Odin

Juliana Bezerra

Odin é um deus nórdico, senhor da cura, da vida e da morte. Seu culto se espalhou pelo norte da Europa e é chamado de Wotan na mitologia germânica.

Retratado como um homem velho, de longas barbas brancas, mas robusto, Odin por vezes aparece vestido como simples peregrino ou com suas armas de guerreiro.

Vida de Odin

A figura de um homem idoso que ensina a humanidade a conhecimentos de cura, agricultura e escrita está presente nas mitologias de muitos povos.

A principal fonte sobre a mitologia nórdica é a Edda Poetica um conjunto de poemas que eram passados pela tradição oral e declamado nas festas das tribos nórdicas.

Odin
Odin sentado no trono Hlidskialf rodeado de seus animais

Odin era filho de Bor e Bestla (gigante), mas não há muitas informações sobre seus pais. Tinha mais dois irmãos, e Vili, que presentearam a humanidade com dons como a fala, emoções, entre outros.

No entanto, para adquirir sabedoria, Odin teve que oferecer um dos olhos a Mimir, o guardião. Assim ele pôde beber o líquido do poço mágico de Mimir e obter o conhecimento.

Como Odin tem o poder de ver tudo o que se passa nos noves mundos, ele ficou com inveja do conhecimento contido na árvore Yggdrasill. Assim feriu-se a si mesmo com uma lança e ficou pendurado por nove dias nos galhos desta árvore.

Depois do nono dia, ele entendeu o segredo das runas que lhe deu várias habilidades como:

  • Curar;
  • Libertar-se de qualquer dificuldade;
  • Desviar setas que estejam dirigidas a ele;
  • Acalmar ventos, ondas e tempestades;
  • Fazer um guerreiro ser invencível;
  • Assumir qualquer aparência: velho, jovem, adulto;

Runas

As runas são o alfabeto utilizado pelos povos escandinavos antes da chegada do cristianismo e a substituição pelo alfabeto latino.

Também consistiam numa espécie de jogo para obter auto-conhecimento, orientação e saber a vontade dos deuses para determinada questão. Somente os iniciados poderiam interpretar o significado das runas.

Runas
As runas com o nome de cada letra transcrito no alfabeto latino

Símbolos e Festa

Seu símbolo é a cruz solar e sua festa principal era o Solstício de Inverno. Para conseguir o favor de Odin eram sacrificados animais, normalmente machos e seres humanos.

Os antigos povos tinham o costume de dedicar um dia da semana a cada deus e seu nome germânico, Wotan, acabou por entrar na língua inglesa como “Wednesday”.

Morada

Odin é o senhor em Asgard e vive no palácio Valaskjálf, numa torre alta, onde está o seu trono mágico, chamado de Hlidskialf. Dali, ele pode contemplar os nove mundos.

Alimentação

Odin não precisa comer e apenas bebe vinho e hidromel, um licor especial. Todos os alimentos que são postos em seu prato ele dá para seus lobos.

Animais

Odin
Odin cavalgando Sleipnir e empunhando a lança Gungnir
  • Cavalo: cavalga um veloz cavalo de oito patas, Sleipnir, considerado o mais belo de todos os cavalos.
  • Corvos: está sempre acompanhado de dois corvos, Hugin e Munin, que passam o dia voando pelo mundo e à tarde vêm sentar-se e contam para o deus tudo o que viram em suas andanças.
  • Lobos: Geri e Freki são os dois lobos que o acompanham para onde quer que ele vá. Nos campos de batalha, os animais aproveitam para alimentar-se dos cadáveres.

Arma

Odin empunha a lança Gungnir que tem runas gravadas no seu metal. Quando o deus atira sua arma, ela jamais erra o alvo e sempre volta para suas mãos.

Filhos

Odin é casado com Frigga (ou Freya) e é pai de inúmeros deuses como Thor, Baldr, Vali, Hoder, Njord, Herod, Bragi, Tyr, Heindal, Vidor, e ainda as Valquírias.

Morte

No final dos tempos, acontecerá em Ragnarok um grande combate entre os deuses e os guerreiros falecidos que vivem em Valhalla.

Odin sabe que será morto pelo lobo Fenrir, na Batalha de Ragnarok, quando vários deuses também, incluído seu filho Thor, perecerão.

Catástrofes naturais encobrirão a terra, contudo, não será o fim, pois o casal de humanos sobreviventes a repovoará.

Interpretações sobre a figura de Odin

A figura de Odin/Wotan é polêmica quando interpretada à luz do cristianismo. Longe de ser o deus benevolente, a personalidade de Odin é complexa como um ser humano qualquer.

Igualmente, cada povo e cada época cultuava um aspecto do caráter de Odin. Assim, Odin era um guerreiro nos tempos da guerra, mas o curador, após a batalha.

O senhor da vida quando as colheitas iam bem, mas o deus vingativo, se havia escassez de comida.

Com a chegada do cristianismo, a tendência da Igreja foi demonizar a figura dos deuses e ressaltar apenas os aspectos negativos.

Romantismo

Durante o século XIX, com o movimento romântico, as lendas germânicas recuperaram a sua popularidade através de publicações.

Da mesma forma, contribuiu para sua difusão as obras do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883) e seu ciclo "O Anel dos Nibelungos" onde conta a saga dos deuses através de quatro óperas.

Curiosidades sobre Odin

  • O deus Odin e sua família continuam inspirando filmes como a trilogia em torno ao personagem Thor, de Kenneth Branagh, de 2011.
  • O personagem Gandalf, da série "O Senhor dos Anéis" teria sido inspirado em Odin.
  • A empresa Samsung batizou um dos seus software de "Odin".

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.