Ciclanos

Carolina Batista
Escrito por Carolina Batista
Professora de Química

Os ciclanos, também denominados cicloalcanos ou cicloparafinas, são hidrocarbonetos cíclicos com ligações simples entre carbonos. Representam o composto que resulta da retirada de dois átomos de hidrogênio de um alcano para formar um ciclo, que corresponde a uma cadeia fechada com átomos de carbono e hidrogênio.

A fórmula geral dos ciclanos é CnH2n, onde n corresponde a um número inteiro que identifica os átomos do elemento no composto. Observe que o número de hidrogênios é dobro do número de carbonos. Suas propriedades são semelhantes às dos alcanos.

Os ciclanos são obtidos a partir do petróleo e na indústria química são transformados em produtos para cabelo, solventes, removedores de tinta, vernizes e o náilon.

Nomenclatura e exemplos de ciclanos

Para obter o nome dos compostos ciclanos é preciso acrescentar o prefixo ciclo- no alcano correspondente. A regra é a seguinte:

prefixo + quantidade de carbonos + tipo de ligação + terminação do grupo hidrocarboneto.

Quando o composto apresenta mais de um radical, é necessária a enumeração da cadeia.

Entre os exemplos de hidrocarbonetos ciclanos estão o ciclopropano, ciclobutano, ciclopentano e o cicloexano. Esses dois últimos componentes são considerados bastante instáveis.

Ciclanos
Ciclopropano
Ciclanos
Ciclobutano
Ciclanos
Ciclopentano
Ciclanos
Cicloexano

Os ciclanos são hidrocarbonetos cíclicos. Além deles, fazem parte dessa classe os cliclenos, com ligação dupla entre carbonos, e os hidrocarbonetos aromáticos, que apresentam ligações duplas alternadas na estrutura.

Saiba mais sobre os hidrocarbonetos.

Características dos ciclanos

  • Todos os compostos dos ciclanos têm hibridação sp3
  • Apresentam uma ligação simples
  • São hidrocarbonetos saturados
  • Têm reatividade química semelhante à dos alcanos
  • São obtidos a partir da síntese de Wurtz a que são submetidos os derivados di-halogenados
  • São instáveis quando submetidos a elevada pressão

Você também pode se interessar por:

Atualizado em
Carolina Batista
Escrito por Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).