Estrangeirismo

Daniela Diana

O Estrangeirismo é um vício de linguagem que corresponde a utilização de palavras estrangeiras.

Algumas vezes, esses termos são incorporados ao léxico do idioma (dicionários), dependendo de sua utilização pelos falantes da língua.

Para muitos estudiosos da área, o uso demasiado de palavras estrangeiras causa um problema de descaracterização da língua, enquanto outros acreditam que esse processo é natural, uma vez que língua está o tempo todo se modificando.

A inclusão de palavras estrangeiras no vocabulário pode ocorrer por motivos históricos, sociais, políticos, econômicos, culturais, dentre outros.

Um exemplo disso, é a expansão da tecnologia, o que levou ao surgimento de diversos novos termos no vocabulário da língua portuguesa, sobretudo, provenientes da língua inglesa.

Estrangeirismo na Língua Portuguesa

A língua portuguesa conta com um grande número de palavras estrangeiras, sobretudo, de origem inglesa (denominada “anglicismo”). Isso porque a língua inglesa é muito influente, sendo considerada a língua mundial dos negócios.

Importante lembrar que a maioria dos vocábulos da língua portuguesa são de origem latina, grega, árabe, espanhola, italiana, francesa ou inglesa.

Palavras como hot-dog (cachorro quente), show (espetáculo), bacon (toucinho), mouse (computador) são palavras estrangeiras em que não ocorreu o "aportuguesamento".

Entretanto, há termos em que o processo de aportuguesamento é notório, ou seja, a adaptação das palavras para o português, por exemplo:

  • futebol (do inglês football)
  • basquetebol (do inglês basketball)
  • abajur (do francês abat-jour)
  • sutiã (do francês sutien)
  • batom (do francês bâton)
  • bege (do francês beige)
  • bife (do inglês beef)
  • esporte (do inglês sport)

Exemplo de Estrangeirismo

O “Samba do Approach”, dos compositores Zeca Pagodinho e Zeca Baleiro, é um exemplo da presença do estrangeirismo na nossa língua.

A canção está repleta de palavras da língua inglesa (anglicismo) e algumas da língua francesa (galicismo):

Venha provar meu brunch
Saiba que eu tenho approach
Na hora do lunch
Eu ando de ferryboat...

Eu tenho savoir-faire
Meu temperamento é light
Minha casa é hi-tech
Toda hora rola um insight
Já fui fã do Jethro Tull
Hoje me amarro no Slash
Minha vida agora é cool
Meu passado é que foi trash...

Fica ligado no link
Que eu vou confessar my love
Depois do décimo drink
Só um bom e velho engov
Eu tirei o meu green card
E fui prá Miami Beach
Posso não ser pop-star
Mas já sou um noveau-riche...

Eu tenho sex-appeal
Saca só meu background
Veloz como Damon Hill
Tenaz como Fittipaldi
Não dispenso um happy end
Quero jogar no dream team
De dia um macho man
E de noite, drag queen...

Glossário

Segue abaixo um glossário das palavras estrangeiras utilizadas na composição "Samba do Approuch":

  • Brunch: café da manhã reforçado
  • Approach: aproximação, abordagem
  • Lunch: almoço
  • Ferryboat: balsa, barco de passagem
  • Savoir-Faire: do francês "saber fazer", habilidade, esperteza
  • Light: tradução é luz, entretanto, na música está utilizada no sentido conotativo: suave
  • Hi-tech: alta tecnologia
  • Insight: esclarecimento
  • Cool: legal, divertido
  • Trash: coisa sem valor, lixo, escória
  • Link: endereço eletrônico
  • My Love: meu amor
  • Drink: bebida
  • Green Card: passaporte americano
  • Miami Beach: Praia de Miami
  • Pop Star: pessoa famosa
  • Noveau Riche: em francês “novo rico”
  • Sex-appeal: atraente, do ponto de vista sexual
  • Background: fundo, fundamento
  • Happy End: final feliz
  • Dream Team: seleção americana de basquete
  • Man: homem
  • Drag Queen: homem que se veste de mulher
Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.