Família Contemporânea

Juliana Bezerra

A família contemporânea se caracteriza pela multiplicidade de arranjos entre pessoas adultas e filhos.

No século XXI, novos tipos de família estão sendo reconhecidos jurídica e socialmente, tais quais a família monoparental ou a homoafetiva.

Tipos de Família

Imagem de estúdio de uma família estendida no final do século XIX
Imagem de estúdio de uma família estendida no final do século XIX

No mundo ocidental, o modelo familiar romano foi se espalhando por toda Europa.

Assim, perdurou durante a Antiguidade a noção de família constituída por um homem e uma mulher que geravam filhos biológicos ou que adotavam quando não os tinham.

O Cristianismo consagrou este modelo elevando o matrimônio à condição indispensável para gerar filhos que pudessem receber um nome e aceder à herança familiar.

A Modernidade e o Iluminismo vão reforçar o ideal do amor romântico herdado da Idade Média. Deste modo, começa a se valorizar a família nuclear e o amor materno incondicional.

Com as reivindicações sociais experimentadas durante todo o século XX, esta instituição sofrerá diversas mudanças.

Desde a quebra de tabu dos casais divorciados, passando pela discussão se casais do mesmo sexo podem adotar crianças, a família contemporânea se caracteriza pela multiplicidade de tipologias.

Vejamos alguns exemplos de família contemporânea:

Família Nuclear

A família nuclear é definida por dois adultos, homem e mulher, com filhos biológicos ou não. Nesta composição não estão incluídos os demais parentes como avós, tios e primos.

Família reconstituída ou recomposta

A família reconstituída também é chamada de recomposta por alguns autores.

Trata-se de uma família que é formada por dois adultos e filhos que nem sempre são os filhos biológicos deste casal.

Assim, esta família inclui os filhos biológicos de um dos pais e possivelmente, os filhos biológicos (ou não) destes adultos que se uniram.

Família monoparental

Formada apenas por um adulto, seja o pai ou a mãe, que tem a cargo filhos menores de idade.

Família homoparental ou homoafetiva

casal homoafetivo e suas filhas

Composta por dois adultos do mesmo sexo e que possuem filhos biológicos ou não.

Família inter-racial e família intercultural

Com a imigração e as facilidades de transporte, há mais oportunidade de conhecer pessoas fora do seu grupo cultural e étnico.

Desta maneira, surgem casais de culturas diferentes, que terão filhos biológicos ou não, e que serão educados entre costumes e, às vezes, idiomas distintos.

Família no Brasil

'A Família', de Tarsila Amaral
"A Família", de Tarsila Amaral

Como em todo mundo ocidental, a família brasileira também passa por mudanças em sua configuração.

A maior escolarização da mulher, a entrada destas no mercado de trabalho e a queda do número de filhos, alteraram os arranjos familiares.

A família brasileira se caracterizava pela união do homem e mulher. No entanto, no período colonial, não são poucos os casos de mancebia, de filhos gerados por mulheres negras escravizadas ou índias e, ainda, das mães que tiveram que cuidar sozinhas de sua prole.

No século XXI, a reivindicação pelos direitos das comunidades LGBT e a visibilidade alcançada pelos pais e mães que criam seus filhos sozinhos, fizeram o Poder Público dar novas respostas às demandas da família brasileira.

Observe alguns números da família brasileira segundo as estatísticas do IBGE de 2015:

Taxa de fecundidade por mulher1,9
Famílias monoparentais15,7%
Mães solteiras26,8%
Pais solteiros3,6%.
Casais homoafetivos60 mil*
Casais sem filhos20,2%

*Não há dados oficiais, mas calcula-se que 20% dos casais homoafetivos tenham filhos no Brasil.

Origem da Família

A união entre adultos para procriar se observa em todas as culturas do mundo.

No entanto, nem todas as sociedades humanas encaram este arranjo da mesma forma. Há culturas que admitem apenas um casal, outras que permitem o homem ter mais de uma esposa.

Por outro lado, há costumes que ditam que a mãe de um dos cônjuges deve viver na mesma casa e outras que fazem a mulher abandonar sua família para formar outra.

As formações são múltiplas e se adaptaram conforme o contexto histórico no qual estiveram inseridos.

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.