Arara Azul


A arara azul é uma ave da família dos psitacídeos, assim como papagaios, periquitos, maritacas, entre outros.

Existem três espécies conhecidas de araras azuis: a arara azul grande, a arara azul de lear e a arara azul pequena, sendo a última delas considerada extinta e as outras ameaçadas de extinção.

Quem é a Arara Azul?

Arara AzulDetalhe do olho da arara azul

A arara azul ou arara azul grande (Anodorhynchus hyacinthinus) é uma ave de exuberante plumagem azul, com uma faixa amarela ao redor dos olhos e outra próximo da mandíbula, bicos curvos e fortes e cauda longa.

Pode medir até 1,5 m desde a cabeça até a ponta da cauda e pesar até 1,5 Kg.

Habitat e Alimentação

Possuem uma alimentação especializada, gostam de comer frutos das árvores bocaiúva e acuri. Elas removem a casca fibrosa mais externa e saboreiam o interior dos coquinhos.

Arara AzulBando se alimentando de sementes deixadas no chão

As araras azuis habitam o Pantanal (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bolívia e Paraguai), além dos estados de Tocantins, Piauí, Maranhão e Bahia, e ainda na região próxima à Serra dos Carajás, no Pará.

Comportamento

As araras azuis gostam de se exibir e são dóceis permitindo a aproximação do ser humano, o que facilita a captura pelos caçadores.

Arara AzulAraras azuis voando no Pantanal

Voam em bandos e costumam se isolar no período reprodutivo. Durante à noite se reúnem para dormir, podem se agrupar às centenas nas árvores chamadas de dormitórios.

É comum ver casais se acariciando com o bico (comportamento chamado preening) o que serve para a limpeza das penas bem como socialização das aves.

Reprodução

Arara AzulCasal de araras realizando o preening

As araras azuis são aves fiéis que vivem juntas por toda vida. A taxa reprodutiva é baixa, geralmente são postos 2 ovos mas apenas um dos filhotes sobrevive em cada ninhada.

O ninho é feito em cavidades naturais de troncos como o manduvi, árvore de grande porte, típica do Pantanal. Os ovos eclodem após 28 dias de incubação.

Arara Azul de Lear

A arara azul de lear (Anodorhynchus leari) é endêmica do nordeste do Brasil, isso quer dizer que só é encontrada nessa área. Ela vive na caatinga baiana, na região conhecida como Raso da Catarina e na Reserva Biológica de Canudos.

Essa espécie é menor do que a arara azul grande e mais parecida com a arara azul pequena em sua coloração. Sua plumagem tem cor azul-esverdeado na cabeça e tom mais claro na barriga, com o anel amarelado ao redor dos olhos e perto da mandíbula (a forma dessa mancha difere da arara azul).

Possui por volta dos 70 cm de comprimento, bicos grandes e cauda longa. Seu alimento preferido são as sementes de palmeiras da região e os frutos do pinhão e umbuzeiro, no entanto, quando não encontra os frutos disponíveis na natureza ela pode se alimentar de milho.

Consta na lista de espécies ameaçadas do Ministério do Meio Ambiente, como ave em perigo de extinção.

Saiba mais:

Arara Azul Pequena

A arara azul pequena (Anodorhynchus glaucus) era encontrada no Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. No entanto, já não há relatos de avistamentos dessa ave desde os anos 1960, por isso muitos cientistas a consideram como extinta na natureza.

No entanto, pela IUCN, ela é definida como criticamente em perigo, o que significa que ainda pode haver animais na natureza, mas se isso ocorrer a população seria menor do que 50 indivíduos.

Sua alimentação era principalmente constituída de sementes de palmeira e frutos. Não se conhece muito sobre a espécie.

Por que as Araras estão em Extinção?

O tráfico de animais, além de desmatamentos, ventos, chuvas e queimadas são as principais ameaças, pois destroem as árvores que utilizam para seus ninhos e alimentação.

Devido aos esforços de biólogos e conservacionistas, os números dessa ave tem aumentado no Brasil, em especial nas reservas e no Pantanal onde há um projeto de manejo da espécie.

Ela não consta na lista de animais brasileiros em extinção, mas pelo IUCN (sigla em inglês da União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais) aparece na lista vermelha classificada como espécie vulnerável.

Animai

Classificação

  • Reino Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Aves
  • Ordem: Psittaciformes
  • Família: Psittacidae

Curiosidades

  • As araras azuis pertencem ao gênero Anodorhynchus que significa ave de bico desdentado(do grego Anodon: sem dentes e rhunkos: bico).
  • A arara azul grande é a maior representante da família Psittacidae, a mesma dos papagaios. O Brasil é campeão mundial em riqueza (número de espécies) dessas aves.
  • Os frutos típicos do Pantanal também são alimento do gado nelore local e existe uma interessante associação entre eles e as araras. O gado ao regurgitar ou defecar esses frutos, elimina a casca, deixando os frutos mais fáceis de comer para as araras.
  • Os filhotes da arara azul nascem com peso entre 19 e 25 gramas, sem penas e precisando dos cuidados da mãe por 48 horas. Os pais buscam a comida e regurgitam o conteúdo pré-digeridos dentro do bico.
  • As penas começam a aparecer nos filhotes por volta de 2 meses de vida e um mês mais tarde já conseguem dar o primeiro voo. Mesmo começando a ter vida independente o filhote ainda depende dos pais para se alimentar.