O que é Nacionalismo?

Juliana Bezerra

Nacionalismo é uma ideologia surgida no século XIX quando se afirmavam os Estados-Nações na Europa.

O termo é utilizado para descrever o sentimento e a atitude que os integrantes de uma nação têm quando forma a identidade nacional.

O Nacionalismo surge após Napoleão conquistar grande parte da Europa. Contra a resistência ao general francês surge a ideia de fortalecer características próprias de cada país a fim de se diferenciar do invasor.

Estado e Nação

Antes de entendermos o que é nacionalismo é preciso definir os conceitos de Estado e Nação:

  • Nação é uma comunidade étnica, cultural ou linguística de indivíduos que são unidos por uma tradição comum.
  • Estado é uma entidade administrativa que guardará o território. Dentro de um estado podem coexistir diferentes nações.

Para compreender melhor: Estado são nações em todos os sentidos, mas há nações que não são estados soberanos.

Um exemplo que facilita o entendimento: as nações indígenas brasileiras mantêm sua cultura, língua e diferenças étnicas, mas não têm autoridade e nem a soberania necessária para definir assuntos externos. Esse papel cabe ao Estado brasileiro que é soberano.

Outro exemplo que poderíamos citar são os curdos que são um povo disperso entre países como Iraque, Síria e Turquia que não possuem Estado.

Nacionalismo
O nacionalismo tem suas desvantagens

Significado

Assim, o nacionalismo tem duas concepções principais: ideologia e ação política.

Na primeira, nacionalismo corresponde à identidade nacional, definida em termos de origem comum, laços culturais, língua e etnia. Esse ponto também considera formação de uma nação como um Estado independente ou inserido dentro de outro.

Já o nacionalismo como ação política estão incluídas questões como a autodeterminação, envolvendo a soberania sobre assuntos internos e internacionais.

O nacionalismo será fundamental como ideologia para a Unificação Alemã e a Unificação Italiana. Ambos territórios eram constituído de pequenos estados independentes entre si, mas unidos pelo mesmo passado.

Este foi o principal tema do Romantismo que exaltava as raízes nacionais de cada país.

Nacionalismo Brasileiro

O nacionalismo brasileiro foi usado pelos governos, intelectuais e artistas para justificar certas atitudes políticas.

Desta maneira, temos a República que constrói a ideia de um "país moderno" frente a atrasada monarquia a fim de justificar o golpe republicano.

Mais tarde, no Estado Novo (1937-1945), o nacionalismo será usado para a construção de estatais como a Petrobras e a Companhia Siderúrgica Nacional.

Finalmente, podemos citar o nacionalismo promovido pela ditadura militar (1964-1985) que tinha cunho autoritário resumidos em slogans como "Brasil ame-o ou deixe-o".

Nacionalismo
Lema do governo Médici (1970-1974)

Patriotismo

Patriotismo é o amor de um indivíduo e identificação com a pátria aliado à preocupação com o bem-estar dos compatriotas.

Está relacionado à necessidade de um indivíduo de pertencer a um grupo, se relacionar com o passado, com as condições sociais, políticas e culturais de uma nação.

Nacionalismo é diferente de patriotismo, mesmo que alguns autores utilizem os termos como sinônimos, o que não é correto.

Entre os estudiosos que diferenciam os termos está Lord Acton (1834 -1909) que definiu nacionalidade como a conexão do indivíduo com raça e patriotismo como a consciência dos deveres morais para com a comunidade política.

Igualmente, o patriotismo se distingue do nacionalismo porque não traz em si elementos militaristas.

Ufanismo

O ufanismo é também chamado de nacionalismo exacerbado ou exagerado. O ufanismo tende a exagerar as qualidades de sua pátria, muitas vezes sem embasamento para isso.

A palavra vem da língua espanhola onde significa vangloriar-se, orgulhar-se da sua terra ou do seu grupo.

Da mesma forma, o ufanismo pode ser agressivo ao considerar que somente sua pátria é digna e merecedora de prosperidade e paz.

No Brasil, o conceito de ufanismo apareceu na publicação "Porque me Ufano do meu País", de autoria do conde Afonso Celso, de 1900.

Outro autor que trabalhou com este conceito foi Lima Barreto, na sua obra "Triste Fim de Policarpo Quaresma".

A primeira geração modernista brasileira também usava o ufanismo como inspiração para suas obras buscando pensar o Brasil que entrava na era industrial.

Curiosidade

Um frase atribuída ao general francês Charles De Gaulle resume bem a diferença entre nacionalismo e patriotismo:

Patriotismo é quando o amor ao teu próprio povo vem primeiro. Nacionalismo é quando o ódio pelos demais povos vem primeiro.

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.