Camada de Ozônio


A camada de ozônio é uma cobertura de gás ozônio presente na estratosfera, entre 25 km de altitude, que protege o planeta das radiações ultravioletas prejudiciais aos seres vivos.

A camada de ozônio concentra 90% das moléculas desse gás.

Camada de OzônioA camada de ozônio forma um escudo protetor contra os raios ultravioletas

Qual a importância da Camada de Ozônio?

A camada de ozônio é essencial para a vida, pois forma escudo que nos protege das radiações ultravioletas. Sem ela, a vida na Terra não seria possível.

Gás Ozônio

O ozônio (O3) é um dos gases que compõe a atmosfera. É uma forma molecular de oxigênio, altamente reativa.

A sua produção ocorre por duas formas:

  • Na Troposfera: Produzido através da oxidação do gás oxigênio (O2) na presença de óxido nitroso (N2O) e luz solar.
  • Na Estratosfera: Produzido através da radiação ultravioleta que atua sob a molécula de oxigênio (O2), quebrando-a em dois átomos de oxigênio, que ligam-se, cada um, a uma molécula de oxigênio (O2).

O efeito e função do gás ozônio também variam conforme o local em que se encontra.

  • Na troposfera: Em altos níveis causa poluição e chuva ácida, sendo prejudicial para plantas e saúde humana.
  • Na estratosfera: Efeito benéfico ao absorver quase 90% da radiação ultravioleta do Sol. Formação da camada de ozônio.

Leia também:

Buraco na Camada de Ozônio

O que é e onde se localizam?

Os buracos na camada de ozônio são regiões da estratosfera onde a concentração de ozônio cai abaixo de 50%.

Em 1977, cientistas britânicos perceberam a formação de um buraco na camada de ozônio sobre a Antártida. Em 2000, a NASA concluiu que este buraco tinha cerca de 28,3 km2, o que equivale a uma área três vezes maior que o Estados Unidos.

Os Estados Unidos, parte da Europa e da China e o Japão já perderam, aproximadamente, 6% da proteção da camada de ozônio. Nessas regiões existe uma maior liberação de gases CFC.

No Brasil, a camada de ozônio ainda não perdeu 5% do seu tamanho original, o que se deve pela pouca produção de gases CFC.

Os buracos na camada de ozônio são monitorados de vários pontos do mundo.

Buraco na camada de ozônioBuraco na camada de ozônio registrado em 2011

Gases e destruição da camada de ozônio

Os buracos na camada de ozônio estão relacionados com os gases originados de atividades humanas.

O principal desses gases é o CFC (clorofluorcarbonos), formados por cloro, flúor e carbono. Também fazem parte da lista, óxidos nítricos e nitrosos e o CO2, expelidos pelos veículos e pela queima de combustíveis fósseis, respectivamente.

O CFC foram por muito tempo usados em latas de aerossol, materiais plásticos, condicionadores de ar e sistemas de refrigeração.

Como se forma o buraco na camada de ozônio?

Quando os gases CFC são liberados, demoram até 8 anos para chegar a estratosfera. Ao serem atingidos pela radiação ultravioleta, liberam o cloro.

O cloro, então, reage com o ozônio e o transforma em oxigênio (O2), iniciando a destruição da camada de ozônio.

Os gases CFC são os principais vilões da camada de ozônio, uma molécula de CFC pode destruir até 100 mil moléculas de ozônio.

Além disso, estima-se que para cada 1% de decréscimo nas concentrações de ozônio, há um aumento de 2% na radiação ultravioleta na superfície terrestre.

Os níveis de cloro na atmosfera aumentaram bastante durante as últimas décadas, em virtude da liberação de gases CFC. Por isso, desde 2010 é proibida a produção de CFC em todo o mundo.

Através do Protocolo de Montreal (1987), decidiu-se que o uso de CFC deveria ser totalmente banido até o fim do século XX.

A expectativa mais otimista dos acordos internacionais sobre meio ambiente é que a recuperação do buraco da camada de ozônio ocorra até 2050.

Consequências da destruição da Camada de Ozônio

Sem a proteção da camada de ozônio, teríamos uma diminuição na taxa de crescimento das plantas, que fariam menos fotossíntese.

Os raios ultravioletas também prejudicam o desenvolvimento de organismos aquáticos e reduz a produtividade do fitoplâncton. Essa situação provoca alterações nas cadeias alimentares e no funcionamento dos ecossistemas.

A ação intensa dos raios ultravioletas também pode causar diversos males à saúde humana, como:

  • Degeneração do DNA das células
  • Câncer de pele
  • Cegueira
  • Deformações e atrofias musculares
  • Enfraquecimento do sistema imunológico

Camada de Ozônio e Efeito Estufa

A camada de ozônio e o efeito estufa são dois fenômenos naturais que garantem a manutenção da vida na Terra.

Enquanto a camada de ozônio protege a Terra dos raios ultravioletas, o efeito estufa garante uma temperatura adequada para a sobrevivência dos seres vivos.

Porém, a intensificação do efeito estufa, através da liberação de gases poluentes, provoca o aumento da temperatura média da Terra, o que caracteriza o aquecimento global.

Leia também sobre Efeito Estufa e Aquecimento Global.