Perestroika e Glasnost


Perestroika e Glasnost foram as políticas reformistas levadas a cabo pelo Secretário-Geral do Partido Comunista da URSS, Mikhail Gorbachev, de 1985-1991.

URSSLoja desabastecida na Rússia em 1991.

Perestroika

Perestroika ou “reestruturação” consistia em acabar com a centralização econômica instaurada por Lenin depois da Revolução Russa, em 1917.

A economia soviética era planificada pelo Estado, não existia a propriedade privada e os preços dos produtos industrializados e agrícolas eram estabelecidos pelo governo.

Desta maneira, não havia concorrência e se as pessoas não passavam fome, tampouco havia variedade ou abundância.

Igualmente, a maior parte dos investimentos ia para a indústria pesada de armas e para a guerra contra o Afeganistão.

Leia sobre a Guerra do Afeganistão.

Gorbachev, aos poucos, abre o mercado soviético com as seguintes medidas:

  • redução de subsídios à economia
  • fim do planejamento econômico estatal,
  • liberalização do comércio exterior,
  • eliminação dos limites de fabricação de produtos,
  • autorização de importação de produtos estrangeiros,
  • redução de fabricação de armamentos.

A Perestroika fracassou em abrir a economia russa por vários fatores.

O primeiro foi a resistência dos políticos liberais e dos comunistas em aceitar estas medidas. Segundo, a indústria russa estava muito defasada em relação à Ocidental e, de repente, se viu sem subsídios.

Finalmente, com a desorganização do campo, seguiu-se o desabastecimento de alimentos causando revolta na população.

Glasnost

Glasnost ou "transparência" foi a política que visava aproximar a população das decisões políticas da União Soviética. Também buscava combater a corrupção entre os membros do Partido Comunista.

Essas medidas contribuíram para o fim da União Soviética, pois o povo teve espaço para discutir as mudanças que estavam sendo operadas naquele momento.

Assim podemos citar as principais medidas da Glasnost:

  • anistia aos presos políticos,
  • fim oficial do Gulag,
  • fim da censura aos jornais e a artistas,
  • liberdade para grupos religiosos
  • fim do sistema de partido único
  • reabilitação das vítimas do governo de Stalin.
Fim da URSS
Charge publicada em dezembro de 1991.

Consequências da Perestroika e da Glasnost

Em 1988, quando discursava na ONU, Gorbachev declarou que todas as nações deveriam ser livres para escolher seu destino sem interferência externa. Estas palavras tiveram um efeito inesperado nos países do Leste Europeu.

No ano seguinte, o regime comunista caiu de forma pacífica na Polônia, Hungria, Alemanha Oriental, Checoslováquia e Bulgária.

Somente na Romênia houve enfrentamento entre o Exército e a população e a execução do presidente Nicolai Ceausescu e sua esposa.

No final de 1989, com a queda do Muro de Berlim, começariam as discussões que resultariam na reunificação da Alemanha em Outubro de 1990.

Quanto à União Soviética, enfrentaria a rebelião de várias repúblicas que haviam sido anexadas como Estônia, Lituânia e Letônia.

Submetido a referendo, os soviéticos decidem pelo seu fim em 1991 e Gorbachev renuncia à presidência da república no final daquele ano.

Saiba tudo sobre o fim da URSS e a vida de Mikhail Gorbachev.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.