Rio Grande do Norte


O Estado do Rio Grande do Norte fica na região Nordeste do Brasil. A capital é Natal e a sigla RN.

  • Área: 52.811,126
  • Limites: o Rio Grande do Norte limita-se ao oeste com o Ceará, ao sul com a Paraíba e leste com o oceano Atlântico
  • Número de municípios: 167
  • População: 3,4 milhões de habitantes é a estimativa do IBGE para 2015
  • Gentílico: quem nasce no Rio Grande do Norte é potiguar (comedor de camarão em tupi)
  • Principal cidade: Natal

Rio Grande do NorteBandeira do Estado do Rio Grande do Norte

História

O território que hoje corresponde ao Estado do Rio Grande do Norte foi alvo de disputas com os franceses, que invadiram a região em 1535. Somente ao fim do século XVI, os colonizadores portugueses passaram a ocupar a região, por conta da expulsão dos invasores da França.

Após a vitória, em 1598, foi construída uma fortaleza, denominada Fortaleza dos Reis Magos. O objetivo da construção era fixar um ponto de defesa para as posses da Coroa portuguesa. Esse ponto originou a cidade de Natal.

A partir de 1633, a região foi ocupada por holandeses, que permaneceram na área por duas décadas.

Os holandeses contaram com apoio dos indígenas e desenvolveram diversas atividades, como a exploração do sal, criação de gado e o plantio da cana-de-açúcar. Em 1654, os invasores foram expulsos e houve resistência por parte dos indígenas.

Os nativos se rebelaram e não aceitavam o regime de escravidão a qual eram submetidos pelos colonizadores. A rebelião, denominada Confederação dos Cariris, durou até o fim do século XVII.

Entenda melhor, leia: Escravidão indígena no Brasil.

A região que correspondia à Capitania do Rio Grande do Norte foi transferida para a capitania de Pernambuco em 1701.

O estado de subordinação durou até 1824, quando o estado foi elevado à categoria de província. A denominação político-geográfica de estado ocorreu em 1889, com a Proclamação da República.

Complemente sua pesquisa:

Cultura

A principal herança do artesanato português na cultura potiguar é a renda de bilro. Trançadas em pequenas almofadas, as rendas originam peças únicas e que remetem diretamente à região.

Comidas Típicas

Português e indígena se misturam nos sabores típicos do Rio Grande do Norte. O prato mais conhecido da região é a carne de sol com macaxeira.

Também é marcante o siri cozido no leite de coco e a tapioca. Têm sabor especial as frutas da região, que são servidas com queijo coalho ou manteiga. É dessa maneira que se apresentam coco, mamão, jaca, caju e goiaba.

Turismo

O turismo é o principal indutor da economia potiguar. A atividade gera 100 mil empregos diretos e influencia no ordenamento de mais 54 pontos da cadeia produtiva. A região conta com 400 km de litoral, oferecendo praias, além de dunas e cavernas.

O forte da estrela, fundado em 25 de dezembro de 1599, é uma construção imponente que concentra intensa atividade turística.

O patrimônio histórico e as belezas naturais recebem o incremento de festas típicas e festivais gastronômicos.

Leia também: Cultura do Nordeste, Economia da Região Nordeste.

Aspectos geográficos

O Rio Grande do Norte está localizado em uma longa extensão de planalto ao norte. Há maciços isolados nas regiões sul e oeste.

No estado existem sete zonas distintas, a salineira, o litoral, a agreste, o centro-norte, o seridó, a chapada do Apodi e Serrana.

Clima

O clima é semi-árido na maior parte do estado. A temperatura varia entre 20º C e 27º C ao longo do ano. É uma das zonas mais secas do País.

Hidrografia

Entre as características da hidrografia do Rio Grande do Norte está a presença de rios temporários. Isso ocorre devido à escassez de chuvas.

Os rios mais importantes são o Mossoró, Apodi Assu, Piranhas, o Potengui, o Trairi, o Jundiaí, o Jacu, o Seridó e o Curimataú.

Saiba mais:

Curiosidades

O Rio Grande do Norte foi escolhido diversas vezes como sede de experiências militares, principalmente da Marinha. A escolha resulta da posição geográfica privilegiada, sendo a costa mais próxima à Europa;

No período da Segunda Guerra Mundial, o governo norte-americano construiu na região a "Ponte do Atlântico para a África".