Ligações Metálicas


As ligações metálicas são tipos de ligações químicas que ocorrem entre metais, as quais formam uma estrutura cristalina chamadas de “ligas metálicas” (união de dois ou mais metais).

Propriedades dos Metais

Na tabela periódica, os metais são os elementos da Família I A, chamados de Metais Alcalinos (lítio, sódio, potássio, rubídio, césio e frâncio) e os elementos da Família II A, os Metais Alcalino-Terrosos (berílio, magnésio, cálcio, estrôncio, bário e rádio).

Além disso, no bloco B (grupo 3 ao 12), tem-se a categoria dos “Metais de Transição”, por exemplo, o ouro, prata, cromo, ferro, manganês, níquel, cobre, zinco, platina, dentre outros.

Já os mais importantes elementos que compõem os “Metais Representativos”, são: alumínio, gálio, índio, estanho, tálio, chumbo, bismuto.

Observe que os metais são encontrados na natureza no estado sólido (exceto o mercúrio encontrado no estado líquido), possuem brilho característico bem como a facilidade de perderem elétrons.

Ademais, são considerados bons condutores elétricos e térmicos (calor), possuem densidade elevada, alto ponto de fusão e ebulição, maleabilidade e ductibilidade.

Teoria da Nuvem Eletrônica

Também denominada de “Teoria do Mar de Elétrons”, a Teoria da Nuvem eletrônica determina o fluxo de elétrons de modo que nas ligações metálicas ocorrem a liberação de elétrons, os quais formam cátions (íons de carga positiva), os chamados “elétrons livres”.

Em outras palavras, os elétrons mais externos, uma vez que estão mais distantes do núcleo do átomo, movimentam-se livremente formando uma “nuvem” ou um “mar” de elétrons

Esse modelo confere a propriedade de maleabilidade e ductibilidade dos metais uma vez que esses elementos correspondem a um conglomerado de átomos neutros e cátions, imersos numa nuvem ou “mar” de elétrons livres, formando, assim, as ligações metálicas as quais mantém os átomos unidos por meio de um retículo cristalino.

Ligas Metálicas

A “Idade dos Metais”, última fase da pré-história, foi caracterizada pela descoberta e dominação dos metais pelos homens, seja na confecção de artefatos, armas ou ferramentas.

Posteriormente, expandiu-se o conhecimento sobre as técnicas de fundição e, a partir disso, os metais tornaram-se elementos essenciais na construção da humanidade.

Asligas metálicas, constituídas por dois ou mais tipos de metais, e formadas através das ligações metálicas, são utilizadas na confecção de muito produtos. desde fios, lâmpadas, estruturas de carros, bicicletas, viadutos, eletrodomésticos, dentre outros. A seguir, apresentamos alguns exemplos mais notórios das ligas metálicas:

  • Aço Comum: liga metálica muito resistente composta de ferro (Fe) e carbono (C), utilizada nas construções de pontes, fogão, geladeira, dentre outras.
  • Aço Inoxidável: Composta de ferro (Fe), carbono (C), cromo (Cr) e níquel (Ni). Diferente do aço comum, essa liga metálica não sofre oxidação, ou seja, não enferruja, sendo utilizada na construção de vagões de metrô, trens, fabricações de peças automotivas, utensílios cirúrgicos, fogões, pias, talheres, dentre outras.
  • Bronze: Liga metálica formada por cobre (Cu) e estanho (Sn), utilizada na construção de estátuas, fabricação de sinos, moedas, dentre outras.
  • Latão: Constituída de cobre (Cu) e zinco (Zn), esse tipo de liga metálica é muito utilizada na fabricação de armas, torneiras, dentre outras.
  • Ouro: Na fabricação de joias, o ouro não é empregado em sua forma pura, ou seja, da forma encontrada na natureza; assim, a liga metálica formada para a fabricação de joias é composta de 75% de ouro (Au) e 25% de cobre (Cu) ou prata (Ag). Observe que para a confecção de joias de ouro 18 quilates, utilizam-se 25% de cobre, enquanto que o ouro chamado de 24 quilates é considerado “ouro puro”. Além disso, a liga metálica composta de ouro é utilizada na fabricação de veículos espaciais, acessórios de astronautas, dentre outros.

Leia mais: Forças Intermoleculares.