Judaísmo

Juliana Bezerra

O Judaísmo foi a primeira religião monoteísta da história da humanidade (mais de três mil anos).

Apesar de ser a menor em número de fiéis (cerca de 15 milhões, maior parte desses na América do Norte e Israel), é uma das grandes religiões abraâmicas, junto com o cristianismo e islamismo.

Judaísmo é uma palavra de origem grega (Iudaïsmós) para o topônimo "Judá".

Segundo a tradição judaica, Deus teria realizado um pacto com os hebreus, tornando-os o povo eleito que irá desfrutar da terra prometida.

Esse pacto se deu com Abraão e sua descendência e se fortaleceu com a revelação das Leis divinas à Moisés, no Monte Sinai.

Portanto, o judeu é indiretamente um membro da tribo de Judá, um dos doze filhos de Jacó e patriarca fundador de umas das doze tribos de Israel.

De igual modo, a religião judaica é basicamente de caráter familiar. É nesse núcleo social que ela se preserva e se difunde, tendo em vista o caráter não messiânico do judaísmo.

A sinagoga, o templo judaico, cumpre a função de reunir os fiéis para a prática de leituras dos textos sagrados, sob a orientação de um sacerdote. Ele é chamado Rabino e não possui necessariamente um status social diferenciado que lhe dê privilégios.

Apesar da existência de tribunais para a lei judaica, a autoridade religiosa recai sobre os textos sagrados, dos quais o "Torá" é o mais importante.

Sua autoria é atribuída à Moisés e narra a "Origem do Mundo", além de trazer os "Mandamentos e Leis Divinas".

Por outro lado, vale citar que o judaísmo não é uma religião homogênea; a grosso modo, podemos dividi-lo em:

  • Ortodoxos: que consideram o Torá como fonte imutável do saber divino, mas não seguem as leis rigidamente.
  • Ultra-ortodoxos: que possuem tradições que seguem estritamente as leis sagradas.
  • Conservadores: que têm atitudes e interpretações moderadas e de caráter reformista.

Conheça mais nossa categoria de Religião.

Práticas e Costumes do Judaísmo

O idioma litúrgico é o hebraico, com o qual se dirigem à entidade absoluta do judaísmo, Javé ou Jeová, criador onipotente, onisciente, onipresente de tudo o que existe.

Alguns dos sacramentos judaicos são:

  • a Circuncisão (Brit milá), realizadas nos recém nascidos do sexo masculino;
  • o Rito de Passagem à Maioridade (B'nai Mitzvá);
  • o Casamento e o Luto (Shiv'á).

Dentre as datas mais importantes, destaca-se a Páscoa, quando se comemora a libertação do povo judeu no Egito (1300 a.C.); os Sábados (Sabat) são dias especiais na religião judaica, pois são reservados à espiritualidade.

História do Judaísmo

O judaísmo começou quando Abraão foi ordenado por Deus a abandonar o politeísmo e migrar para Canaã (Palestina), em meados de 1800 a.C.

De seu neto, Jacó, surgem os doze filhos fundadores das doze tribos que constituíram o povo judeu, o qual é escravizado no Egito, até serem libertados por Moisés, em 1300 a.C.

Mais adiante, sob o reinado de Salomão, filho de Davi, surgem o reino de Israel e o reino de Judá. Esses reinos irão sucumbir ao império babilônico e, no século I, aos romanos.

Será em 1948, após o Holocausto que matou milhões de judeus durante a II Guerra Mundial, que o judaísmo irá se fortalecer novamente, com a criação do estado de Israel, o qual perdura até os dias de hoje.

Curiosidades

  • O maior pecado no judaísmo é a idolatria.
  • O conhecimento místico do judaísmo é chamado "Cabala".
  • O judaísmo considera “judeu” todos que nasceram de mãe judia, além dos que foram convertidos.
  • Os chapéus utilizados nas sinagogas é chamado de “Kipá” e representa o respeito a Deus.
  • O judaísmo não é uma religião missionária, portanto, não busca a conversão de pessoas, como o cristianismo.

Leia mais sobre:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.