Cordados

Lana Magalhães

Os cordados representam o grupo de animais do filo Chordata. São representados por alguns invertebrados aquáticos e todos os vertebrados: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

A característica principal deste filo é que durante a fase embrionária todos apresentam tubo nervoso dorsal, notocorda, fendas faringianas e cauda pós-anal.

Além disso, são animais triblásticos, enterocelomados, metamerizados, deuterostômios, com simetria lateral e apresentam sistema digestório completo.

Classificação dos Cordados

Existem cerca de 45 mil espécies de cordados conhecidas, distribuídas em três subfilos: Urochordata (Urocordados), Cephalochordata (Cefalocordados) e Craniata ou Vertebrata.

Os urocordados e cefalocordados não possuem crânio e coluna vertebral, são invertebrados. Provavelmente, são os cordados mais primitivos e podem ser chamados de Protocordados (do grego protos, primeiro, primitivo).

Os craniatas são todos os vertebrados e representam cerca de 98% das espécies deste filo.

Sub-filo Urochordata (Urocordados)

São animais marinhos sésseis que podem viver isolados ou em colônias. Geralmente, são encontrados grudados em rochas ou em algas maiores. Seu tamanho pode variar de alguns milímetros até 10 centímetros.

Seus representantes são as salpas e ascídias.

Agrupamento de indivíduos de salpas em ambiente marinho
Salpas

Indivíduos de ascídias em ambiente marinho

Ascídias

Anatomia

O corpo é revestido por um envoltório espesso, denominado de túnica, constituída do polissacarídeo tunicina. Devido este revestimento também podem ser chamados de tunicados.

A túnica apresenta duas aberturas: o sifão inalante, por onde a água penetra o corpo do animal e o sifão exalante, por onde a água retorna ao ambiente.

Alimentação

Para a alimentação filtram plânctons do ambiente, que aderem a um muco produzido em um sulco da faringe, o endóstilo, e dirigem-se até o estômago e intestino, onde os nutrientes são absorvidos. Os resíduos são eliminados pelo ânus, que abrem-se no sifão exalante.

Respiração e Circulação

Através dos sifões a água passa continuamente pelo corpo, transportando oxigênio aos tecidos corporais e levando o gás carbônico e excreções para o exterior.

O sistema circulatório é parcialmente aberto e o sangue penetra em grandes bolsas sanguíneas, denominadas sinusóides, onde acontecem as trocas gasosas.

Sistema Nervoso

Durante a fase de larva existe o tubo nervoso, localizado dorsalmente, de onde partem nervos para diversos órgãos. Na fase adulta, esta estrutura reduz-se a um gânglio nervoso localizado sob a faringe, de onde partem os nervos.

Reprodução

Apresentam reprodução sexuada, sendo a maior parte da espécies monóica (hermafrodita). Algumas podem ter reprodução assexuada por brotamento.

Subfilo Cephalochordata (Cefalocordados)

São animais marinhos de corpo achatado lateralmente e afilado nas extremidades. Medem poucos centímetros. Enterram-se na areia, em posição vertical e deixam apenas a boca exposta, mas podem nadar em águas rasas.

Em geral, sua anatomia se assemelha a de um peixe. Porém, não possuem uma cabeça diferenciada.

Uma característica marcante deste grupo é a presença de uma boca, rodeada por filamentos, chamados de cirros bucais.

Um representante de anfioxo
Anfioxo

Alimentação

Os cefalocordados filtram a água que passa pelo seu corpo através da faringe. As partículas de alimentos presentes na água aderem ao muco produzido em um sulco da faringe, o endóstilo. Este muco, com o auxílio de células ciliadas segue até o intestino, onde ocorre a digestão, já que não existe estômago.

Respiração e Circulação

Os cefalocordados possuem sistema circulatório fechado. A nutrição e oxigenação das células são garantidas pela presença de um coração na região ventral, dos capilares sanguíneos juntos aos tecidos e dos sinusóides.

Quando o sangue circula pela rede de capilares ocorrem as trocas gasosas com a água que passa pelas fendas faringianas. O gás oxigênio e alimentos são distribuídos às células e o gás carbônico e excreções são recolhidos.

Sistema Nervoso

Consiste em um tubo nervoso dorsal de onde partem ramificações para todo o corpo.

Reprodução

Apresentam reprodução sexuada e são dióicos. As gônadas não possuem ductos, assim, quando maduras rompem e liberam os gametas em uma cavidade denominada átrio, entre o tubo digestório e a cavidade do corpo.

A partir daí, os gametas saem do corpo e ocorre a fecundação externa.

Subfilo Craniata

São os animais vertebrados. Uma característica marcante dos craniados é a presença de um endoesqueleto. Esta estrutura protege o sistema nervoso central e permite a movimentação do corpo, integrando-se ao sistema muscular.

Classificação do Subfilo Craniata

A classificação dos vertebrados não é uma unanimidade entre os cientistas.

Tradicionalmente, existem duas superclasses:

A Agnatha (animais sem mandíbula na boca), com poucas espécies e duas classes:

  • Myxine (peixes-bruxas)
  • Petromyzontida (lampreias).

E Gnathostomata (animais com mandíbula), com variadas espécies.

Entre os gnatostomados as principais classes são:

  • Chondricthyes: peixes cartilaginosos (tubarões, raias, cações e quimeras);
  • Actinopterygii ou Osteicthyes: peixes ósseos (sardinha, cavalo-marinho, bagre, baiacu, entre outros);
  • Actinistia ou Sarcopterygii: peixes de nadadeiras lobadas (celacantos);
  • Dipnoi: peixes pulmonados (piramboia);
  • Amphibia: anfíbios (sapos, rãs, pererecas, salamandras);
  • Reptilia: répteis (cobras, lagartos, jacarés, tartarugas, entre outros);
  • Aves: aves (galinhas, tucanos, avestruz, patos, entre outros)
  • Mammalia: mamíferos (macacos, cavalos, bois, elefantes, cães, seres humanos, entre outros).

Leia mais sobre o Reino Animal.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.