Tropicalismo


O Tropicalismo foi um movimento cultural de vanguarda que ocorreu no Brasil nos anos de 1967 e 1968 nas artes, principalmente na Música. Merecem destaques os compositores Caetano veloso, Gilberto Gil, que lideraram o movimento, além de Nara Leão, Tom Zé, Gal Costa, Os Mutantes (Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sérgio Dias), Torquato Neto, Rogério Duprat, Capinam, Jorge Bem, Maria Bethânia.

O Tropicalismo caracterizado como um movimento libertário e revolucionário, buscava se afastar um pouco do intelectualismo da Bossa Nova a fim de aproximar a música brasileira dos aspectos da cultura popular, do samba, do pop, do rock, da psicodelia. Interessante observar que essa experiência estética aberta, sincrética e inovadora lançada pelos tropicalistas, mudou não somente a música popular brasileira, mas o panorama da cultura em geral, em busca da modernidade do país

Leia também sobre a Jovem Guarda.

Contexto Histórico

No momento, o Brasil passava por momentos de conflito como o Golpe de 64, a censura, as greves, os movimentos estudantis, que culminaram num regime ditatorial no país. Após o declínio da Bossa Nova, o novo movimento que surge, a saber, a MPB, foi o fulcro necessário para que um conjunto de artistas, denominados "Tropicalistas", se reunissem com objetivos de libertação e mudanças no panorama cultural brasileiro.

Teve grande influência do movimento concretista na literatura e nas artes plásticas. Na música, além do sincretismo de ritmos, o movimento apostou na presença do som melódico das guitarras em suas canções.

O início do Tropicalismo deu-se no III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record em 1967, com destaque para as apresentações de Caetano, com a música "Alegria, alegria" e de Gilberto Gil com "Domingo no Parque".

Durante um ano, além de mudanças na música popular, outros elementos culturais foram incorporadas à cultura brasileira como, por exemplo, o estilo das roupas, muito próximas à dos hippies, mas ao mesmo tempo com uma psicodelia e mistura de cores e tonalidades.

Por fim, o movimento tropicalista termina com a prisão de Gilberto Gil e Caetano Veloso em 1968 pela Ditadura Militar. Em 1969, Caetano partiu para o exílio marcando definitivamente o fim do movimento.

Músicas

As músicas que mais se destacaram no Movimento Tropicalista e, muitas inclusive ganharam os Festivais de Música de MPB da Tv Record foram: "Tropicália" (1968), "Alegria, Alegria" (1967), "Atrás do Trio Elétrico" e "É proibido proibir" (1968) (1968) de Caetano Veloso; "Domingo no Parque" (1967), "Aquele abraço" (1968) de Gilberto Gil; "São Paulo, meu amor" (1968) e "Parque Industrial" (1968) de Tom Zé; "Não identificado" (1969), "Mamãe, coragem" (1968) e "Baby" (1968) de Gal Costa; "Tropicália ou Panis et Circenses" (1968), "Miserere Nobis" (1968), "Bat Macumba" (1968) e "Minha Menina" (1968) dos Mutantes.

Leia ainda: A Música e a Ditadura Militar no Brasil.