Tratado de Versalhes (1919)

Juliana Bezerra

O Tratado de Versalhes foi um acordo de paz selado entre as potências vencedoras da Primeira Guerra Mundial e a Alemanha derrotada.

O processo teve início com o armistício de 11 de novembro de 1918 e foi assinado em 28 de junho de 1919.

Resumo

O Tratado de Versalhes teve como característica o revanchismo francês, a redefinição de fronteiras, o estabelecimento de indenizações e a criação da Liga das Nações.

Países Participantes

As negociações, que duraram seis meses, envolveram 70 delegados de 27 nações dentre as quais o Brasil.

Ficou de fora das transações o país derrotado, a Alemanha. A Rússia não participou, pois havia firmado o Tratado de Brest-Litovsk com a Alemanha em 1918.

Sob os auspícios do presidente norte americano Woodrow Wilson, do primeiro-ministro britânico David Lloyd George e do primeiro-ministro francês Georges Clemenceau, o Tratado de Versalhes foi concluído em 28 de junho de 1919.

Apesar de ser um dos principais negociadores do Tratado, o Congresso dos Estados Unidos não ratificou o documento e nem aderiram à Liga das Nações.

Deste modo, os EUA preferiram fazer um acordo bilateral com os alemães pelo Tratado de Berlim de 1921.

Tratado de Versalhes
Ao centro, de bigode, Clemenceau, à esquerda Wilson e à direita, Lloyd George

Revanchismo Francês

A França buscou de todas as formas se vingar da derrota Guerra Franco-Prussiana. Não por acaso, o Tratado de Versalhes foi assinado no mesmo local que os franceses firmaram o tratado que tinha posto fim aquele conflito: o salão de Espelhos do Palácio de Versalhes.

A principal cláusula do Tratado de Versalhes, o artigo 231, definia a “culpa de guerra” à Alemanha.

A Alemanha e os seus Aliados são responsáveis, uma vez que os causaram, por todas as perdas e danos sofridos pelos governos aliados e pelos seus associados, bem como pelos cidadãos destes países, em consequência da guerra.

Ela era responsabilizada total e unicamente por todos os prejuízos causados. Assim, o país deveria reparar as nações envolvidas no conflito, especialmente as da Tríplice Entente.

Indenizações e Perdas Territoriais

Ficou estabelecido que a Alemanha deveria fornecer anualmente:

  • sete milhões de toneladas de carvão à França;
  • oito milhões de toneladas de carvão à Bélgica.

Vale ressaltar que, em 1921, o valor em indenizações a serem pagos pela Alemanha pelos prejuízos da Guerra, foram calculados em 33 bilhões de dólares ou 269 bilhões de marcos.

Depois, eles foram reduzidos para 132 bilhões de marcos, sem computar os valores a serem restituídos a titulo de pensões às viúvas e outros afetados pelo conflito, a maior parte na França.

Esta imposição levou a economia alemã a amargar uma crise econômica que durou toda a década de 1920.

Além disso, a Alemanha perdeu 13% de seu território na Europa e, assim, 7 milhões de cidadãos. Foi determinado que:

  • a região de Alsácia-Lorena seria restituída à França;
  • a Sonderjutlândia passaria à Dinamarca;
  • regiões da Prússia, como Posen, Soldau, Vármia e Masúria seriam incorporadas pela Polônia;
  • Hlučínsko passou à Checoslováquia;
  • Eupen e Malmedy tornam-se territórios da Bélgica;
  • a província do Sarre seria controlada pela Liga das Nações por 15 anos.

As colônias alemãs que representavam mais 70.000 Km2, distribuídos entre África, Ásia e Pacífico, também foram atingidas. As colônias na África foram divididas entre Inglaterra, Bélgica e França.

tratado de versalhes charge
Charge mostrando o general francês Foch entregando suas exigências à Alemanha

Desmobilização Militar

Em termos militares, foi determinado o desarmamento do povo alemão, a abolição do serviço militar obrigatório e a redução do exército para cem mil soldados voluntários.

Para impedir o desenvolvimento da indústria bélica na Alemanha, se proibiu a fabricação de tanques e armamentos de grosso calibre. Seguindo a mesma linha, a margem esquerda do rio Reno deveria ser desmilitarizada.

Na mesma medida, a Marinha poderia ser composta por até 15 mil marinheiros e a aeronáutica alemã foi declarada extinta. Muitos navios foram entregues aos vencedores.

Foram extintas as Escolas Militares e associações paramilitares. Este foi um duro golpe numa nação que havia feito da vida militar uma das suas marcas principais.

Meses depois, através do Tratado de Saint-Germain-en-Laye, a Áustria também foi obrigada a reduzir seus efetivos militares a 30.000 homens

Consequências

Os ministros alemães Hermann Müller (Exterior) e Johannes Bell (Transportes) assinaram o documento em nome da República de Weimar. Mais tarde, o Tratado de Versalhes seria ratificado pela Liga das Nações em 10 de Janeiro de 1920.

Em suma, este tratado possui dimensões políticas, econômicas e militares extremamente punitivas e os seus 440 artigos são uma verdadeira condenação à Alemanha.

Apesar de encerrar oficialmente a guerra, esta convenção foi responsável, ao menos indiretamente, pela queda da República de Weimar (que substituiu o império alemão destituído). Igualmente, pela ascensão de Adolf Hitler e do partido nazista em 1933.

Saiba mais sobre as Consequências da Primeira Guerra Mundial.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.