Arte Romana


Influenciada fortemente pelos etruscos e gregos, as manifestações artísticas romanas mais significativas remontam ao estabelecimento da República no ano de 509 a.C.

Apesar disso, conhecemos poucos nomes de seus artistas e arquitetos, posto que era uma arte coletiva ou feita para seus mecenas.

A arte romana é dividida em arte da Roma Republicana (antes de 27 a.C.) e a da Roma Imperial (do ano 27 a.C. em diante).

Características

Os romanos aproveitaram a cultural dos etruscos, cuja arte era bastante desenvolvida, bem como deixaram-se influenciar pelos padrões estéticos gregos, que admiravam.

Quando os romanos conquistaram a Grécia ficaram fascinados com a sua arte e começaram a imitar os gregos. Daí resulta que muitas das características da arte grega são encontradas na arte romana.

A arquitetura foi a maior de todas as expressões artísticas dos romanos. Nela, a característica que mais se destaca é o uso dos arcos.

As esculturas romanas, por sua vez, são essencialmente cópias das originais gregas e nela o realismo é uma característica marcante.

A pintura romana, classificada em quatro estilos, caracteriza-se ora pelo colorido das paredes, ora pelo ilusionismo ou pela riqueza de detalhes.

Pintura Romana

Arte Romana pintura mural

O centaturo Quíron ensina Aquiles a tocar a lira. Afresco, Itália.

Os artistas romanos trabalharam uma grande variedade de temas, como acontecimentos históricos e cotidianos, lendas, conquistas militares, efígies e natureza-morta.

As pinturas romanas eram realizadas em murais (afrescos) e possuíam tridimensionalidade. Os materiais utilizados variavam de metais em pó, vidros pulverizados, substâncias extraídas de moluscos, pó de madeira e até de seivas de árvores.

Além dos afrescos, encontramos mosaicos romanos por todas as partes do Império. Eles variam de modelos contemplativos de tesselas brancas e negras até as composições figurativas de várias cores.

Leia mais sobre a Civilização Romana.

Arquitetura Romana

Coliseu de Roma

Coliseu de Roma

Na arquitetura romana tem destaque a construção de portais, aquedutos, prédios, monumentos e templos. Eles foram erigidos com praticidade e inovação, como no caso do uso do arco e da abóbada nas construções.

Essas estruturas amorteceram o emprego das colunas gregas e acrescentaram os espaços internos.

Nas casas romanas não era diferente, posto que as plantas eram rigorosamente desenhadas em formas retangulares. Vale lembrar que os monumentos tinham o objetivo de homenagear os seus mecenas.

Ademais, foram levantados anfiteatros que, com a tecnologia das abóbadas e arcos abrigavam um grande número de pessoas, do qual grande exemplo é o Coliseu, em Roma.

Os templos romanos, por sua vez, partem da fusão de elementos gregos e etruscos. Possuem planta retangular, teto de duas águas, vestíbulo profundo com colunas livres e uma escada na frente dando entrada à base.

Escultura Romana

Escultura Romana

Esculturas representando Livia e Tibério, séc. 14-19, Itália.

A escultura romana era de caráter realista, posto que eles não representavam o "belo", mas as pessoas retratadas fidedignamente.

Essas esculturas e relevos escultóricos costumavam adornar os prédios públicos e privados, pelo realismo e imaginação de obras que ocupavam espaços especiais na arquitetura, enriquecendo e complementando-a.

Agora que você já conhece a Arte Romana, que tal conhecer também a Arte Grega e Arte Bizantina?