenta grande porosidade e, consequentemente, perigo de erosão, especialistas apontam para a importância da rotação de culturas.

No tocante à pobreza de nutrientes dos solos arenosos, é indicado a aplicação de resíduos vegetais e adubos orgânicos (bagaço de frutas e estercos de animais) com fosfato e potássio.

Já para a acidez do solo, recomenda-se a adição de calcário, elemento básico responsável por aumentar seu pH.

Para saber tudo sobre os solos leia também os textos:

Vinícius Marques
Vinícius Marques
Formado pela UNESP - Rio Claro (2016), é professor de Geografia e Ciências Humanas. Atua na educação básica (Ensino Fundamental II e Médio) e cursos pré-vestibular desde 2012, tendo experiência em projetos sociais, escolas públicas e privadas.