Congada

Juliana Bezerra

Congada, congado ou congo, é uma expressão cultural e religiosa que envolve o canto, dança, teatro e espiritualidades cristã e de matriz africana.

Nesta festa, se louva Nossa Senhora do Rosário, São Benedito e Santa Efigênia, lembrando da proteção que esses santos deram aos escravos negros. Em algumas congadas, se recorda a figura de Chico Rei e da luta entre cristãos e mouros.

A congada é celebrada de norte a sul do Brasil. Não há um dia fixo, mas os meses de maio e outubro consagrados a Nossa Senhora, costumam ser escolhidos para a festa. Em algumas partes do Brasil, a congada é celebrada em dezembro.

Origem da Congada

Congo, Cortejo do Rei e da Rainha
Cortejo do Rei e da Rainha, na cidade Uberlândia, Minas Gerais

A congada é mistura das festas trazidas pelos negros escravizados com a religiosidade cristã praticada na colônia.

No entanto, suas origens remontam à própria África, quando os súditos faziam o Cortejo aos Reis Congos, a fim de agradecer os seus governantes.

Ao chegar à colônia, os negros se reconheceram imediatamente com santos negros como são Benedito, o Africano, santa Efigênia, uma princesa etíope, e Nossa Senhora do Rosário.

Todos esses santos foram identificados com os ancestrais africanos e eram homenageados com cultos e igrejas construídas com o trabalho e o dinheiro de alforriados e escravizados.

Outra figura saudada na festa é a da princesa Isabel, por seu papel na libertação dos escravos. Cruza-se a tradição de uma figura da monarquia africana com a brasileira.

Destacamos duas lendas que explicam a origem da congada: a vida de Chico Rei e a aparição de Nossa Senhora no mar.

História de Chico Rei

Diz a lenda que Galanga, nome verdadeiro de Chico Rei, era o monarca de sua tribo no Congo, e foi capturado com toda sua gente. Batizado, recebeu o nome de Francisco e durante a travessia para a colônia da América Portuguesa, o Brasil, houve uma grande tempestade.

Os marinheiros, com medo que o navio virasse, jogaram ao mar a esposa e a filha de Chico, para que as águas se acalmassem.

Quando chegaram aqui, em 1740, Chico e seu filho foram comprados e levados para a região das minas, a Vila Rica, atual Ouro Preto. Desta maneira, Chico se põe trabalhar dia após dia e reúne uma grande quantidade de metal, o suficiente para comprar sua alforria, a do filho e a de mais de 200 escravos.

Os escravos que foram libertos por ele passaram a tratá-lo como rei, ao mesmo tempo que se levantava a igreja de Santa Efigênia.

Todos os anos, antes da missa dedicada a Nossa Senhora do Rosário, no dia 7 de outubro, acontecia o cortejo onde se cantava, dançava e se honrava Chico Rei.

Embora esta lenda não tenha nenhuma evidência histórica, o conto faz parte das tradições orais de Minas Gerais e sobreviveu ao longo do tempo entre os congadeiros.

Aparição de Nossa Senhora

Congada
Durante o Reinado do Rosário, em Ouro Preto, os participantes exibem os estandartes com imagens de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário

Outra lenda que faz parte da fundação mística da congada é a aparição de uma imagem de Nossa Senhora no mar.

Conta-se que vários grupos foram tentar buscá-la, cantando e dançando. A santa se aproximava, mas nunca se movia muito.

O último grupo a tentar foi justamente os de Moçambique, que eram escravos e traziam cadeias aos tornozelos. Com seus lamentos, conseguem trazer a imagem para a costa e desde então, Moçambiques e Congadeiros tornaram-se os guardiões da imagem da Virgem do Rosário.

Enredo da Congada

Basicamente, a congada conta a história do embaixador de Angola que, em nome da Rainha Ginga, visita o Rei do Congo num dia festa e quase causa uma guerra. Há luta, mas os cristãos vencem.

Igualmente, um casal de escravos costumava ser coroado para serem os "reis" da festa e o som de batuques na igreja era tolerado pelas autoridades católicas.

Personagens da Congada

Uma congada pode ter de 50 a 200 ou mais participantes divididos em cinquenta personagens.

Os grupos são repartidos em dois: a Congada de Cima e a Congada de Baixo. Na Congada de Cima temos Rei, Rainha, Príncipes, Cacique, Fidalgos ou Vassalos e crianças que são chamadas de "conguinhos".

Na Congada de Baixo temos o Embaixador e o Secretário, o cortejo e os guerreiros.

A festa do congo está longe de ser algo uniforme, pois cada região foi acrescentando suas tradições e vivências.

Dança da Congada

A dança representa a coroação do rei do Congo, acompanhado de um cortejo denominado terno ou guarda. Para cada terno existe um líder, o "capitão".

Igualmente, as lutas entre os mouros e cristãos, ou pagãos e batizados são apresentadas em forma de coreografias. Estes, ficam perfilados de frente e “combatem” entre si com varas, com seus golpes marcam o compasso da música e da festa.

Abaixo um exemplo deste "combate" realizado durante a congada de são Benedito, em Motor Cunha/SP:

Instrumentos Musicais da Congada

Músicos da Congada
Instrumentos como rabeca e violas dão a música nos festejos de maio

Os instrumentos musicais utilizados são a cuíca, a caixa, o pandeiro, o reco-reco, o cavaquinho, a viola, o violão, o tarol, o tamborim, o ganzá, a sanfona, rabeca (ou o violino) ou acordeom.

Esses instrumentos acompanham o canto que é entoado com letras em português, mas também com palavras do idioma banto.

Na melhor tradição oral, o canto é puxado por uma pessoa e a multidão acompanha o refrão. As letras falam do sofrimento da escravidão, dos lamentos de um povo arrancado de sua terra.

Contudo, através da invocação dos santos e das forças do alto, são também cantos de esperança, redenção e na espera de uma vida melhor.

Figurinos e Adereços da Congada

As roupas são muito importantes na congada porque representam a hierarquia e os personagens nas festas.

Camisas, capas, chapéus, espadas e lenços fazem parte dos trajes que devem ser feitos de tecidos confortáveis para não inibir os movimentos.

Além disso, há uma série de fitas e bandeiras coloridas que trazem a imagem dos santos e identificam os diferentes grupos do cortejo.

As joias e as coroas dos reis são enormes, mostrando a opulência dos soberanos africanos.

Congadas no Brasil

Vários estados do Brasil celebram congadas. Vejamos alguns exemplos abaixo:

Nome Local
Congada de Catalão Catalão/GO
Congado Reinado de Nossa Senhora e Santa Efigênia Ouro Preto/MG
Maçambique de Osório Osório/RS
Congada da Lapa Lapa/PR
Congada da Serra do Salitre Serra do Salitre/MG
Festa da Congada em Uberlândia Uberlândia/MG

Leia mais sobre alguns temas relacionados com a nossa cultura e folclore:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.