Aedes aegypti

Lana Magalhães

Aedes aegypti é o nome científico do mosquito que transmite a dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Essas doenças são chamadas de arboviroses.

O seu nome significa "odioso do egito", derivado do latim e do grego. Ele é originário da África e atualmente está espalhado por todo mundo, sendo mais numeroso nos países tropicais, devido ao clima favorável ao seu desenvolvimento.

Que mosquito é o Aedes aegypti?

Aedes aegypti
Aedes aegypti sobre a pele humana

O Aedes aegypti é um inseto, da família Cullicidae, que possui uma característica que o diferencia dos demais: a presença de listras brancas no tronco, cabeça e pernas.

As fêmeas são hematófagas, o que significa que se alimentam-se de sangue, enquanto os machos alimentam-se de frutos.

Acredita-se que o mosquito da dengue, como também é chamado, tenha chegado ao Brasil junto com as embarcações que traziam os escravos na época da colonização.

Hoje, encontra-se amplamente distribuído e muito bem adaptado ao país, o que torna mais difícil o seu controle e exige medidas mais efetivas do governo e ajuda da população.

Ciclo de vida do Aedes aegypti

ciclo de vida do Aedes aegypti
Ciclo de vida do Aedes aegypti

O mosquito da dengue, assim como outros insetos, passa por uma metamorfose no seu ciclo de vida. A fêmea precisa se alimentar de sangue (de um animal ou ser humano) para completar seu desenvolvimento e, em seguida, procura um lugar para depositar seus ovos.

A fêmea pode botar cerca de cem ovos por vez, e geralmente ela escolhe diferentes locais para garantir que eles vinguem. Ela não põe os ovos dentro da água e sim na borda, de modo que haja calor e umidade suficientes para a eclosão dos ovos.

Se por algum motivo não houver água suficiente para os ovos eclodirem, eles podem permanecer adormecidos por até um ano e eclodem assim que houver a quantidade de água suficiente.

Assim que os ovos eclodem, as larvas vão para a água, representando a fase aquática no ciclo de vida do mosquito. Elas passam ao estágio de pupa ainda na água e quando completam o desenvolvimento sai um inseto adulto pronto.

Quais doenças o mosquito transmite?

O Aedes aegypti é transmissor de algumas doenças. Porém, é importante ressaltar que somente os mosquitos infectados transmitem a doença.

As principais doenças transmitidas pelo Aedes aegypti são: febre amarela, dengue, zika e chikungunya.

Conheça sobre cada uma dessas doenças a seguir.

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus e transmitida através da picada do mosquito.

Os sintomas são: febre alta, mal estar, dores musculares, dor de cabeça e calafrios. Não há tratamento específico, sendo recomendado apenas repouso e hidratação.

Dengue

A dengue causa febre alta súbita, dor de cabeça, dor no corpo e articulações, náuseas e vômitos, também podem haver manchas vermelhas no corpo e coceira.

A doença tem uma forma mais grave, de evolução rápida, que produz hemorragias e pode levar à morte. Assim que aparecerem os sintomas, o doente deve procurar o médico para confirmar a suspeita e cuidar adequadamente. Sem tratamento específico, deve ser feito repouso e hidratação.

Zika

A zika é uma doença recente no Brasil e que tem provocado muita preocupação, principalmente nas gestantes, pelo fato de estar sendo associada às ocorrências de microcefalia em recém-nascidos.

Apresenta sintomas leves como: febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço. Porém, em algumas pessoas, pode não aparecer nenhum sintoma.

Chikungunya

O primeiro relato de chikungunya no Brasil foi feito em 2014, no norte do pais. É uma doença que ocorre junto com a dengue e cujos sintomas se confundem: febre alta súbita, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo com coceira intensa e dor forte nas articulações com inchaço.

A doença pode se agravar em pessoas mais velhas, ou com doenças crônicas e autoimunes.

Como se prevenir do Aedes aegypti?

cuidados contra o Aedes aegypti
Ações para combater o Aedes Aegypti

Conhecer a ecologia do mosquito é importante para prevenir-se dele. É extremamente importante eliminar os focos para controlar a sua reprodução e proliferação, sendo essa a melhor forma de evitar as doenças que ele causa.

Conheça a seguir algumas informações sobre como ele vive e se comporta:

  • É um mosquito urbano, que prefere viver dentro de casa, mesmo em andares um pouco mais altos ele consegue chegar. Pode ser encontrado tanto em áreas urbanas como rurais.
  • Diferente de outros mosquitos que após picar fazem repouso, o Aedes pode picar muitas pessoas seguidamente, por isso as doenças se espalham tão rapidamente.
  • Precisa de água limpa e parada para pôr seus ovos, mas também pode fazer a postura em locais com mais matéria orgânica, ou seja, que pareça suja.
  • Os ovos podem ser depositados em qualquer local que acumule água como: pneus, baldes, plantas ou até mesmo um tampinha de refrigerante.
  • Possui hábitos diurnos, mas por ser oportunista, se não conseguir alimento durante o dia pode picar à noite, ou qualquer outra hora do dia.
  • Quem pica as pessoas é a fêmea, pois ela precisa do sangue para completar o seu ciclo de desenvolvimento e por seus ovos.
  • Ao picar uma pessoa infectada, caso a fêmea que não contenha o vírus ela se infecta e passa a transmiti-lo a outras pessoas.
  • Geralmente voa mais baixo, na altura das nossas pernas, mas pode picar qualquer parte do corpo.
Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.