Características do Simbolismo

Daniela Diana

As características do simbolismo envolvem sobretudo, os aspectos místicos, espirituais, intuitivos e transcendentais da literatura simbolista.

Os escritores simbolistas buscavam compreender diversos aspectos da alma humana, compondo obras que exaltassem a realidade subjetiva.

De tal modo, é notório nas obras simbolistas a fuga da realidade, característica manifestada por uma linguagem expressiva, imprecisa e vaga.

Oposto ao realismo e naturalismo, a subjetividade do escritor simbolista propõe a valorização do “eu”, da imaginação e da realidade subjetiva, em detrimento das descrições da realidade objetiva e de questões sociais, abordadas nos movimentos anteriores.

Assim, o simbolismo vem negar a lógica e a razão que, anteriormente foi bem explorada por artistas realistas, naturalistas e parnasianos.

Principais Características

  • Oposição ao racionalismo, materialismo e cientificismo
  • Negação dos valores do realismo e naturalismo
  • Misticismo, religiosidade e sublimação
  • Mistério, fantasia e sensualismo
  • Subjetivismo e individualismo
  • Linguagem fluida e musical
  • Aproximação da poesia e da música
  • Universo onírico e transcendental
  • Valorização da espiritualidade humana
  • Exploração do consciente e inconsciente
  • Combinações sonoras e sensoriais
  • Uso de figuras de linguagem

Origem do Simbolismo

Vale lembrar que o Simbolismo foi um movimento artístico que surgiu na França em fins do século XIX, sendo manifestado nas artes plásticas, no teatro e na literatura.

No final do século XIX, muitas transformações científicas e teóricas como o positivismo, materialismo e nas áreas da psicologia, mudou profundamente a mentalidade da sociedade europeia.

No entanto, essa mudança foi, em grande parte, negativa para os escritores simbolistas que priorizavam sobretudo, a exploração dos aspectos humanos. Foi, portanto, em meio à crise espiritual do final do século que surge o simbolismo.

Movimento de oposição ao realismo e naturalismo, o simbolismo teve como marco inicial a publicação da obra “As Flores do Mal” (1857) do escritor francês Charles Baudelaire (1821-1867).

Na França, merecem destaque os escritores Paul Verlaine (1844-1896), Arthur Rimbaud (1854-1891) e Stéphane Mallarmé (1842-1898).

Nas artes plásticas, os artistas simbolistas mais proeminentes foram os franceses Paul Gauguin (1848-1903), Gustave Moreau (1826-1898) e Bertrand-Jean Redon (1840-1916).

Já no teatro simbolista podemos citar o dramaturgo belga Maurice Maeterlinck (1862-1949) e o dramaturgo italiano Gabriele d'Annunzio (1863-1938.)

Para saber mais sobre o tema, veja também os artigos:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.