Tartaruga-de-couro

Lana Magalhães

A tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea) é a maior espécie de tartaruga marinha, por isso é também conhecida como tartaruga gigante.

Sua carapaça, também conhecida como casco, possui a coloração preta ou cinza com pequenas manchas brancas. A textura e aparência assemelha-se com couro, daí o nome da espécie.

Características gerais da tartaruga-de-couro

Tartaruga-de-couro
Tartaruga-de-couro

A tartaruga-de-couro faz parte do grupo dos répteis. Ela possui cerca de 1,78 metros de comprimento de carapaça, além das nadadeiras dianteiras que auxiliam na natação e podem atingir mais de 2 metros.

Seu peso médio é de 400 kg, mas registros apontam que algumas podem chegar a pesar 700 kg.

Sua carapaça é formada por um conjunto de pequenas placas ósseas que se assemelham ao couro, surgindo aí seu nome. Além disso, ela possui uma camada de pele fina e resistente junto à carapaça.

A cabeça é considerada pequena quando comparada ao restante de seu corpo. Suas mandíbulas são em formato de W, possuindo lâminas afiadas para a captura de águas-vivas.

A alimentação da tartaruga-de-couro é composta basicamente por zooplâncton, celenterados e salpas. Elas consomem diariamente o equivalente ao seu próprio peso.

Os predadores da tartaruga-de-couro são as baleias e os tubarões.

Leia também sobre:

Distribuição geográfica da tartaruga-de-couro

distribuição geográfica tartaruga-de-couro
Distribuição geográfica da tartaruga-de-couro

A tartaruga-de-couro é uma espécie amplamente distribuída, ela habita os oceanos tropicais e temperados de todo o mundo.

Ela vive a maior parte do tempo na zona oceânica, onde podem ser encontradas até 1000 m de profundidade. A tartaruga-de-couro só vem ao litoral na época da reprodução.

Reprodução da tartaruga-de-couro

filhotes de tartaruga-de-couro
Filhotes de tartaruga-de-couro

A reprodução das tartarugas-de-couro ocorre de forma periódica de dois ou três anos. Em cada ciclo reprodutivo, podem desovar até sete vezes, sendo que cada desova podem ser produzidos até 100 ovos.

Ao depositar os ovos na areia, a fêmea faz um ninho com cerca de 1 m de profundidade e 20 cm de diâmetro. Entretanto, os ovos podem ser predados por caranguejos e lagartos. Também é comum a coleta dos ovos por humanos para a venda.

A temperatura da areia determina o sexo das tartarugas. Temperaturas mais altas favorecem o surgimento de fêmeas.

No Brasil, registros apontam aproximadamente 120 ninhos por temporada de desova. Ela possui uma área de desova regular no litoral do estado do Espírito Santo.

Risco de extinção da tartaruga-de-couro

A tartaruga-de-couro é considerada uma espécie vulnerável à extinção. Em alguns locais, como no Brasil, já é considerada criticamente em perigo.

Entre os motivos que levaram a tartaruga-de-couro ao risco de extinção estão: a intensa coleta dos seus ovos e a captura acidental na pesca.

Outro motivo relacionado com a morte de tartarugas-de-couro é a presença de lixo nos oceanos, pois esses animais acabam ingerindo plásticos ou outros resíduos sólidos por confundi-los com alimentos. Por não conseguirem realizar a digestão, acabam morrendo.

Existem outras duas tartarugas marinhas também em risco de extinção, a tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata) e a tartaruga-verde (Chelonia mydas).

Leia também sobre:

Curiosidades sobre a tartaruga-de-couro

  • A tartaruga-de-couro pode viver até 300 anos.
  • O maior indivíduo de tartaruga-de-couro já encontrado pesava mais de 900 kg.
  • Em alto-mar, as tartarugas-de-couro podem atingir até 35 km/h.
Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.