Economia da Região Nordeste


A economia da Região Nordeste do Brasil é a terceira maior do país, atrás da Região Sudeste e Sul respectivamente. A economia do Nordeste foi a que apresentou o maior crescimento nos últimos anos.

Em 2012 o produto interno bruto cresceu 3%, mais que o triplo da média do país. É na Região Nordeste que vive mais de um quarto da população brasileira.

A economia da Região Nordeste é baseada na agricultura, extrativismo vegetal e mineral, na indústria e comércio, nas atividades turísticas, entre outras.

Agricultura

Na Região Nordeste se desenvolve a agricultura da cana de açúcar, para a produção de açúcar e etanol, na Zona da Mata, região que se estende numa faixa litorânea, que vai do Rio Grande do Norte até o sul da Bahia, com destaque para os estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba.

A região já foi a mais importante área produtora de cana de açúcar do mundo e a principal região econômica do Brasil nos séculos XVI e parte do século XVII.

A cultura do milho, feijão, café, mandioca, coco, castanha de caju, banana, sisal e algave, predomina em diversos estados.

O Meio Norte (Nordeste Ocidental) uma área de transição entre o Sertão semi árido e a Amazônia úmida, onde estão os estados do Maranhão e Piauí, é cortado por vários rios, ao longo dos quais se formam grandes planícies fluviais, aproveitadas principalmente para a cultura do arroz.

Com a correção do solo do cerrado no sul do Maranhão e sudeste do Piauí, se desenvolve a cultura da soja. A Bahia é o segundo produtor nacional de laranja e algodão do país.

Se destaca também na produção de soja. A cultura do algodão é também desenvolvida no Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e a Paraíba, que produz um algodão naturalmente colorido.

A fruticultura irrigada, beneficiada pelo clima tropical, é desenvolvida no Vale do Rio Açu, no Rio Grande do Norte, com grande produção de melão, melancia etc., e no Vale Médio do rio São Francisco, no Sertão, principalmente nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), onde são produzidas uva, manga, melão, abacaxi, mamão etc., que são vendidas para o mercado interno e exportadas, através do aeroporto internacional de Petrolina, para diversos países.

Extrativismo vegetal e mineral

No setor de extração, o Nordeste se destaca na produção de petróleo, e gás natural, produzidos na Bahia, Sergipe e Rio Grande do Norte, Piauí e Ceará. Na Bahia é explorado no litoral e na plataforma continental.

O Rio Grande do Norte produz 95% do sal marinho consumido no Brasil. Pernambuco é responsável por 95% do total do gesso brasileiro.

O Nordeste possui também jazidas de granito, pedras preciosas e semi preciosas. A mina de Itataia, em Santa Quitéria, no Ceará, possui uma das maiores reservas de urânio do mundo.

O babaçu, encontrado no Piauí e em grande parte do território do Maranhão, é importante para a região, de sua semente se extrai um óleo utilizado na fabricação de sabão, margarina, cremes, de suas folhas se fabrica cestas, esteiras etc.

A carnaúba, palmeira típica, encontrada no norte dos estados do Piauí e Maranhão, da qual tudo se aproveita, das folhas se produz a cera de carnaúba, com larga aplicação industrial.

Indústria

A Região Nordeste vive intenso processo de industrialização. O Complexo Industrial Portuário de Suape, localizado na cidade de Ipojuca, em Pernambuco, a 40 km ao sul da cidade do Recife, é um dos principais polos de investimentos do país.

São mais de 120 empresas instaladas, entre elas, a Refinaria Abreu e Lima, o Estaleiro Atlântico Sul, a Petrobras Distribuidora S/A, a Shell do Brasil S/A, a Arcor do Brasil Ltda, a Bunge Alimento etc.

O Polo Automotivo de Pernambuco, localizado na Mata Norte do estado, recebe a instalação da fábrica da Fiat.

Ao redor do Recife, na Região Metropolitana, estão instaladas indústrias mecânicas, de papel, de produtos alimentícios, de cimento, têxtil, de material elétrico e outras.

O Polo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, tem mais de 90 empresas químicas e petroquímicas instaladas.

Em Mataripe, na Bahia está instalada a refinaria de petróleo Landulpho Alves. Fortaleza constitui um centro industrial nos setores têxtil, alimentar, de calçados e de confecção de roupas.

A Rota do Vinho, no Vale do Rio São Francisco, com sete vinícolas instaladas nas cidades de Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande, todas em Pernambuco e Juazeiro, na Bahia, concentra um polo industrial e turístico, com toda a infraestrutura para os visitantes.

Leia também: Recôncavo Baiano.

Turismo

A atividade turística do Nordeste é um fator importante para a economia da região.

A região concentra grandes áreas repletas de belezas naturais como o extenso litoral, com praias de águas quentes e cristalinas, que estão entre as mais bonitas do país, o Arquipélago de Fernando de Noronha (PE), um paraíso ecológico, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, os Canyons do São Francisco entre outros.

Na Região Nordeste estão localizadas cidades históricas, Patrimônio da Humanidade, como os centros históricos de Olinda (PE), São Luís (MA) e Salvador(BA).

A cidade de João Pessoa guarda construções barrocas do século XVI. O centro histórico do Recife concentra um grande número de construções históricas.

O teatro de Nova Jerusalém (PE), o maior teatro ao ar livre do mundo, já levou para a região mais de três milhões de pessoas.

Saiba mais sobre a Região Nordeste.

Economia da Região Norte