Literatura Medieval

Daniela Diana

A literatura medieval foi aquela produzida durante a Idade Média (século V e XV) até o início do Renascimento.

Esteve marcada inicialmente pelo uso do latim e ainda, por temas religiosos, históricos e amorosos.

Nesse momento foram produzidos poesias e textos em prosa. Note que além do trovadorismo (século XII a XIV), o movimento literário e de transição do humanismo (século XV) está incluso na literatura medieval.

Contexto Histórico

A Idade Média foi um longo período da história que esteve dividido em:

  • Alta Idade Média (século V ao século IX): as principais características foram: o sistema feudal; o Império Bizantino; a expansão dos reinos germânicos e dos francos; expansão do islamismo; a Igreja Medieval e o Sacro Império.
  • Baixa Idade Média (século X ao século XV): as principais características foram: crise do sistema feudal; expansão do cristianismo; as cruzadas; o renascimento urbano e comercial; a formação das monarquias nacionais.

A Idade Média teve início com a queda do Império Romano do Ocidente, em 476. Esse período esteve marcado pela religiosidade e pelo conceito de teocentrismo (Deus no centro do mundo).

A sociedade medieval era rural e autossuficiente, a qual esteve baseada no sistema feudal. Nesse período, a Igreja possua grande poder sobre a vida das pessoas.

Somente sabiam ler os membros da Igreja e alguns nobres. Esse fator, foi determinante para que a arte medieval estivesse voltada para a educação das pessoas

A Idade Média terminou com a tomada de Constantinopla pelos turcos em 1453.

Quer saber mais sobre a Idade Média? Leia também:

Características da Literatura Medieval

Confira abaixo cada momento da literatura medieval e suas principais características:

Trovadorismo

O Trovadorismo (1189-1418) foi um movimento literário que vigorou no período da Idade Média. Ele surgiu no século XI na região de Provença, na França. Mais tarde, se espalhou pelo continente europeu

O trovadorismo português teve início com a publicação da Canção Ribeirinha, de Paio Soares de Taveirós. O movimento recebe esse nome pois o trovador era seu personagem principal.

De tal modo, os trovadores eram os autores das cantigas e os jograis eram os cantores. Além deles, os menestréis cantavam e tocavam as músicas, as quais eram acompanhadas por alaúdes, violas e flautas.

Nesse momento, as cantigas trovadorescas foram as principais expressões literárias. Geralmente, eram acompanhadas de música e por isso o nome “cantigas”.

A poesia trovadoresca foi dividida em:

  • Poesia Lírica: cantigas de amor e cantigas de amigo. Seus temas eram amorosos.
  • Poesia Satírica: cantigas de escárnio e de maldizer. Seus temas eram profanos, com críticas sociais.

Já a prosa produzida no trovadorismo está classificada em:

  • Novelas de Cavalaria: também chamados de “romances de cavalaria”, representa textos em prosa que revelam os feitos de grandes cavaleiros medievais.
  • Cronicões: crônicas de valor histórico. Os cronicões reuniam aspectos contemporâneos da história medieval de maneira cronológica.
  • Hagiografias: textos que retratam as histórias de vida (biografias) de santos.
  • Nobiliários: textos que apresentam as histórias genealógicas de nobres medievais. Por esse motivo, são também chamados de “livros de linhagem”.

Saiba mais sobre o Trovadorismo:

Humanismo

O Humanismo literário representa uma fase de transição entre o trovadorismo e o classicismo. Ou seja, de transição da cultura medieval para a cultura clássica.

Teve início com a nomeação de Fernão Lopes para cronista-mor da Torre do Tombo, em 1418. Terminou em 1527 quando o poeta Sá de Miranda retorna da Itália e apresenta um novo estilo.

Nesse período foram produzidos textos em prosa, poesia e teatro. Merecem destaque:

  • Teatro Popular: teve Gil Vicente como principal figura, sendo considerado o fundador do teatro português. O teatro criado por Gil Vicente é chamado de Teatro Vicentino.
  • Poesia Palaciana: poesias representadas nos palácios.
  • Prosa Historiográfica: textos em prosa de teor historiográfico. Fernão Lopes foi a principal figura desse tipo de texto.

Saiba mais sobre o Humanismo:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.