Guernica de Pablo Picasso

Daniela Diana

Guernica é uma obra do pintor espanhol e cubista Pablo Picasso. Ela retrata a cidade de Guernica durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

Guernica de Pablo Picasso

Trata-se de uma das obras mais emblemáticas do artista e que fora produzida em 1937. Atualmente, a tela está em exposição no “Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia”, em Madrid, Espanha.

A obra faz uma forte crítica ao fascismo alemão e foi criada para a Exposição Internacional de Paris. Isso porque na altura do ocorrido, Pablo Picasso estava vivendo na França. O artista já estava trabalhando em outra obra para expor no evento.

Entretanto, o ataque a Guernica lhe afetou tanto, que ele decidiu mudar de ideia, e assim, surgiu uma das obras mais destacadas da história da arte mundial.

Guernica e a Guerra Civil Espanhola

A cidade de Guernica está localizada no norte da Espanha, no país Basco. Ela foi bombardeada dia 26 de abril de 1937, mediante um ataque aéreo alemão.

Com cerca de 6 mil habitantes, estima-se que 200 pessoas morreram e muitas ficaram feridas.

Aliado às ideias nazi-fascistas o General espanhol Franco permitiu que os nazistas testassem armas na região. Isso porque a cidade abrigou algumas tropas inimigas do ditador espanhol.

Guernica cidade

Ruínas na cidade de Guernica após o bombardeio

Análise da Obra

Guernica é um grande mural que mede 349,3 cm por 776,6 cm. Nela, Picasso utilizou a técnica de óleo sobre tela.

Além disso, a partir de diversas imagens ele utilizou a técnica cubista da colagem. A ideia era criar uma sobreposição de planos.

Por meio de fotos divulgadas nos jornais da época, Picasso teve a ideia de retratar o horror da cidade de Guernica quando esta foi bombardeada pelos alemães.

Portanto, a obra possui um caráter político ao mesmo tempo que atenta para o poder de destruição da guerra.

Com características notadamente cubistas (perceptível pelas formas geométricas utilizadas), a atmosfera criada pelo artista denota os horrores da guerra e suas terríveis consequências.

Nas figuras presentes podemos notar o desespero e os gritos de horror. No chão, temos um soldado morto e ao seu lado uma mulher com uma perna ferida.

Na esquerda do quadro, uma mulher grita e chora a morte de seu bebê. E, do outro lado, temos outra mulher em meio às chamas.

Por fim, no centro da figura e mais acima, uma mulher segura um lampião, o que denota a ideia de iluminar os horrores dessa cena.

Além de pessoas, podemos ver construções e alguns animais (touro e cavalo), ambos símbolos da cultura espanhola.

Uma outra importante característica está em relação à escolha das cores. Ou seja, Picasso produziu uma obra monocromática ao escolher tons como o cinza, o preto e o branco.

Certamente o artista optou por essas cores para enfatizar o drama existente numa cena dessas.

A verdade é que Picasso ficou muito horrorizado com as imagens que viu e resolveu retratar Guernica em seu mais frágil momento. A ideia era mostrar para o mundo as atrocidades da Guerra e suas mais tristes consequências.

Quando um oficial nazista pergunta à Picasso se foi ele quem fez a obra, ele responde: "Não, foram vocês".

Leia também:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.