Exercícios de Orações Subordinadas Substantivas

Márcia Fernandes

O Toda Matéria traz para vocês os melhores exercícios sobre orações subordinadas substantivas que já caíram no vestibular. E então, aceita o desafio?

Teste seus conhecimentos e confira as respostas. Elas estão todas comentadas, para que não reste nenhuma dúvida sobre o tema. Bom trabalho!

1. (PUC-SP) Assinale a alternativa cuja oração subordinada é substantiva predicativa.

a) Espero que venhas hoje.
b) O aluno que trabalha é bom.
c) Meu desejo é que te formes logo.
d) És tão inteligente como teu pai.
e) n. d. a.

Alternativa c: Meu desejo é que te formes logo.

A oração subordinada substantiva predicativa atua como predicativo do sujeito. É importante recordar que o predicativo do sujeito caracteriza ou complementa o sujeito e é sempre acompanhado de um verbo de ligação, neste caso, "é (meu desejo é)".

Quanto às alternativas restantes:

a) Espero que venhas hoje. (oração subordinada substantiva objetiva direta)
b) O aluno que trabalha é bom. (oração subordinada adjetiva restritiva)
d) És tão inteligente como teu pai. (oração subordinada adverbial comparativa)

2. (PUC-SP) "Pode-se dizer que a tarefa é puramente formal.”
No texto acima temos uma oração destacada que é ________e um "se" que é . ________.

a) substantiva objetiva direta, partícula apassivadora
b) substantiva predicativa, índice de indeterminação do sujeito
c) relativa, pronome reflexivo
d) substantiva subjetiva, partícula apassivadora
e) adverbial consecutiva, índice de indeterminação do sujeito

Alternativa b: substantiva predicativa, índice de indeterminação do sujeito.

A oração destacada é classificada como subordinada substantiva predicativa, porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de predicativo do sujeito, que é atribuir uma qualidade ao sujeito.

Quanto à partícula "se", está servindo para indeterminar o sujeito, que não pode ser identificado.

3. (UEMG)

“De repente chegou o dia dos meus setenta anos.

Fiquei entre surpresa e divertida, setenta, eu? Mas tudo parece ter sido ontem! No século em que a maioria quer ter vinte anos (trinta a gente ainda aguenta), eu estava fazendo setenta. Pior: duvidando disso, pois ainda escutava em mim as risadas da menina que queria correr nas lajes do pátio quando chovia, que pescava lambaris com o pai no laguinho, que chorava em filme do Gordo e Magro, quando a mãe a levava à matinê. (Eu chorava alto com pena dos dois, a mãe ficava furiosa.)

A menina que levava castigo na escola porque ria fora de hora, porque se distraía olhando o céu e nuvens pela janela em lugar de prestar atenção, porque devagarinho empurrava o estojo de lápis até a beira da mesa, e deixava cair com estrondo sabendo que os meninos, mais que as meninas, se botariam de quatro catando lápis, canetas, borracha – as tediosas regras de ordem e quietude seriam rompidas mais uma vez.

Fazendo a toda hora perguntas loucas, ela aborrecia os professores e divertia a turma: apenas porque não queria ser diferente, queria ser amada, queria ser natural, não queria que soubessem que ela, doze anos, além de histórias em quadrinhos e novelinhas açucaradas, lia teatro grego – sem entender – e achava emocionante.

(E até do futuro namorado, aos quinze anos, esconderia isso.)

O meu aniversário: primeiro pensei numa grande celebração, eu que sou avessa a badalações e gosto de grupos bem pequenos. Mas pensei, setenta vale a pena! Afinal já é bastante tempo! Logo me dei conta de que hoje setenta é quase banal, muita gente com oitenta ainda está ativo e presente.

Decidi apenas reunir filhos e amigos mais chegados (tarefa difícil, escolher), e deixar aquela festona para outra década.”

LUFT, 2014, p.104-105

Leia atentamente a oração destacada no período a seguir:

“(...) pois ainda escutava em mim as risadas da menina que queria correr nas lajes do pátio (...)”

Assinale a alternativa em que a oração em negrito e sublinhada apresenta a mesma classificação sintática da destacada acima.

a) “A menina que levava castigo na escola porque ria fora de hora (...)”
b) “(...) e deixava cair com estrondo sabendo que os meninos, mais que as meninas, se botariam de quatro catando lápis, canetas, borracha (...)”
c) “(...) não queria que soubessem que ela (...)”
d) “Logo me dei conta de que hoje setenta é quase banal (...)"

Alternativa a: “A menina que levava castigo na escola porque ria fora de hora (...)”

As duas orações são classificadas como oração subordinada substantiva objetiva direta.

4. (FCE-SP) "Os homens sempre se esquecem de que somos todos mortais." A oração destacada é:

a) substantiva completiva nominal
b) substantiva objetiva indireta
c) substantiva predicativa
d) substantiva objetiva direta
e) substantiva subjetiva

Alternativa b: substantiva objetiva indireta.

A oração é classificada como oração subordinada substantiva objetiva indireta, porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de objeto indireto (Do que os homens se esquecem? "De que somos todos mortais" - atenção à preposição "de").

5. (PUC-SP) Em relação ao trecho "... e no fim declarou-me que eu tinha medo de que você me esquecesse", as orações destacadas são, respectivamente:

a) subordinada substantiva objetiva indireta, subordinada substantiva objetiva direta
b) subordinada substantiva predicativa, subordinada substantiva objetiva direta
c) subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva completiva nominal
d) subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva objetiva indireta
e) subordinada substantiva subjetiva, subordinada substantiva predicativa

Alternativa c: subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva completiva nominal.

A oração "que eu tinha medo" é classificada como oração subordinada substantiva objetiva direta porque ela completa o sentido da oração principal "e no fim declarou-me", afinal quem declara, declara algo.

A oração "de que você me esquecesse" é classificada como oração subordinada substantiva completiva nominal porque tem valor de complemento nominal. Ela completa a oração principal dando sentido ao nome, que, neste caso, é "medo". Acresce que as completivas nominais são sempre introduzidas por preposição.

6. (PUC-SP) Em "Considerei, por fim, que assim é o amor..." a oração destacada tem, em relação à oração não destacada:

a) valor de adjetivo e função sintática de predicativo do sujeito.
b) valor de advérbio e função sintática de adjunto adverbial de modo.
c) valor de substantivo e função sintática de objeto direto.
d) valor de substantivo e função sintática de sujeito.
e) valor de adjetivo e função sintática de adjunto adnominal.

Alternativa c: valor de substantivo e função sintática de objeto direto.

A oração é subordinada. Existem três tipos de orações subordinadas - substantivas, adjetivas e adverbiais - cada qual com o nome de acordo com a função que exerce.

Neste caso, temos uma oração subordinada substantiva porque "que assim é o amor" tem o papel de substantivo. Acresce que ela é objetiva direta porque completa o sentido da oração principal "considerei" e quem considera, considera algo.

7. (UFV-MG) As orações subordinadas substantivas que aparecem nos períodos abaixo são todas subjetivas, exceto:

a) Decidiu-se que o petróleo subiria de preço.
b) É muito bom que o homem, vez por outra, reflita sobre sua vida.
c) Ignoras quanto custou meu relógio?
d) Perguntou-se ao diretor quando seríamos recebidos.
e) Convinha-nos que você estivesse presente à reunião.

Alternativa c: Ignoras quanto custou meu relógio?

A oração subordinada substantiva subjetiva exerce a função de sujeito da oração principal. No caso da alternativa c) o sujeito pode ser reconhecido na oração principal através da desinência verbal do verbo "ignoras", ou seja, o "s" no final indica que se trata da 2.ª pessoa do singular, tu ignoras.

8. (UEL-PR) "Ninguém mais acreditava que ainda houvesse meios de salvá-lo."

Há, no período acima:

a) três orações subordinadas.
b) uma oração principal e uma subordinada.
c) uma oração subordinada reduzida.
d) uma oração subordinada subjetiva.
c) uma oração subordinada objetiva indireta.

Alternativa b: uma oração principal e uma subordinada.

As orações dependem sintaticamente. Assim, temos um período composto por uma oração principal "Ninguém mais acreditava" e por uma oração subordinada "que ainda houvesse meios de salvá-lo".

Essa oração subordinada é classificada como substantiva objetiva direta, porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de objeto direto, que é completar o sentido do verbo (Houvesse o quê? Meios de salvá-lo).

9. (FCMSC-SP) A palavra "se" é conjunção subordinativa integrante (introduzindo oração subordinada substantiva objetiva direta) em qual das orações seguintes?

a) Ele se morria de ciúmes pelo patrão.
b) A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo.
c) O aluno fez-se passar por doutor.
d) Precisa-se de pedreiros.
e) Não sei se o vinho está bom.

Alternativa e: Não sei se o vinho está bom.

A oração "se o vinho está bom" é classificada como uma subordinada substantiva objetiva direta porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de objeto direto, que é completar o sentido do verbo (Não sei o quê? Se o vinho está bom).

Quanto à partícula "se" nas alternativas restantes :

a) Ele se morria de ciúmes pelo patrão. (realce estilístico)
b) A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo. (partícula apassivadora)
c) O aluno fez-se passar por doutor. (partícula apassivadora)
d) Precisa-se de pedreiros. (indeterminante do sujeito)

10. (PUC-SP) Nos trechos "... não é impossível que a notícia da morte me deixasse alguma tranquilidade, alívio e um ou dois minutos de prazer" e "Digo-vos que as lágrimas eram verdadeiras". A palavra "que" está introduzindo, respectivamente, orações:

a) subordinada substantiva subjetiva, subordinada substantiva objetiva direta
b) subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva objetiva direta
c) subordinada substantiva subjetiva, subordinada substantiva subjetiva
d) subordinada substantiva completiva nominal, subordinada adjetiva explicativa
e) subordinada adjetiva explicativa, subordinada substantiva predicativa

Alternativa a: subordinada substantiva subjetiva, subordinada substantiva objetiva direta.

A oração "... que a notícia..." é classificada como oração subordinada substantiva subjetiva porque ela exerce o papel de sujeito da oração principal "não é impossível".

A oração "que as lágrimas eram verdadeiras" é classificada como oração subordinada substantiva objetiva direta porque ela completa o sentido da oração principal "digo-vos", afinal quem diz, diz algo.

11. (PUC-SP) Assinale a o período em que a oração destacada é substantiva apositiva.

a) Não me disseram onde moravas.
b) A rua onde moras é muito movimentada.
c) Só me interessa saber uma coisa: onde moras.
d) Morarei onde moras.
e) n.d.a.

Alternativa c: Só me interessa saber uma coisa: onde moras.

A oração subordinada substantiva apositiva atua como aposto. É importante recordar que o aposto exemplifica ou especifica algo, neste caso, está sendo especificado que o sujeito quer saber (onde moras).

12. (UFPA) Qual o período em que há oração subordinada substantiva predicativa?

a) Meu desejo é que você passe nos exames vestibulares.
b) Sou favorável a que o aprovem.
c) Desejo-te isto: que sejas feliz.
d) O aluno que estuda consegue superar as dificuldades do vestibular.
e) Lembre-se de que tudo passa neste mundo.

Alternativa a: Meu desejo é que você passe nos exames vestibulares.

A oração é classificada como subordinada substantiva predicativa, porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de predicativo do sujeito, que é atribuir uma qualidade ao sujeito.

13. (UFMG) Na frase "Maria do Carmo tinha a certeza de que estava para ser mãe", a oração em destaque é:

a) subordinada substantiva objetiva indireta
b) subordinada substantiva completiva nominal
c) subordinada substantiva predicativa
d) coordenada sindética conclusiva
e) coordenada sindética explicativa

Alternativa b: subordinada substantiva completiva nominal.

A oração destacada completa o sentido de um nome (certeza), por isso, trata-se de uma oração subordinada substantiva completiva nominal.

14. (FGV-SP) A oração sublinhada funciona como sujeito do verbo da oração principal em:

a) Não queria que José fizesse nenhum mal ao garoto.
b) Não interessa se o trem solta fumaça ou não.
c) As principais ações dependiam de que os componentes do grupo tomassem a iniciativa.
d) Era uma vez um sapo que não comia moscas.
e) Nossas esperanças eram que a viatura pudesse voltar a tempo de sair atrás do bandido.

Alternativa b: Não interessa se o trem solta fumaça ou não.

As restantes orações têm a seguinte função:

a) Objeto direto. A oração "que José fizesse nenhum mal ao garoto" é oração subordinada substantiva objetiva direta.
c) Objeto indireto. A oração "de que os componentes do grupo tomassem a iniciativa" é oração subordinada substantiva objetiva indireta.
d) Adjetivo. A oração "que não comia moscas" é oração subordinada adjetiva.
e) Predicativo. A oração "que a viatura pudesse voltar a tempo de sair atrás do bandido" é oração subordinada substantiva predicativa.

15. (PUC-Campinas) A alternativa em que se encontra uma oração subordinada objetiva direta iniciada com a conjunção SE é:

a) Só obteremos a aprovação se tivermos encaminhado corretamente os papéis.
b) Haverá racionamento de água em todo o país, se persistir a seca.
c) Falava como se fosse especialista no assunto.
d) Se um deles entrasse, todos exigiriam entrar também.
e) Queria saber dos irmãos se alguém tinha alguma coisa contra o rapaz.

Alternativa e: Queria saber dos irmãos se alguém tinha alguma coisa contra o rapaz.

As orações restantes exprimem condição, como é o caso das alternativas a), b) e d), que são classificadas como orações subordinadas adverbiais condicionais.

A alternativa c), por sua vez, exprime comparação, por isso é uma oração subordinada adverbial comparativa.

16. (FEI-SP) "Estou seguro de que a sabedoria dos legisladores saberá encontrar meios para realizar semelhante medida." A oração em destaque é substantiva:

a) objetiva indireta
b) completiva nominal
c) objetiva direta
d) subjetiva
e) apositiva

Alternativa b: completiva nominal.

A oração subordinada substantiva completiva nominal tem função de complemento nominal, ou seja, completar o sentido de um nome que, neste caso, é a palavra "seguro". Assim, essa oração responde à questão "estou seguro de quê?".

17. (FESP) "Lembro-me de que ele só usava camisas brancas." A oração em destaque é:

a) substantiva completiva nominal
b) substantiva objetiva indireta
c) substantiva predicativa
d) substantiva subjetiva
e) n.d.a.

Alternativa b: substantiva objetiva indireta.

A oração subordinada substantiva objetiva indireta tem função de objeto indireto, ou seja, completar o sentido de um verbo que, neste caso, é "lembrar". Assim, essa oração responde à questão "lembro-me de quê?".

18. (UFSCar-SP) Marque a opção que contém oração subordinada substantiva completiva nominal.

a) "Era preciso que ninguém desconfiasse do nosso conluio para prendermos o Pedro Barqueiro."
b) "Tanto eu como Pascoal tínhamos medo de que o patrão topasse Pedro Barqueiro nas ruas da cidade."
c) "Para encurtar a história, patrãozinho, achamos Pedro Barqueiro no rancho, que só tinha três divisões: a sala, o quarto dele e a cozinha."
d) "Quando chegamos, Pedro estava no terreiro debulhando milho, que havia colhido em sua rocinha, ali perto."
e) "Pascoal me fez um sinalzinho, eu dei a volta e entrei pela porta do fundo para agarrar o Barqueiro pelas costas."

Alternativa b: "Tanto eu como Pascoal tínhamos medo de que o patrão topasse Pedro Barqueiro nas ruas da cidade."

A oração subordinada substantiva completiva nominal tem função de complemento nominal, ou seja, completar o sentido de um nome que, neste caso, é a palavra "medo". Assim, essa oração responde à questão "tínhamos medo de quê?".

Quanto às restantes orações:

a) Oração subordinada substantiva subjetiva.
c) Oração subordinada adjetiva explicativa.
d) Oração subordinada adjetiva restritiva.
e) Orações coordenadas.

19. (UEPG-PR) Sobre o período "Não é possível que o senhor não ame, e que, amando, julgue um sentimento de tal grandeza incômodo", estão corretas as afirmações:

01) As duas orações introduzidas pela palavra "que" exercem, em relação à principal, uma função substantiva de sujeito.
02) Dentre as duas orações reduzidas, uma tem valor causal.
04) A palavra "que", nas duas orações subordinadas que introduz, é pronome relativo.
08) As duas orações introduzidas pela palavra "que" relacionam-se entre si por meio do processo de coordenação.
16) Dentre as quatro orações constituintes, uma tem a forma reduzida.

O resultado é 21, pois as alternativas corretas são:

01) As duas orações introduzidas pela palavra "que" exercem, em relação à principal, uma função substantiva de sujeito.
04) A palavra "que", nas duas orações subordinadas que introduz, é pronome relativo.
16) Dentre as quatro orações constituintes, uma tem a forma reduzida.

Quanto às afirmações restantes:

02) Dentre as duas orações reduzidas, uma tem valor causal.
Há apenas uma oração reduzida: "e que, amando".

08) As duas orações introduzidas pela palavra "que" relacionam-se entre si por meio do processo de coordenação.
As orações são subordinadas e não coordenadas.

20. (Fatec) Considerando como conjunção integrante aquela que inicia uma oração subordinada substantiva, indique em qual das opções nenhum "se" tem esta função:

a) Se subiu, ninguém sabe, ninguém viu.
b) Comenta-se que ele se feria de propósito.
c) Se vai ou fica é o que eu gostaria de saber.
d) Saberia me dizer se ele já foi?
e) n.d.a

Alternativa b: Comenta-se que ele se feria de propósito.

Neste caso, "se" tem a função de índice de indeterminação do sujeito.

As orações restantes exprimem condição, como é o caso das alternativas a), c) e d), que são classificadas como orações subordinadas adverbiais condicionais.

21. (UFAM) Assinale a opção em que o período é composto por coordenação e subordinação:

a) Não faças a outrem o que não queres que te façam.
b) Quem mais grita é quem menos tem razão.
c) Comentam que ele não ata nem desata.
d) Ou fazes bem os deveres ou serás reprovado.
e) Por valente que seja, há de sentir algum medo.

Alternativa c: Comentam que ele não ata nem desata.

1.ª oração: "Comentam" (oração coordenada).
2.ª oração: "que ele não ata nem desata" (oração subordinada).

As restantes alternativas contem apenas orações subordinadas, uma vez que as orações relacionam-se entre si.

22. (Mackenzie) Assinale o período em que a oração destacada exerce a função de complemento nominal.

a) Estou certa de que você nunca me compreenderá.
b) Nunca precisei de que você defendesse os meus interesses.
c) De tanto gritar, você acabará rouca.
d) Informei-a de que já conquistei novas amizades.
e) Lembre-se de que, com esse gênio, você ficará sozinha.

Alternativa a: Estou certa de que você nunca me compreenderá.

A oração "de que você nunca me compreenderá" é classificada como oração subordinada substantiva completiva nominal porque tem valor de complemento nominal.

Ela completa a oração principal dando sentido ao nome, que, neste caso, é "certa". Acresce que as completivas nominais são sempre introduzidas por preposição.

23. (UEPG) Em "É possível que comunicassem sobre políticos", a segunda oração é:

a) subordinada substantiva subjetiva
b) subordinada adverbial predicativa
c) subordinada substantiva predicativa
d) principal
e) subordinada substantiva objetiva direta

Alternativa a: subordinada substantiva subjetiva.

A oração "que comunicassem sobre políticos" tem a função de sujeito da oração principal.

Quanto às restantes alternativas:

b) As orações subordinadas adverbiais são classificadas em: causais, consecutivas, condicionais, concessivas, comparativas, conformativas, finais, proporcionais e temporais.
c) A oração subordinada substantiva predicativa tem a função de predicativo do sujeito.
d) "É possível" é a oração principal. Seu sentido é completado com a segunda oração "que comunicassem sobre políticos".
e) A oração subordinada substantiva objetiva direta tem a função de objeto direto.

24. (Unama)

Morte do leiteiro

Há pouco leite no país,
é preciso entregá-lo cedo.
Há muita sede no país,
é preciso entregá-lo cedo.
Há no país uma legenda,
que ladrão se mata com tiro.

(Rosa do povo – Carlos Drummond de Andrade)

A oração subordinada do verso é preciso entregá-lo cedo estabelece a seguinte relação sintática:

a) completa o sentido do verbo precisar.
b) predica o verbo ser.
c) modifica o sentido do adjetivo leite, especificando-o.
d) relaciona-se com o predicado “é preciso”, na função de sujeito.

Alternativa d: relaciona-se com o predicado “é preciso”, na função de sujeito.

Pelo fato de ter a função de sujeito, esta é uma oração subordinada substantiva subjetiva.

25. (UFV) Assinale a alternativa em que a oração destacada tem a função sintática de objeto direto:

a) "É possível que haja festa."
b) "Foi ventilado que ele se demitiria."
c) "Alberico afirmou que eram três."
d) "Emociona-o que todos estejam presentes."
e) "Parece que a enchente foi catastrófica."

Alternativa c: "Alberico afirmou que eram três."

Essa oração subordinada é classificada como substantiva objetiva direta, porque além de desempenhar papel de substantivo, também exerce a função de objeto direto, que é completar o sentido do verbo (Afirmou o quê? Que eram três).

Continue estudando sobre o tema:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.