Construtivismo nas Artes


O Construtivismo representou um movimento de vanguarda artística (artes plásticas, escultura, arquitetura, cenografia, dança, fotografia, design) que surgiu no início do século XX na capital russa, Moscovo. Durou até meados da década de 1920 e influenciou o movimento artístico da Bauhaus.

Essa vertente de influência futurista, esteve preocupada em mostrar uma nova configuração da arte, imbuídas dos aspectos da Revolução Industrial, ou seja, uma arte que rompia com o passado tradicional, trazendo à tona outras formas de apresentação, associados aos avanços técnicos e tecnológicos modernos, por exemplo, as máquinas, engenharia, eletrônica, evolução fabril, dentre outros.

Para isso, os artistas construtivistas, sobretudo os precursores e fundadores do movimento Vladimir Tatlin, Aleksandr Rodchenko, El Lissitzky e Naum Gabo, utilizaram a tridimensionalidade, o relevo, o objeto industrial, a fotografia, a tipografia e a moda para expressarem os ideais do movimento.

Embora tenha influenciado grande parte da arte moderna ocidental, no Brasil, o movimento concretista e neoconcretista foram os que mais se aproximaram do Construtivismo russo.

Para saber mais: Concretismo e Neoconcretismo

Contexto Histórico

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918), donde a Rússia teve um papel preponderante na “Tríplice Entente”, (grupo formado pela França, Inglaterra e Rússia), e a Revolução Russa (1917), que pôs fim ao regime czarista, com a abdicação do Czar Nicolau II, ambientaram o momento em que o Construtivismo despontava para aliar-se à nova configuração da sociedade socialista e pós Revolução Industrial.

Nesse contexto da industrialização, ocorre a substituição dos homens (ou das ferramentas) pelas máquinas, e sobretudo do modo de produção artesanal (doméstico) para a produção industrial (fabril), ou seja, a produção em massa.

De tal modo, a arte construtivista, inspirada nas novas conquistas da revolução operária bolchevique, liderados por Lenin (1870-1924) e Trotsky (1879-1940), tornou-se um instrumento de transformação social buscando assim, satisfazer as necessidades humanas. Promoveu uma faceta cultural durante a Revolução, no entanto, o próprio regime soviético, que sustentou e fomentou essa tendência durante anos, terminou quando Stálin chega ao poder.

Por fim, ao lado do Suprematismo, o Construtivismo representou um dos mais importantes movimentos revolucionários de vanguarda russa.

Principais Características

As principais características do movimento construtiva foram:

  • Rompimento com a arte clássica, tradicional e acadêmica
  • Utilização de outros suportes, colagens e objetos (pré-fabricados e de uso comum: madeira, plástico, ferro, vidro, arame, etc.)
  • Arte Geométrica, abstrata e tridimensional
  • Anti-arte e experimentações artísticas
  • Influência do futurismo, marxismo e racionalismo científico
  • Contrário ao naturalismo e expressionismo
  • Temas de cunho político e sociais

Principais Representantes

Os principais artistas do Construtivismo russo foram:

  • Vladimir Evgrafovič Tatlin (1885-1953): artista plástico, escultor, arquiteto e cenógrafo ucraniano.
  • Aleksandr Mikhailovich Rodchenko (1891-1956): artista plástico, escultor, designer e fotógrafo russo.
  • Lazar Markovich Lissitzky, “El Lissitzky” (1890-1941): arquiteto, designer e fotógrafo russo
  • Naum Neemia Pevsner, “Naum Gabo” (1890-1977): pintor, escultor e cenógrafo russo