Liga das Nações

Juliana Bezerra

A Liga das Nações foi criada pelo Tratado de Versalhes, em 28 de julho de 1919, ao fim da Primeira Guerra Mundial.

Seu principal objetivo era servir de espaço para discussões entre as nações e assim evitar guerras. Sua sede ficava em Genebra, Suíça.

Origem

Quando a Primeira Guerra Mundial terminou, as nações vitoriosas se reuniram em Versalhes, França, para discutir sobre várias questões como indenizações e fronteiras.

O presidente americano Woodrow Wilson propõe ao Congresso do seu país a criação de um fórum internacional. O objetivo principal dessa instituição seria resolver os atritos entre países através da diplomacia e não da guerra.

Este projeto de lei ficou conhecido como os “14 pontos de Wilson” e foram aceitas e incorporadas ao Tratado de Versalhes.

Sociedade das Nações
Aspecto a Assembleia Geral da Liga das Nações em 1920.

Membros e Estrutura

A primeira reunião do Conselho da Liga das Nações ocorreu em Paris, em 16 de janeiro de 1920.

Os primeiros membros da Liga das Nações foram os países vitoriosos da Primeira Guerra Mundial como França, Holanda e Bélgica.

O presidente Wilson, por sua vez, não obteve a aprovação do Senado americano para entrar na Liga das Nações. Deste modo, o criador ficou de fora da instituição que ajudara a planejar.

O órgão principal da Liga das Nações era o Conselho da Liga formado por sete membros. Dele participavam quatro membros permanentes: França, Inglaterra, Itália e Japão. Por outro lado, três países eram eleitos para ocupar os assentos temporários por três anos.

A princípio, países como Alemanha e Turquia foram proibidos de participar do organismo. No entanto, em 1926, a Alemanha se incorpora à Liga das Nações e a Turquia o faz em 1932.

Também a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) não entram na Liga num primeiro momento. Em 1934, Stalin decide participar da instituição como um gesto de boa vontade ao Ocidente.

Brasil na Liga das Nações

Por causa da participação do Brasil na Primeira Guerra Mundial, o país ajudou a criar a Liga e foi um dos primeiros a integrar-se aos seus quadros.

O Brasil foi por muito tempo o único país americano com assento no Conselho da Liga. Como não havia regras definidas para a ocupação dos assentos temporários, o Brasil passou a ser anualmente reeleito para o Conselho.

No entanto, ao ser o único representante do continente americano, o governo brasileiro achava que deveria ter mais prestígio. Assim começa a campanha por obter um assento permanente no Conselho da Liga. Isto se transformou na meta diplomática fundamental do governo Arthur Bernardes (1922-1926).

O Brasil sustentava a tese de "representação americana” no quadro permanente do Conselho. Na ausência dos Estados Unidos, o Brasil seria o candidato da América com as melhores credenciais para ocupar esta vaga.

Afinal era um país de dimensões continentais, grande população e comércio dinâmico.

Porém, o Brasil não conseguiu reunir o apoio necessário para se eleger como membro permanente do Conselho. Então, o país se retirou da Liga das Nações em 1926.

Fracasso

A Liga das Nações foi criada para garantir a paz mundial. No entanto, o fato que é ela não conseguiu evitar a Segunda Guerra Mundial.

Dentre os motivos para a Liga das Nações não ser bem-sucedida podemos apontar:

  • a ausência da nova potência mundial, os Estados Unidos;
  • a falta de vontade política entre os países membros;
  • o colonialismo em várias partes do mundo;
  • a mudança brusca na política alemã, a partir da ascensão de Hitler em 1933.

A Liga das Nações terminou em 1942, porém em 1946 passou todas as suas atribuições para a recém-criada ONU (Organização das Nações Unidas).

Legado

Como vimos, vários estudos apontam o “fracasso” da Liga das Nações por não ter conseguido alcançar seu principal objetivo.

No entanto, a Liga das Nações resolveu questões territoriais pendentes na Albânia e na Silésia (território entre Alemanha, Polônia e República Checa).

Igualmente, havia comissões que reconheciam como problemas internacionais o tráfico do ópio, a escravidão e os refugiados. Todas essas questões estão na ordem do dia na atualidade, mas naquela época era a primeira vez que eram discutidas em âmbito mundial.

Liga das Nações
Símbolo da Liga das Nações

Curiosidades

  • A Liga das Nações demorou anos para ter bandeira e logotipo. Apenas em 1939 foi estabelecido como símbolo duas estrelas de cinco pontas dentro de um pentágono azul.
  • Foi sugerido que o esperanto fosse adotado como língua oficial da organização.
  • A Liga das Nações chegou a reunir 63 países entre 1920 a 1946. Entretanto, vários foram se desligando ou se incorporando ao longo de sua existência.
  • A Liga das Nações é considerada o laboratório para a constituição da Organização das Nações Unidas (ONU).

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.