Narcotráfico


O narcotráfico é uma atividade ilícita praticada para a comercialização de entorpecentes. Em outros termos, o narcotráfico absorve um poder paralelo, baseado numa economia ilegal, os quais abalam a estrutura político-administrativa do local, além de gerar demasiada violência e corrupção, com a presença do crime organizado. Atualmente, o narcotráfico representa um negócio altamente lucrativo, o que dificulta as ações e projetos que visam o combate ao tráfico de drogas.

Estrutura do Narcotráfico

O narcotráfico trata-se de um negócio muito lucrativo, que conta com forte e sofisticada infraestrutura, desde aeroportos, armazéns de carga, laboratórios, armamentos modernos, pessoas especializadas, dentre outros. Todo esse esquema é protegido por uma grande força armada (exército particular) e, em muitos casos, há envolvimentos de figuras públicas do poder político.

Narcotráfico no Brasil

No Brasil, o narcotráfico tem sido uma atividade muito praticada e a dificuldade, bem como a falta de fiscalização num país que apresenta dimensões continentais, tem sido determinante para o aumento da atividade dos narcotraficantes, de modo que implementam essa atividade como base para a lavagem de dinheiro e ainda, refugiar alguns traficantes em fuga (muitos deles chefões do tráfico na América Latina).

O Brasil é importante rota na passagem de drogas que seguem para a Europa, sendo que as drogas mais consumidas no país é a maconha e a cocaína, dos quais são importadas dos países latinos. O Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína do mundo

Narcotráfico no Mundo

O mercado do narcotráfico é considerado um dos mais lucrativos do mundo e por isso, tornou-se uma questão e um problema mundial. Diversos países da América Latina lideram o ranking do narcotráfico mundial, entretanto, a Colômbia é o principal centro de comando dessa atividade e o maior produtor mundial de cocaína.

Nas últimas décadas, o narcotráfico tem se multiplicado, gerando um grande mercado de consumo, o qual constitui um dos fortes sustentáculos da economia de muitos países andinos.

Na América Latina, há muitas rotas de distribuição de drogas, sendo o maior destino o continente europeu, seguido do asiático. Com isso, para abastecer o mercado interno e externo, a Colômbia, Bolívia e Peru produzem cocaína, enquanto o Paraguai fica encarregado da produção de maconha.

Além da produção de coca (planta da qual se produz a cocaína), em algumas regiões, por exemplo, na Colômbia, também há o cultivo de papoula, planta a partir da qual se produz outros entorpecentes: o ópio e a heroína.

No América do Norte, o México ocupa uma posição de destaque no narcotráfico, sendo um dos países que mais produzem droga no mundo e ademais, serve de porta de entrada para as drogas vindas da Colômbia com destino aos Estados Unidos. Na América do Norte, os Estados Unidos, lidera o consumo mundial de cocaína (cerca de 6 milhões de usuários), sendo um forte produtor de maconha e heroína.

No continente asiático, o narcotráfico se destaca, sobretudo, com a produção de ópio, heroína e haxixe, com destaque para o cultivo de papoula e cannabis nos países: Afeganistão, Irã, Paquistão, Mianma, Tailândia, Índia, Nepal e Laos. Desses países, o Afeganistão, destaca-se por ser o maior produtor de ópio do mundo. Na África, o maior mercado produtor do haxixe é Marrocos e na América é a Jamaica.

Leia mais: