A Arte no Período Paleolítico


A Arte no Período Paleolítico (Idade da Pedra Lascada) designa a arte produzida durante o primeiro período da pré-história, conhecido (junto ao Neolítico) de “Idade da Pedra”, ou seja, abrange desde o surgimento da humanidade, por volta de 4,4 milhões de anos, até de 8000 a.C.. Trata-se de um dos maiores períodos da história, sendo, portanto dividido em:

  • Paleolítico Inferior (2000000 a 40000 a.C.)
  • Paleolítico Superior (40000 a 10000 a.C.)

Saiba mais sobre esse período no artigo: Período Paleolítico ou Idade da Pedra Lascada.

Características

A Arte no Período PaleolíticoDesenho de Cavalo na Caverna de Altamira, Espanha

A arte no período paleolítico é considerada a arte mais antiga da humanidade, majoritariamente desenvolvida pelos povos primitivos durante o paleolítico superior. Note que essas primeiras manifestações artísticas da humanidade foram localizadas por meio de escavações arqueológicas realizadas a partir do século XX sobretudo na Ásia, África e Europa.

Em grande parte, a arte nesse período era produzida nas cavernas, local onde os homens nômades, caçadores e coletores, se protegiam das intempéries e dos animais selvagens.

No entanto, além das pinturas, eles também produziram objetos decorados e esculturas de formas humanas, sobretudo de formas femininas volumosas (supostamente indicando a fertilidade), feitas com rochas, ossos ou madeira. Acredita-se que as formas femininas eram utilizadas em rituais associados à fertilidade e à sexualidade. Outros tipos de figuras abstratas foram encontradas, por exemplo, riscos e linhas emaranhadas.

Chamada de Arte Rupestre os homens desse período utilizavam resíduos vegetais, sangue, carvão, argila, terra ou excrementos humanos, para fazer impressões nas pedras, seja figuras (humanas e animais), relevos ou desenhos abstratos (riscos, símbolos, etc.). Era comum encontrar figuras de homens caçando os animais (bisontes, cervos, cavalos, etc.).

Note que a arte no paleolítico está intimamente relacionada ao campo espiritual, de modo que os homens já buscavam explicações sobrenaturais para a vida na Terra. Segundo pesquisas, o artista era considerado um “ser superior”, que possuía poderes mágicos, o qual fazia uma mediação entre a realidade e a arte divina.

Embora tenha havido a substituição do homem neandertal pelo homo sapiens no paleolítico superior, o homem do paleolítico ainda não conseguia distinguir muito bem a realidade do sonho, mesclando assim, a vida e a arte. Em resumo, a arte fazia parte da vida dos homens paleolíticos e possuía uma finalidade mágica.

Destarte, a arte representava um "ritual de iniciação", ou seja, os homens representavam cenas de caça nas paredes das cavernas, acreditando que, de alguma maneira, aquilo iria se tornar realidade e, portanto, permitir a sobrevivência do grupo.

Da mesma maneira, as esculturas femininas podiam trazer a fertilidade, garantindo assim, a reprodução humana, da qual a mais conhecida é a "Vênus de Willendorf", encontrada na Áustria. Em resumo, a arte nesse período possuía um objetivo, finalidade ou propósito de interação do homem e da natureza e, por esse motivo, apresentava características realistas e naturalistas.

No entanto, importante destacar que essa arte distingui do conceito que aceitamos hoje, pois não tinha um objetivo de contemplação e/ou adorno. Assim, acredita-se que os homens do paleolítico não estavam preocupados com os valores estéticos dos objetos artísticos, e sim com a sua capacidade de atuação no mundo sobrenatural.

Embora já fosse possível encontrar algum tipo de técnica ou especialização na arte paleolítica, no período seguinte (Período Neolítico ou Idade da Pedra Polida), visto as importantes transformações ocorridas em nível geológico e societário, a arte torna-se mais abrangente apresentando assim, novos estilos.

Para ampliar seus conhecimentos, leia:

Quiz da História da Arte