OMC - Organização Mundial do Comércio

Juliana Bezerra

A OMC (Organização Mundial do Comércio) é uma entidade internacional com objetivo de proporcionar a abertura comercial a todos os países.

A organização foi criada em 1995, conta com 162 países-membros e a sede se encontra está em Genebra, na Suíça. Inglês, francês e espanhol são suas línguas oficiais.

O que é?

O principal objetivo da OMC é atuar como um fórum de negociações e acordos para reduzir os obstáculos ao comércio internacional.

Seu trabalho consiste em garantir a estabilidade, concorrência entre todos os países e, dessa maneira, assegurar o desenvolvimento econômico das nações.

Igualmente é de sua responsabilidade a solução de conflitos entre os estados-membros e a assinatura de acordos comerciais.

Origem

A ideia de uma instituição que regulasse o comércio mundial surgiu em 1948 com a criação do Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT, em sua sigla em inglês), que reunia 23 países, incluindo o Brasil.

Desta maneira, se acabavam as negociações exclusivamente bilaterais e se ampliava para um organismo multilateral. Sua meta era que não houvesse mais barreiras alfandegárias que prejudicassem o comércio e as nações.

Foram realizadas oito rodadas multilaterais durante o GATT. A última, a Rodada Uruguai, em 1986, supôs a atualização desse organismo e sua transformação na OMC.

OMC
Logotipo da Organização Mundial do Comércio

Objetivos

  • Negociar a redução ou eliminação de barreiras comerciais, como as tarifas comerciais;
  • gerir a regras de conduta do comércio, como subsídios;
  • administrar os bens e serviços gerados pela atividade comercial, como a propriedade intelectual;
  • acompanhar a revisão das políticas comerciais dos estados-membros;
  • atuar para o desenvolvimento dos estados-membros;
  • aplicar pesquisas comerciais e divulgar os dados como forma de apoio aos países integrantes.

Países Membros

A Organização Mundial do Comércio conta, atualmente, com 162 membros e continua somando adesões. São eles:

África do SulAlbâniaAlemanhaAfeganistãoAngolaAntígua e Barbuda
Arábia SauditaArgentinaArmêniaAustráliaÁustriaBangladesh
BarbadosBélgicaBelizeBenimBolíviaBotsuana
BrasilBruneiBulgáriaBurkina FasoBurundiCabo Verde
CambojaCamarõesCanadáCatarCazaquistãoChade
ChileChinaChina TapeiChipreColômbiaCosta Rica
Costa do MarfimCroáciaCubaDinamarcaDominicaEgito
El Salvador

Emirados Árabes Unidos

EquadorEslováquiaEslovêniaEspanha
EstôniaEstados UnidosFijiFilipinasFinlândiaFrança
GabãoGâmbiaGeórgiaGanaGranadaGrécia
GuineiaGuineia-BissauGuianaHaitiHondurasHong Kong, China
HungriaIêmenÍndiaIndonésiaIrlandaIslândia
Ilhas MarshallIsraelItáliaJamaicaJapãoJordânia
KuwaitLaosLesotoLetôniaLibériaLiechtenstein
LituâniaLuxemburgoMacau, ChinaMacedôniaMadagascarMalásia
MalauíMaldivasMaliMaltaMarrocosMaurício
MauritâniaMéxicoMoçambiqueMoldáviaMongóliaMontenegro
MyanmarNamíbiaNepalNicaráguaNigériaNoruega
Nova ZelândiaOmãPaíses BaixosPanamáPaquistãoPapua Nova Guiné
ParaguaiPeruPolôniaPortugalQuêniaQuirguistão
Reino UnidoRepública Centro-AfricanaRepública ChecaRepública da CoreiaRepública do CongoRepública Dominicana
RomêniaRuandaRússiaSão CristóvãoSamoaSão Vicente e Granada
SenegalSerra LeoaSingapuraSri LankaSeychellesSuécia
SuíçaSurinameSuazilândiaTailândiaTajiquistãoTanzânia
TogoTongaTrindade e TobagoTunísiaTurquiaUcrânia
UgandaUnião EuropeiaUruguaiVanuatuVenezuelaVenezuela
VietnãZâmbiaZimbábue

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.