Antissemitismo


A palavra “Antissemitismo” é um substantivo masculino, utilizada para designar tudo aquilo que seja hostil ao povo e à cultura judaica.

Se partirmos de uma análise etimológica, descobrimos que antissemitismo refere-se a todos os falantes de idiomas semitas, como hebreus, assírios, arameus, fenícios e os árabes. Esses povos seriam descendentes de Sem, primogênito de Noé.

Portanto, dificilmente alguém pode ser, de fato, antissemita, pois isto implicaria afirmar que é contra idiomas semitas.

Isso é ainda mais verdadeiro no caso antissemitismo árabe, pois teriam de ser contra sua própria origem linguística. Neste caso, o termo mais correto é, portanto, Antissionismo.

Sendo assim, podemos considerar a antissemitismo como a ideologia que nutre ódio e aversão a todos os aspectos étnicos e sócio-cultural do povo judeu.

Este sistema de ideias foi construído durante mais de vinte séculos de história e possui implicações políticas, sociais, econômicas e religiosas.

De um lado o antijudaismo religioso se fortaleceu ao acusar os judeus da morte de Cristo (deicídio). Por outro, alegam que este povo enriqueceu praticando a usura (prática de empréstimos) as custas das outras nações.

Mais recentemente, as teorias raciais do século XIX justificaram a dominação dos judeus, considerados inferiores. Essas teorias legitimavam o discurso de que eles estariam interessados apenas nas riquezas nacionais, pois ainda não possuíam uma nação própria.

Origem do Conceito

O conceito “Antissemitismo” teria surgido entre 1879 e 1880, quando Wilhem Mahrr (1819-1904), jornalista alemão e fundador da liga antissemita, lançou o livro “Zwanglose Antisemitische Hefte”.

Nessa obra, ela defende uma classificação mais “cientifica” para o termo “Judenhass”, o qual se referia ao ódio aos judeus como um todo.

História

Sabemos que os judeus já eram perseguidos durante o Império Romano.

O ódio aos judeus cresceu na Antiguidade. Os cristãos não aceitavam o fato do Judaísmo alegar que Jesus seria apenas mais um profeta e que seriam hebreus os responsáveis pela morte do Messias.

Durante a Idade Média, não foi diferente: no século XI, os judeus foram perseguidos durante as Cruzadas.

No final do século XIII, eles são expulsos da Inglaterra e, em fins do século XV, banidos ou convertidos ao Cristianismo na Espanha e Portugal.

Contudo, nenhum massacre antissemita se igualou ao Holocausto da Segunda Guerra Mundial, que resultou na morte de milhões de judeus.

Além disso, merece destque a criação do Estado de Israel, em 1948, quando o povo judeu passa a residir em seu próprio território, na região da Palestina.

Contudo, a escalada nos conflitos com os árabes pode levar o antissemitismo (ou antisionismo) a uma nova fase.

Leia também:

Holocausto

Em 1933, o regime nazista ascende ao poder e suprime todos os direitos civis dos judeus em território alemão, o que permite utilizar-lhes como “bode expiatório”.

Adolf Hitler (1889-1945) acusa-os de serem os causadores dos males ocorridos no país, uma vez que, segundo o ditador, só estariam interessados em explorar e obter lucro.

Como resultado, milhões de judeus são enviados aos campos de concentração ou assassinados nos guetos. No total, mais de 6 milhões de judeus foram mortos, no evento histórico que ficou conhecido como Holocausto.

Conheça a história de Anne Frank, uma das vítimas do holocausto.

Entenda mais sobre este assunto: