Socialismo Científico


O socialismo científico, também chamado de socialismo marxista, é uma teoria política, social e econômica. Ele foi criado em 1840 por Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895).

Como o próprio nome indica, esse modelo esteve baseado na análise científica e crítica do sistema capitalista.

O objetivo dessa doutrina era a transformação da sociedade a partir de uma análise profunda de suas relações econômicas, políticas e sociais.

A obra de Karl Marx intitulada “O Capital” (1867) foi a mais emblemática desse período. Aqui, Marx faz uma análise do sistema capitalista e aborda diversos temas como:

  • a luta de classes
  • a mais valia
  • a divisão social do trabalho
  • a produção do capital

Além dela, o “Manifesto Comunista”, publicado em 1848 por Karl Marx e Friedrich Engels, reunia os princípios e objetivos dessa teoria.

Quer saber mais? Leia também os artigos:

Características

Os principais conceitos desenvolvidos pelo socialismo científico são:

  • Materialismo Histórico: o conceito de acumulação material é utilizado para explicar a história das sociedades.
  • Materialismo Dialético: o conceito material está intimamente relacionado com a dialética, que por sua vez se relaciona com o social e o psicológico.
  • Teoria da Mais Valia: o conceito de mais valia está relacionado com a força de trabalho, o tempo de realização e o lucro obtido.
  • Luta de Classes: esse conceito envolve a luta entre a classe burguesia (exploradora) e o proletariado (explorados).
  • Revolução Proletária: nesse caso, o proletariado (classe dominada) luta pela sua ascensão ao ocupar a posição da classe dominante (burguesia).

Pensadores

Os principais pensadores do socialismo científico foram:

Karl Marx (1818-1883): filósofo, economista liberal e revolucionário alemão.

Friedrich Engels (1820-1895): filósofo e teórico revolucionário alemão.

Diferenças entre o Socialismo Científico e Utópico

O socialismo utópico é a primeira corrente socialista que surgiu antes do socialismo científico. Esteve fundamentado na mudança de consciência da sociedade por meio da igualdade entre as classes.

Para tanto, os socialistas utópicos propunham um novo modelo de “sociedade ideal” em que a mudança de pensamento social propulsionaria uma sociedade harmoniosa. Para eles, era possível implementar esse modelo sem que fosse necessária uma luta entre as classes (burguesia e proletariado).

Por outro lado, os pensadores do socialismo científico possuíam uma visão mais ativa e menos idealizada da sociedade. A maneira que buscavam para que o socialismo fosse implementado era a partir da compreensão crítica e analítica do sistema capitalista.

Para eles, os utópicos propunham uma nova mudança social, entretanto, não pensaram no método que seria desenvolvido para que essa mudança fosse efetivada.

Em resumo, esses pensadores achavam que o socialismo utópico estava repleto de ideias fantasiosas e pouco realistas.