Os Sete Povos das Missões


A região de Sete Povos das Missões resultou da estratégia do governo espanhol para a colonização da região do Rio da Prata, na América Espanhola.

Os Sete Povos das MissõesRuínas em São Miguel Arcanjo. Foto: Governo do Rio Grande do Sul

Localização

As regiões eram formadas por São Francisco Borja, fundada em 1682, São Nicolau (1687) e São Luiz Gonzaga (1687). Eram integradas, ainda, por: São Miguel Arcanjo (1687), São Lourenço Mártir (1690), São João Batista (1697) e Santo Ângelo Custódio (1707).

As missões, também chamadas de reduções, foram fundadas e organizadas por padres da Companhia de Jesus. As 30 reduções ocupavam os atuais territórios de Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai. Em tais missões havia índios de diversas etnias, mas a maioria era guarani.

Os índios guarani foram os primeiros a sentir o impacto do europeu com a chegada dos padres jesuítas espanhóis em 1626.

Os jesuítas chegaram à região com o objetivo de catequizar e "civilizar" sob a autoridade espanhola. A permanência, contudo, era conflituosa. Durante século XVII, eram comuns as batalhas travadas entre bandeirantes e indígenas.

Os conflito eram marcados pela destruição das missões e pelos primeiros êxodos dos guarani. Nos períodos de paz, os indígenas retornavam ao local de origem com o apoio dos jesuítas.

Entre os desafios dos padres jesuítas estavam os de convencer os índios de que precisavam ser sedentários e monogâmicos. Os guarani são nômades e poligâmicos. Além disso, são politeístas.

Alguns grupos ainda praticavam o canibalismo em cerimônias fúnebres até o início da colonização.

As missões sofreram sucessivos ataques, principalmente pelos mercadores de escravos. Como estratégia para livrar os índios, em 1818, os jesuítas propuseram que os indígenas se tornassem vassalos do rei.

Os índios também recebiam treinamento militar. A estratégia foi aplicada porque a área não estava demarcada de maneira clara e foi alvo de disputa entre as coroas portuguesa e espanhola.

Havia dois tipos de missões. As missões orientais estavam nos territórios a leste do rio Uruguai, na região que hoje é fronteira com o Brasil. As missões ocidentais estavam na região que hoje é ocupada pela Argentina, nas margens do rios Paraná e Paraguai.

No auge, a região de Sete Povos das Missões comportou 30 mil pessoas. Todos eram indígenas, mas os padres espanhóis os administradores.

Leia também:

Tratado de Madri

A permanência das missões esteve no centro de sucessivas disputas territoriais entre Portugal e Espanha.

Os conflitos começaram em 1680 e perduraram até 1750, quando foi assinado o Tratado de Madri. O acordo redefinia a posse do território. Previa que a Espanha deveria entregar a região de Sete Povos das Missões.

Portugal entregaria a área da província de Sacramento, na Argentina.

Saiba mais sobre o Tratado de Madri.

Guerra Guaranítica

Os indígenas foram contrários aos termos do tratado e não aceitaram sair do território. Em 1754, quando Portugal foi tomar posse do regiao, contou com o auxílio do exército espanhol para fazer cumprir as determinações do acordo.

Na luta contra os indígenas, 20 mil indígenas morreram.

Tratado de Santo Ildefonso

O Tratado de Santo Ildefonso foi assinado em 1º de outubro de 1777 entre Portugal e Espanha como forma de revalidar o Tratado de Madri.

A assinatura do acordo encerrava a disputa dos dois países pela colônia de Sacramento. Pelo acordo, os espanhóis mantinham a colônia e a região dos Sete Povos das Missões. Eles devolveram aos portugueses Santa Catarina e reconheceram a soberania lusa sobre a margem esquerda do rio da Prata.

Curiosidades

A gestão governamental das missões obedecia à organização das cidades espanholas. Cada uma possuía um chefe superior e havia prefeitos e vereadores. Ambos formavam um conselho. Todos os cargos eram exercidos por indígenas.

Na organização social imposta pelos jesuítas, não havia propriedade particular. As ferramentas para o trato da terra era de uso coletivo.

Sob o comando dos religiosos, os indígenas aprenderam a lidar com a terra, criar animais e a esculpir a madeira. A sociedade era dividida em classe conforme o ofício e os artistas tinham status de nobreza.

A Coroa portuguesa permitia a escravidão indígena, enquanto o Império espanhol os tornava automaticamente súditos do rei

As missões foram constantemente atacadas por bandeirantes em busca de escravos para as colônias

Turismo

Os municípios gaúchos que integram a região onde estavam instalados os Sete Povos das Missões são alvo constante da busca de turistas.

Nas regiões, empresas de turismo e o executivo municipal promovem passeios nas chamadas "Rotas das Missões". O objetivo é refazer o caminho dos indígenas, promover a contemplação da natureza e visitar sítios arqueológicos.

Dica de Filme

O filme "A Missão" está entre as principais obras que destacam os efeitos da disputa entre portugueses e espanhóis pelo território de Sete Povos das Missões.

A obra inglesa retrata o drama dos indígenas que fugiam da escravidão portuguesa e permaneciam no centro da batalha territorial. Dirigido por Roland Joffé, foi lançado em 1986.

Dica de Documentário

O Senado Federal lançou em 2013, o documentário "Missões Jesuíticas - Guerreiros da Fé". Dividido em três partes, o documentário elenca especialistas que analisam os efeitos da presença dos padres da Companhia de Jesus na região.

Quer saber mais sobre esse tema? Leia: