Animais do Cerrado

Juliana Diana

O Cerrado é um dos biomas do Brasil que ocupa cerca de 25% do território nacional com uma área de aproximadamente 2 milhões de km2.

É considerado a savana mais rica do mundo em termos de biodiversidade, pois abriga diversos ecossistemas e, sobretudo, as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul: Bacia Amazônica/Tocantins, Bacia do rio São Francisco e Bacia da Prata.

Vale destacar que o Cerrado é um bioma envolvido por outros biomas brasileiros, funcionando assim como um elo de transição, pois é um local repleto de espécies vegetais e animais que surgem nos outros biomas do Brasil.

Características da fauna do Cerrado

veado
O veado é um animal que vive no Cerrado

A fauna do Cerrado é riquíssima e conta com diversas espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e insetos, sendo que muitas delas só existem nesse local.

Pesquisadores apontam que existe cerca de 320.000 espécies de animais neste bioma, sendo que desses 90.000 são espécies de insetos, os quais desenvolvem um papel importante no equilíbrio dos ecossistemas.

Segundo o ministério do meio ambiente, vivem no cerrado cerca de:

  • 200 mamíferos;
  • 830 aves;
  • 180 répteis;
  • 150 anfíbios;
  • 1200 peixes.

Além disso, o cerrado ainda abriga:

  • 13% de borboletas;
  • 35% de abelhas;
  • 23% de cupins dos trópicos.

Animais que vivem no Cerrado

Conheça a seguir uma lista com 20 animais que vivem no bioma Cerrado.

1. Anta (Tapirus terrestris)

anta cerrado
A anta é um mamífero que vive no Cerrado e tem a aparência semelhante a um porco

A anta é considerada o maior mamífero brasileiro. Ela vive no Cerrado brasileiro e apresenta em média 300 kg. Visualmente, ela tem a aparência de um porco.

Sua alimentação é feita principalmente por folhas de árvores e arbustos, além de frutas, ervas e raízes que encontra pelo caminho.

A anta costuma viver próximo de rios, pois apresenta habilidade de natação, o que auxilia a fugir de seus predadores.

2. Ariranha (Pteronura brasiliensis)

Ariranha cerrado
A ariranha é um mamífero que tem o hábito da natação para caçar seu alimento

A ariranha é um mamífero endêmico da América do Sul e pode ser encontrada na bacia do Rio Amazonas, além de ser encontrado no Pantanal.

É uma espécie que vive perto de rios, pois sua alimentação é baseada em peixes. Ela costuma ser encontrada na maior parte do tempo nadando, sendo que uma de suas características é que ela nada para trás.

3. Gato-maracajá (Leopardus wiedii)

gato-maracajá cerrado
O gato-maracajá tem aparência semelhante a de uma jaguatirica

O gato-maracajá é um felino nativo da América Central e do Sul que pode ser encontrado em diversos biomas brasileiros. Além do Cerrado, este animal também pode ser encontrada na Amazônia, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal.

Com o visual semelhante ao de uma jaguatirica, o gato-maracajá tem tamanho menor.

Para atrair suas presas, ele costuma armar emboscadas, principalmente para os filhotes de macaco sagui.

4. Jaguatirica (Leopardus pardalis)

jaguatirica cerrado
A jaguatirica é um felino muito confundido com a onça-pintada

A jaguatirica é um felino também conhecido como gato-do-mato e encontrado na Mata Atlântica brasileira, além de outros países da América Latina e no sul dos Estados Unidos.

É muitas vezes confundida com a onça-pintada, porém ela é menor, com comprimento que pode variar entre 25 e 40 cm, sem contar a cauda.

Por possuir dentes bem afiados que ajudam a triturar o alimento, a jaguatirica se alimenta de aves, pequenos mamíferos, répteis e roedores.

5. Tamanduá bandeira (Myrmecophaga tridactyla)

tamanduá bandeira cerrado
O tamanduá bandeira é um animal do Cerrado que está ameaçado de extinção

O tamanduá-bandeira é um mamífero que vive no Cerrado e apresenta hábitos solitários na vida adulta. Para caçar seu alimento, ele costuma caminhar durante o dia todo.

A alimentação do tamanduá-bandeira é baseada em formigas, cupins e larvas.

Este animal vem sofrendo com a perda de seu habitat, atropelamentos e caça, sendo assim considerado uma espécie com risco vulnerável de extinção.

6. Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)

lobo-guará cerrado
O lobo-guará é um mamífero típico do Cerrado

O lobo-guará é um animal típico do Cerrado e muito semelhante, fisicamente, a um lobo. Ele vive solitário e é considerado inofensivo, por esse motivo não se aproxima de populações humanas.

Costuma ser visto no entardecer em grandes campos e, devido a urbanização dos espaços tem sido frequentemente atropelado ao atravessar estradas.

7. Veado-mateiro (Mazama americana)

veado mateiro cerrado
O veado-mateiro é um animal solitário que vive no Cerrado

O veado-mateiro é um mamífero que vive no Cerrado e na Mata Atlântica, também conhecido como veado-vermelho ou veado-pardo.

É um animal que vive sozinho, no qual forma pares apenas nos período de reprodução. Sua alimentação é feita principalmente por frutos, folhas, brotos e gramíneas.

8. Seriema (Cariama cristata)

seriema cerrado
A seriema é uma ave típica do Cerrado

A seriema é uma ave típica do Cerrado, sendo conhecida por seu porte imponente, além da cauda e da crista com penas longas.

É um animal que se alimenta principalmente de vermes, insetos, pequenos roedores e répteis. Possui hábitos diurnos e no período da noite pode ser encontrada nos galhos mais baixos das árvores.

9. Galito (Alectrurus tricolor)

galito cerrado
O galito é uma ave pequena que corre risco de extinção

O galito é uma ave pequena que vive no Cerrado, especialmente próximos de pântanos, campos úmidos e brejos. Sua alimentação é baseada em insetos e aranhas.

É um animal pequeno que apresenta em média 13 cm de comprimento, sem contar a cauda que pode chegar a 6 cm. Ele está ameado de extinção, pois a perda de habitat vem comprometendo sua sobrevivência.

10. Pato-mergulhão (Mergus octosetaceus)

pato mergulhão cerrado
O pato-mergulhão é considerado um bioindicador da qualidade da água

O pato-mergulhão é uma ave considerada rara no Cerrado, sendo classificada como criticamente ameaçada de extinção.

Ele vive em rios e riachos e apresenta habilidade de natação, podendo ficar submerso por até 30 segundos para capturar sua presa, que normalmente são pequenos peixes, como o lambari.

Uma das características mais marcantes dessa ave é que ela vive somente em águas limpas e margeada por mata nativa, por isso é reconhecida com uma espécie bioindicadora da qualidade da água.

11.Soldadinho (Antilophia galeata)

soldadinho cerrado
O soldadinho é uma ave encontrada em grande parte da região central do Brasil

O soldadinho é uma ave conhecida por sua cores fortes e marcantes. Ele possui uma crista vermelha que se destaca do restante das penas do seu corpo, que são pretas.

Sua alimentação é feita principalmente de frutas, porém também podem consumir pequenos insetos.

A distribuição geográfica do soldadinho é ampla, podendo ser encontrado em diversos estados da região central do Brasil.

12. João-bobo (Nystalus chacuru)

joão bobo cerrado
O joão-bobo é uma ave que vive no Cerrado e pode ser encontrada em diversos locais

O joão-bobo é uma ave pequena e leve que vive no Cerrado, ela mede cerca de 21 cm e pesa entre 48 e 64 gramas. Possui uma cabeça que é considerada grande quando comparada ao corpo.

A alimentação é feita de insetos e pequenos animais vertebrados, como lagartos e pererecas.

É uma ave que vive em grupo, podendo ser encontrada em matas secas, campos de árvores, beira de estrada e parques.

13. Pica-pau-do-campo (Colaptes campestris)

pica pau do campo cerrado
O pica-pau-do-campo é uma ave de cores fortes e marcantes

O pica-pau-do-campo é uma ave que vive no Cerrado e é muito conhecida por sua cores marcantes, especialmente o amarelo do pescoço e cabeça.

Por possuir bicos finos e longos, consegue se alimentar de insetos, principalmente formigas e cupins. É encontrado caçando seu alimento no solo, porém ao se sentir ameaçado, ele procura locais mais altos para se proteger, como árvores ou grandes pedras.

14. Marreca-de-bico-roxo (Oxyura dominica)

bico roxo cerrado
A marreca-de-bico-roxo pode ser encontrada em lagoas do Cerrado

A marreca-de-bico-roxo é uma ave do Cerrado e sua principal característica é a cor roxa do seu bico, que se destaca do restante do corpo, que é marrom.

Pode ser encontrada em grande parte do Brasil, especialmente em locais com lagoas e pastos alagados. Vivendo em grupo, esta espécie tem a habilidade de se esconder na vegetação.

15. Gavião-carijó (Rupornis magnirostris)

gavião carijó cerrado
O gavião-carijó é uma das espécies mais comuns de gavião

O gavião-carijó é uma ave que vive no Cerrado brasileiro. Ele pode ser visto com frequência em diferentes tipos de ambientes, como nos campos, nas margens dos rios e até mesmo em áreas urbanas.

Sendo uma das espécies de gavião mais comum, ele vive sozinho ou em pares e costuma planar em círculos no período da manhã. Ele passa boa parte de seu tempo empoleirado em locais altos.

16. Piracanjuba (Brycon orbignyanus)

piracanjuba cerrado
A piracanjuba é um peixe de água doce encontrado em vários estados brasileiros

A piracanjuba é um peixe de água doce que pode ser encontrado no bioma Cerrado, vivendo especialmente nos estados no Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e sul de Goiás.

É um peixe que vive em áreas próximas às margens, em locais onde existe corredeiras e árvores deitadas.

17. Traíra (Hoplias malabaricus)

traíra cerrado
A traíra é um peixe que vive em águas paradas

A traíra é um peixe de água doce que pode ser encontrado, além do Cerrado, em todos os outros biomas brasileiros.

É um peixe que vive em locais com água parada, como brejos, represas e lagos. Também pode ser encontrado em barrancos com vegetação, pois considera este como um bom lugar para capturar a presa.

18. Pirapitinga (Brycon nattereri)

pirapitinga cerrado
A pirapitinga é da mesma família do peixe dourado

A pirapitinga é um peixe de água doce que vive no Cerrado e faz parte da mesma família do dourado, outro peixe popular do Brasil.

Sua alimentação é feita basicamente de insetos, flores e frutos que caem das matas ciliares.

19. Baiacu (Colomesus tocantinensis)

baiacu cerrado
O baiacu é um peixe que pode ser encontrado em água doce e salgada

O baiacu é uma espécie de peixe que existe na água doce e marinha. Aqueles que vivem no Cerrado são do sistema dos rios Araguaia-Tocantins.

Esta espécie é conhecida por inflar o corpo quando se sente ameaçada.

20. Pirarucu (Arapaima gigas)

pirarucu cerrado
O pirarucu é o maior peixe de água doce do mundo

O pirarucu é considerado o maior peixe de água doce do mundo e vive na região amazônica.

Para respirar, ele vem até a superfície do rio, tornando-se assim um alvo fácil para a pesca. Por esse motivo, a população desta espécie vem diminuindo com o passar do tempo.

Riscos de extinção no Cerrado

desmatamento do cerrado
O desmatamento do cerrado tem sido um dos maiores problemas ambientais enfrentados por esse bioma

O Cerrado é um dos biomas brasileiros que mais vem sendo degradado com o passar dos anos, uma vez que possui poucas áreas protegidas por lei.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, atualmente resta menos de 20% da área do cerrado e estima-se que 150 espécies de animais sofrem o risco de extinção.

As principais ameaças para os animais que vivem no cerrado são decorrentes da destruição de seus habitats, desde desmatamento, queimadas, crescimento urbano desenfreado, tráfico de animais, expansão das fronteiras agrícolas, pecuárias e de monoculturas, exploração de madeira para a produção de carvão, dentre outros.

Alguns dos animais que correm o risco de extinção são: a onça-pintada, a jaguatirica, o tatu-canastra, o tamanduá-bandeira, o lobo-guará, a águia-cinzenta, o gato-maracajá, o gato-do-mato pequeno, o cachorro-do-mato-vinagre, dentre outros.

Flora do Cerrado

Ipê-amarelo
O Ipê-amarelo é um dos exemplos de flora do cerrado

Algumas das espécies da flora do cerrado ainda não foram catalogadas pelos pesquisadores, visto que abriga um número muito grande de espécies vegetais.

Segundo o ministério do meio ambiente, existem 11.627 espécies de plantas nativas já catalogadas e aproximadamente 4.000 são endêmicas (somente se desenvolvem nesse local), além das mais de 220 espécies que possuem propriedades medicinais.

A flora do Cerrado ainda compreende diversos tipos de cactos, orquídeas e bromélias. Outras plantas que fazem parte do cerrado são: ipê-amarelo, babaçu, buriti, calunga, guariroba, macaúba, araçá, jabuticaba, jatobá, pequi, ingá, aroeira-branca, angico, cedro-rosa, quaresmeira roxa, assa-peixe, barbatimão, dentre outras.

Juliana Diana
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) em 2007. Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2010. Mestre em Gestão do Conhecimento pela UFSC em 2015.