Estatística

Rafael Asth
Rafael Asth
Professor de Matemática e Física

Estatística é uma ciência que estuda a coleta, a organização, a análise e registro de dados por amostras.

Utilizada desde a Antiguidade, quando se registravam os nascimentos e as mortes das pessoas, é um método de pesquisa fundamental para tomar decisões. Isso porque fundamenta suas conclusões nos estudos realizados.

Fases do método estatístico

Para tanto, as fases do método estatístico são:

  1. Definição do problema: determinar como a recolha de dados pode solucionar um problema
  2. Planejamento: elaborar como fazer o levantamento dos dados
  3. Coleta de dados: reunir dados após o planeamento do trabalho pretendido, bem como definição da periodicidade da coleta (contínua, periódica, ocasional ou indireta)
  4. Correção dos dados coletados: conferir dados para afastar algum erro por parte da pessoa que os coletou
  5. Apuração dos dados: organização e contagem dos dados
  6. Apresentação dos dados: montagem de suportes que demonstrem o resultado da coleta dos dados (gráficos e tabelas)
  7. Análise dos dados: exame detalhado e interpretação dos dados

Aliada à probabilidade, pode ser aplicada nas mais diversas áreas. São exemplos a análise dos dados sociais, econômicos e demográficos. É o que faz o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

O IBGE é o órgão que fornece ao nosso país os dados necessários para a definição do modelo de planejamento mais adequado nas políticas públicas.

As Três Áreas da Estatística

As fases do método estatístico fazem parte de três áreas da estatística:

Amostragem — A definição do problema, o planejamento da pesquisa, a coleta e correção dos dados fazem parte desta área. A definição da amostra é uma parte de fundamental importância para o sucesso da pesquisa. A amostra deve ser diversificada e representativa. Uma amostra ruim irá interferir nos resultados de forma não satisfatória.

Estatística Descritiva — Os dados coletados são organizados e diversas medidas são computadas, como as de tendência central (médias) ou variabilidade (desvios, amplitude…). As tabelas de frequência são ferramentas úteis para organização dos dados, assim como os gráficos que ilustram e facilitam a leitura das informações.

Inferência Estatística — Os dados são transformados em informação através das análises e afirmações fornecidas aos questionamentos da pesquisa. A margem de erro também é anunciada.

Conceitos da Estatística

População

A população é o conjunto de todos os elementos de que se pretende conhecer alguma questão, como uma preferência, uma tendência ou determinadas características. Ela é o objeto de trabalho da pesquisa estatística. São destes elementos que a pesquisa estatística pretende levantar dados e informações.

Amostra e Pesquisa Amostral

A amostra é uma fração da população estudada, é um subconjunto. A amostra deve representar a população o melhor possível e, para isso, a diversidade dos elementos da amostra é importante. Caso a amostra não seja representativa, as informações da pesquisa podem ser comprometidas.

Na pesquisa amostral apenas os indivíduos da amostra fornecem dados sobre a população. A partir dos dados coletados, são realizadas análises que pretendem descrever o comportamento e as características de toda a população.

Pesquisa Censitária

A pesquisa censitária recolhe dados de todos os elementos da população. Na pesquisa censitária é conhecido as características de cada membro da população. Caso a população seja muito grande, a pesquisa irá requerer maior tempo e investimento. Em casos em que o tamanho da população é demasiado grande, por vezes opta-se por pesquisas amostrais.

Variável

Variável em uma pesquisa é cada pergunta feita ao entrevistado, ou cada informação e aspecto que se pretenda conhecer da população. As variáveis se dividem em qualitativas e quantitativas.

Variáveis qualitativas — se referem a qualidades ou características, físicas ou psicológicas não contáveis. As variáveis qualitativas também se destinam a investigar comportamentos, intenções e preferências.

São exemplos de variáveis qualitativas: intenção de voto, sexo, endereço, curso que frequenta, estilo musical preferido, entre outras.

Variáveis quantitativas — associam um número, uma medida à informação. Expressam quantidade e contagem.

São exemplos de variáveis quantitativas: massa, idade, renda, tempo de uso de aparelhos eletrônicos, quantidade de produtos consumidos, entre outras.

Tabelas de Frequência

As tabelas de frequência são um instrumento utilizado para organizar dados. Nas tabelas, as variáveis e o número de vezes que ocorrem na pesquisa são dispostos em linhas e colunas. A função de uma tabela de frequência é facilitar a leitura e o entendimento dos dados.

A frequência absoluta (Fa) é o número de vezes que ocorreu aquela variável ou, o número de vezes que alguém respondeu aquela informação.

A frequência relativa (Fr), é a relação entre a frequência absoluta e o número total de dados daquela variável. Geralmente apresentada em porcentagem.

F r e q u ê n c i a espaço r e l a t i v a espaço igual a espaço numerador F r e q u ê n c i a espaço a b s o l u t a sobre denominador T o t a l espaço d e espaço d a d o s fim da fração

Exemplo

Variável Frequência Absoluta Frequência Relativa
Cachorro 39 39/60 = 0,65 ou 65%
Gato 21 21/60 = 0,35 ou 35%
Total 60 1 ou 100%

Curiosidades

A palavra estatística, do latim status + pseudo prefixo latino -isticum, relaciona-e com “estado”.

No início, a palavra era usada para se referir ao "cidadão político". Posteriormente, passou a ser utilizada em alemão com o sentido de "conjunto de dados do Estado", de onde decorre o seu significado desde o século XIX.

Adquira mais conhecimento com os conteúdos:

Rafael Asth
Rafael Asth
Professor Licenciado em Matemática e pós-graduado em Ensino da Matemática e Física (Fundamental II e Médio), com formação em Magistério (Fundamental I). Engenheiro Mecânico pela UERJ, produtor e revisor de conteúdos educacionais.