Protocolo de Montreal


O Protocolo de Montreal é um acordo internacional assinado em 1987 com objetivo de reduzir a emissão de produtos que causam danos à camada de ozônio. Inicialmente, 40 países aderiram ao acordo, que já conta com 200 nações signatárias.

Objetivos

  • Reduzir a emissão de CFCs em 80% entre 1996 e 1994
  • Reduzir os níveis em 50% entre 1986 e 1999
  • Eliminar a fabricação e o uso dos CFCs
  • Plena recuperação da camada de ozônio até 2065
  • Eliminar a fabricação e o uso dos tetracloreto de carbono, tricloroetano, hidrofluorocarbonetos, hidroclorofluocarbonetos, hidrobromoflurocarbonetos e o brometo de metila.

Resumo

O compromisso coletivo ocorreu após pesquisas realizadas nos anos 70 comprovarem que a emissão de gases denominados CFCs (clorofluocarbonos) reduziam a atividade das moléculas de ozônio da atmosfera. Os componentes eram usados como base em aerossóis.

Os estudos dos químicos norte-americanos F. Sherwoork Rowland e Mario Molina apontaram que os CFCs, quando combinados com a radiação emitida pelo Sol, destruíam parte dos gases da estratosfera.

No processo, os átomos de cloro e monóxido de cloro reagem com as moléculas do ozônio, que são desestabilizadas. O resultado do estudo foi publicado na revista Nature em 1974. Em 1995, a pesquisa rendeu aos dois químicos o Prêmio Nobel.

Buraco na Camada de Ozônio

Entre 1976 e 1978, Estados Unidos, Canadá, Noruega e Suécia deixaram de usar os aerossóis que tinham a adição de CFCs. Foi nessa época que a expressão "buraco na camada de ozônio" foi popularizada.

A primeira discussão sobre a necessidade de proteção à camada de ozônio reuniu 28 países em Viena. O encontro serviu como base para o estabelecimento do entendimento internacional que serviu como base para o Protocolo de Montreal.

O acordo entrou em vigor em 1.º de janeiro de 1989 com várias modificações.

A fabricação dos produtos foi encerrada nos países desenvolvidos em 1994. Os países em desenvolvimento tiveram um prazo maior. Nessas nações, os CFCs, tretracloretos de carbono e metil clorofórmio pararam de ser fabricados em 1996.

Somente em 2005, encerraram a fabricação do brometo de metila e os demais componentes só serão eliminados até 2030.

Mesmo com todos os esforços, o buraco na camada de ozônio cresceu de tamanho no decorrer de 1990. Os primeiros sinais de que houve redução foram observados no início de 2016.

Compreenda melhor o assunto. Consulte: Camada de Ozônio e Efeito Estufa.

Protocolo de Kyoto

O Protocolo de Kyoto é um acordo internacional que foi assinado em 1997 com objetivo de alertar para o aumento do efeito estufa causado pelo aquecimento global. O tratado foi assinado na cidade de Kyoto, no Japão, e entrou em vigor em 2005.

Agenda 21

A Agenda 21 é um documento conjunto de resoluções assinado em 1992 durante a conferência internacional Eco-92.

O documento foi organizado pela ONU (Organização das Nações Unidas) e tem 179 países como signatários. Entre os objetivos está a preservação do meio ambiente, desenvolvimento sustentável, proteger o meio ambiente e combater a pobreza.

Leia mais:

Ibama

Ibama significa Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais Renováveis. É esse o órgão federal brasileiro responsável pela gestão e fiscalização das políticas do meio ambiente no País. Foi criado em 1989 como resultado da fusão de várias autarquias, como as superintendências da pesca, da borracha e floresta.

Convenção da Biodiversidade Biológica

Foi estabelecida durante a Eco-92, em junho de 1992, no Rio de Janeiro, e vigora desde 1993. O documento conta com 160 países signatários. O objetivo é conservar a diversidade biológica em três níveis que são: o ecossistema, as espécies e os recursos genéticos.