Queimadas


As queimadas são um tipo de prática agrícola utilizada no meio rural, sendo umas das ações mais antigas realizadas pelo homem.

Considerada de baixo custo, a queimada é conhecida por sua rapidez, pois em muitos casos ela é utilizada como uma ferramenta para limpeza e fertilização do solo.

Em contrapartida, em alguns casos sua aplicação pode perder o controle, provocando grandes incêndios, além disso é alvo de críticas por parte dos ambientalistas.

Causas e tipos de queimada

Diferentes fatores podem causar a queimada, pois ela pode ser aplicada a fim de atingir de diferentes objetivos, ou ainda pode ser criminosa.

Veja a seguir as principais causas e tipos de queimadas.

CausaTipoDescrição
Colheita manual de cana-de-açúcarPrática agrícolaUtilizada com o objetivo de limpar o terreno e facilitar o corte da cana. Essa prática ainda é muito comum em canaviais.
Retirada de madeiraPrática agrícolaUtilizada como ferramenta para retirada de madeira, no qual as plantas menores são queimadas para que o corte das árvores maiores seja facilitado.
Germinação e reciclagem de nutrientesPrática agrícolaUtilizada como processo para germinação de certas espécies de vegetais. Em alguns ecossistemas que existe a predominância de gramíneas, a queimada atua como um fator que estimula a reciclagem dos nutrientes.
VandalismoCriminosoÉ quando a queimada é provocada de forma intencional, como ao descartar cigarro aceso nas margens de estradas e em terrenos abandonados.
Balão de festa juninaNegligênciaÉ quando balão de festa junina e fogos de artifício são utilizados como forma de comemoração, porém causam queimadas que geram incêndios em regiões urbanas.
Disputa de posseCriminosoÉ quando proprietários de terra provocam a queimada de forma intencional, motivado pela disputa de terras agrícolas.
Falta de chuvaClimáticoÉ quando a queimada é provocada pela falta de umidade no ar e no solo, o que ocorre normalmente em regiões com pouca chuva.

É importante destacar que a queimada como prática agrícola é realizada de forma controlada e assistida. Já as queimadas intencionais não, pois elas perdem o controle facilmente e resultam em incêndios.

Consequências da queimada

A realização de queimadas gera consequências para o meio ambiente, dentre elas as principais são:

Queimadas no Brasil

queimada no cerrado
Queimada no Cerrado

No Brasil a prática da queimada é muito comum, porém nem sempre é causada de forma controlada. As queimadas intencionais ou provocadas pela falta de chuva geram graves consequências.

Estima-se que a cada ano o Brasil perde cerca de 15 mil km2 de florestas por causa de queimadas que perderam o controle, transformando-se assim em grandes incêndios.

A região Nordeste é a que apresenta maior índice de ocorrência de queimadas, especialmente entre os meses de outubro e janeiro. Já na região Centro-Oeste, os meses de julho a outubro são os mais críticos.

Dessa forma, é possível afirmar que o bioma Cerrado é o que mais sofre com queimadas e incêndios, causando a morte de diversos animais.

Conheça também sobre:

Controle de queimadas no Brasil

controle de queimadas
Controle de queimadas

Para auxiliar no controle das queimadas, existem diferentes projetos e programas ligados ao Governo Federal que desenvolvem ações de monitoramento e conscientização sobre a queimada.

  • Portal Queimadas: esta é uma campanha do Governo Federal que tem como objetivo alertar sobre o perigo causado pelas queimadas, especialmente suas consequências nas matas e florestas. Este programa ainda orienta o cidadão a denunciar focos de queimadas e incêndios que pertencem ao território nacional.
  • Programa Queimadas: pertencente ao Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE), este programa atua desenvolvendo pesquisas e publicando os resultados obtidos a partir do sistema de monitoramento de queimadas. Além de divulgar informações sobre queimadas e incêndios.
  • Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio): pertencente ao Ministério do Meio Ambiente, o ICMBio realiza campanhas anuais contra queimadas, promovendo ações para combater incêndios e manuseio do fogo.
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO). Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestre em Gestão do Conhecimento pela UFSC.