5 planos de aula de Matemática para o 2º ano do EF

Rafael Asth
Escrito por Rafael Asth
Professor de Matemática e Física

Utilize os planos de aula de Matemática para o 2º ano do fundamental conforme a BNCC. São diversas ideias de atividades, abordagens de conteúdos e folhas para imprimir.

Identifique sua necessidade pela habilidade, conteúdo ou unidade temática que você está trabalhando.

Plano de aula 1 - Sequências recursivas

Plano de aula de Matemática 2º ano do fundamental
Tema Sequências recursivas. Jogo: trilhando sequências
Unidade temática Álgebra
Objetos do conhecimento Construção de sequências repetitivas e de sequências recursivas.
Habilidade da BNCC (EF02MA09) Construir sequências de números naturais em ordem crescente ou decrescente a partir de um número qualquer, utilizando uma regularidade estabelecida.
Objetivos
  • Formar sequências numéricas finitas e recursivas.
  • Identificar o padrão recursivo em uma sequência.
  • Prever ou deduzir através de estratégias próprias o próximo elemento de uma sequência
Conteúdo Sequências numéricas
Duração 50 minutos
Recursos didáticos
  • Folha de atividades impressa. Uma cópia para cada aluno.
Metodologia

1. Preparação e organização da sala

A turma será dividida em dois times. Os critérios para a divisão ficam a cargo do professor. Sugerimos atenção à pluralidade. Alunos com características diversificadas contribuirão com maior equidade ao jogo. Essa é uma boa oportunidade para promover a inclusão.

Organize duas fileiras de carteiras com a mesma quantidade de alunos em cada time. Coloque uma de frente para a outra.

2. O jogo

Antes de começar a partida, cada equipe conversa e decide sobre a regra de formação da sequência. Não é necessário que os alunos estejam sentados neste momento. As equipes devem se reunir para construírem juntos essa decisão.

O professor deve orientar os alunos em relação a dois fatores de escolha, podendo restringir as regras de formação.

1- O marco inicial (primeiro elemento da sequência).

2- O salto (quantidade de unidades com que a sequência avança em cada etapa).

Chegado ao consenso, os alunos se sentam nas cadeiras e, o primeiro aluno em cada time, ao comando do professor, entregará uma folha de percurso à equipe adversária, contendo a regra que a outra equipe deve descobrir.

O aluno resolve o termo da sequência e passa a folha para o próximo colega de sua equipe.

Vence o jogo a equipe em que o último aluno da fila entregar a folha ao professor primeiro e, o resultado estiver correto.

3. Atividade de fixação

Os alunos responderão as atividades propostas na folha de atividades.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos alunos é realizada em dois momentos:

1 - Atitudinal. Por observação durante a atividade.

2 - Pela resolução das atividades em folha.

Referências -

Folha de atividade de Matemática 2º ano do EF. Sequências recursivas.

Clique na imagem para imprimir.

Plano de aula 2 - Sistema de numeração decimal

Plano de aula de Matemática 2º ano do fundamental
Tema

Sistema de numeração decimal. Brincando de colecionar e reaproveitando sucatas.

Unidade temática Números
Objetos de conhecimento Leitura, escrita, comparação e ordenação de números de até três ordens pela compreensão de características do sistema de numeração decimal (valor posicional e papel do zero)
Habilidade da BNCC (EF02MA02) Fazer estimativas por meio de estratégias diversas a respeito da quantidade de objetos de coleções e registrar o resultado da contagem desses objetos (até 1000 unidades).
Objetivos
  • Compreender o conceito de ordens no sistema de numeração decimal.
  • Formar coleções de dezenas e centenas.
  • Compor números naturais com até três ordens.
Conteúdo
  • Sistema de numeração decimal
  • Classe das unidades simples
  • Ordens das unidades, dezenas e centenas
Duração 50 a 100 minutos
Recursos didáticos
  • 1 cópia da folha de atividades para cada aluno.
  • Lousa ou quadro
  • Caneta para lousa ou giz.
  • Kit de material (quantidades e material podem ser adaptados) :
    • 150 tampinhas
    • 15 caixas de creme dental
    • 1 caixa de sapato
Metodologia

Preparação e organização da sala

O professor formará grupos em que a quantidade de alunos e os critérios para a divisão da turma são de sua opção. A quantidade de kits de material, número de alunos em classe, espaço físico ou mesmo opções didático-pedagógicas são fatores que influenciam nesta decisão.

Contextualização e sondagem

Para começar a atividade, estimule uma conversa sobre coleção de objetos e agrupamentos. Nesta etapa o professor faz uma sondagem sobre os conhecimentos prévios dos alunos acerca das ideias de unidade e dezena.

Pode ser oportuno questionar os alunos se eles têm o hábito de colecionar algo. Se sim, perguntar sobre a quantidade e qual o objeto da coleção. É uma boa oportunidade para trazer a vivência do aluno para a prática escolar.

Início da atividade

Leia o seguinte texto:

“Ronaldo é um grande fã de futebol e, este ano, decidiu colecionar as figurinhas dos jogadores e times do Campeonato Brasileiro de Futebol. Para seu controle, ele anota em um caderno a quantidade total de figurinhas que ele já tem. Depois da última compra, Ronaldo fez a seguinte anotação: uma centena, quatro dezenas e oito unidades.“

Anote estas quantidades na lousa.

Distribuição dos materiais

Comece distribuindo as tampinhas para os grupos em quantidades iguais. Nesse momento, aproveite para trabalhar o conceito da unidade, onde cada tampinha equivale a 1 unidade.

Uma vez terminada a primeira etapa, passe para a distribuição das caixas de creme dental. Explique aos alunos que, uma vez que eles guardem 10 tampinhas dentro da caixa de creme dental, esta passará a representar a quantidade de 1 dezena.

Por último, distribua as caixas de sapato que representarão 1 centena, a partir do momento que for preenchida com as 10 caixas de creme dental, já cheias com 10 tampinhas cada.

Aproveite para explorar ao máximo o princípio multiplicativo e a base 10 do nosso sistema decimal. É um bom momento para o aluno vivenciar a formação de uma centena a partir da coleção de 10 dezenas, que por sua vez foram formadas por coleções de 10 unidades.

Atividade problematizadora

A tarefa consiste na reprodução das quantidades da coleção de Ronaldo.

Reserve um momento para que os alunos se familiarizem com o material. Podem surgir dúvidas em relação ao conceito das quantidades e suas representações. Pode ser interessante escrever na lousa:

  • 1 tampinha = 1 unidade;
  • 1 caixa de creme dental cheia com dez tampinhas = 1 dezena;
  • 1 caixa de sapato cheia com 10 caixas de creme dental = 1 centena.

Retome o exemplo de Ronaldo e associe cada tampinha à 1 figurinha do álbum.

Acompanhe o desenvolvimento da atividade circulando pela sala de aula, observando e fornecendo suporte, se necessário. Aproveite para fazer a avaliação atitudinal dos alunos em sua iniciativa, distribuição das tarefas no grupo, debates de opiniões, liderança.

É esperado que os alunos consigam montar as dezenas com certa facilidade. Ao fim da atividade, os grupos devem ter montado:

  • 1 caixa de sapato (centena) contendo dez caixas de creme dental com dez tampinhas cada;
  • 4 caixas de creme dental (dezenas) avulsas, cheias com dez tampinhas cada;
  • 8 tampinhas avulsas (unidades).

Conclusão e formalização do conceito

Troque os kits de material entre os grupos e peça para que confiram se as quantidades dos colegas estão corretas, através de contagem. Lembre-os que não é uma competição e sim uma cooperação.

Podem haver nas caixas de creme dental, variações nas quantidades em algumas poucas unidades. Esses erros podem ter como fonte alguma distração na hora de formar a dezena e não necessariamente é uma falha na compreensão do conceito de dezena.

Após a conferência, o professor formaliza o conceito de ordens no sistema decimal, onde uma ordem maior é formada por uma coleção de dez anteriores.

“No sistema de numeração decimal, cada algarismo ocupa uma posição chamada de ordem. As unidades estão na primeira ordem.

A segunda ordem fica à esquerda, são as dezenas. Cada dezena é formada por dez unidades.

A terceira ordem fica à esquerda da segunda, são as centenas. Cada centena é formada por dez dezenas.”

O professor pode escrever na lousa a quantidade da proposta esquematizando unidades, dezenas e centenas e fazendo sua decomposição:

C D U

1 4 8 = 1 centena, 4 dezenas e 8 unidades.

É interessante oferecer outros exemplos numéricos. Caso ainda haja tempo, escreva outros números na lousa e peça para que os alunos os formem com o material.

Atividade de fixação

Os alunos responderão as atividades propostas na folha de atividades.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos alunos é realizada em dois momentos:

1 - Atitudinal. Por observação durante a atividade.

2 - Pela resolução das atividades em folha.

Referências

Folha de atividade de Matemática 2º ano do EF. Sistema de numeração decimal.

Clique na imagem para imprimir.

Plano de aula 3 - Sólidos geométricos

Plano de aula de Matemática 2º ano do fundamental
Tema Sólidos geométricos. Os poliedros e os corpos redondos.
Unidade temática Geometria
Objetos do conhecimento Figuras geométricas espaciais (cubo, bloco retangular, pirâmide, cone, cilindro e esfera): reconhecimento e características
Habilidade da BNCC (EF02MA14) Reconhecer, nomear e comparar figuras geométricas espaciais (cubo, bloco retangular, pirâmide, cone, cilindro e esfera), relacionando-as com objetos do mundo físico.
Objetivos
  • Identificar sólidos geométricos.
  • Classificar os sólidos geométricos em os que rolam e os que não rolam.
Conteúdo

Sólidos geométricos

Duração 50 minutos
Recursos e materiais
  • Folha de atividades, uma cópia para cada aluno.
  • Objetos representativos dos sólidos geométricos.
  • Caixas ou cestas com nome de cada sólido trabalhado.
  • Fita adesiva.
  • Folha com o nome dos sólidos geométricos.
Metodologia

Preparação e organização da sala

Organize as carteiras da sala em círculo ou em U.

Coloque as caixas com os nomes dos sólidos longe dos objetos. Elas podem estar reunidas ou em diferentes pontos da sala.

Contextualização e sondagem

Promova uma conversa sobre os sólidos geométricos. Pergunte e estimule os educandos a responderem sobre os sólidos que eles conhecem e suas características. Inclua a ideia de tridimensionalidade. Com a popularização de animações e jogos eletrônicos 3D, estes termos cada vez mais fazem parte do cotidiano das crianças.

Questione sobre a característica do rolar. Eles são capazes de diferenciar os que rolam dos que não rolam?

Pode ser interessante anotar os nomes na lousa.

Atividades problematizadoras

Atividade 1 - Reconhecendo os sólidos

Reúna os objetos nas formas dos sólidos geométricos e junte-os no meio da sala. Separe do outro lado as caixas organizadoras, cada uma com o nome de um sólido. Peça para que um a um, os alunos peguem um sólido e o guardem na caixa correta.

Atividade 2 - Rola ou não rola?

Retorne os objetos para o centro da sala e os reúna, misturados. Mais uma vez peça para que cada aluno, um a um, escolha um objeto e o coloque na caixa correta, classificando os que rolam dos que não rolam.

Atividade 3 - Mural tridimensional

Com a ajuda dos alunos, cole os sólidos em uma parede da sala, junto da folha com o nome do sólido.

Fechamento e formalização do conceito

“Hoje aprendemos que sólidos geométricos são figuras espaciais, a identificar os principais sólidos e que destes, alguns rolam e outros não.”

Sugestão de tarefa de casa

Peça para que os alunos tragam objetos representativos dos sólidos geométricos na aula seguinte e os guardem nas caixas.

Atividade de fixação

Os alunos responderão as atividades propostas em folha.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos alunos é realizada em dois momentos:

1 - Atitudinal. Por observação durante a atividade.

2 - Pela resolução das atividades em folha.

Referências

Folha de atividades de Matemática 2ºano EF. Sólidos geométricos.

Clique na imagem para imprimir.

Plano de aula 4 - Medidas de comprimento

Plano de aula de Matemática 2º ano do fundamental
Tema Medidas de comprimento: metros e centímetros. Mãos à obra fazendo medidas.
Unidade temática Grandezas e medidas
Objetos do conhecimento Medida de comprimento: unidades não padronizadas e padronizadas (metro, centímetro e milímetro)
Habilidade da BNCC (EF02MA16) Estimar, medir e comparar comprimentos de lados de salas (incluindo contorno) e de polígonos, utilizando unidades de medida não padronizadas e padronizadas (metro, centímetro e milímetro) e instrumentos adequados.
Objetivos
  • Explorar unidades de medida de comprimento.
  • Realizar medições
  • Estimar resultados de medições.
  • Comparar medidas não padronizadas com padronizadas.
Conteúdo Medidas de comprimento
Duração 50 minutos
Recursos didáticos
  • Fita métrica ou trena
  • Rolo de fita, corda ou barbante
  • Régua centimetrada
  • Papel para anotações (folha ou caderno)
  • Lápis
  • Borracha
Metodologia

Preparação e organização da sala.

Forme duplas e peça para que estejam com material para anotação: papel e lápis.

Contextualização e sondagem

Pergunte aos alunos: Qual é a sua altura?

Neste momento, explore as ideias acerca das medidas de comprimento, procurando identificar o conhecimento prévio da turma.

Faça uma exposição contando aos alunos que nem sempre as unidades de medida foram padronizadas, e que partes do corpo serviram como referência para medições.

Pode ser interessante dizer que até hoje, pés e polegadas, ainda que padronizados, são unidades de medida aceitas em diversos países.

Atividades problematizadoras

Atividade 1 - Com as próprias mãos

Cada dupla deverá medir o comprimento da sala, ou espaço de aprendizagem em que estão, utilizando suas próprias mãos. Sugira para que um faça as anotações e contagem e, que o outro use as mãos como unidade de medida.

Por fim, os alunos retornam a seus lugares e o professor pergunta as respostas obtidas por cada dupla, para que façam uma comparação.

Dispare questões para reflexão:

Caso a dupla mudasse de ordem, o resultado seria o mesmo? Se sim, qual é o porquê? Qual o problema em encontrar resultados diferentes para as mesmas medidas?

Atividade 2 - Usando o metro

Com a ajuda de cada dupla, use o rolo de fita e a fita métrica para cortar uma tira de um metro.

Questione os alunos com a seguinte pergunta: quantas fitas de um metro esticadas cabem no comprimento da sala?

Peça para que as duplas realizem as medições e orientem a fazerem anotações como: exatamente X metros ou, entre X e Y metros.

Explore oralmente as comparações entre os resultados das duplas.

Termine com o seguinte questionamento: como realizar uma medida não exata com o metro.

Atividade 3 - Entre um metro e outro

Disserte com os alunos acerca dos submúltiplos do metro: centímetros e milímetros.

Utilizando a régua, as duplas realizarão medidas em centímetros. As carteiras, livros e cadernos são objetos que podem ser usados.

Auxilie e observe os alunos durante o processo.

Fechamento e formalização do conceito

“A unidade oficial de medida de comprimento no Brasil é o metro. Para medir objetos que estão entre um número de metros e outro, utilizamos os centímetros e milímetros.”

Atividade de fixação

Os alunos responderão as atividades propostas na folha de atividades.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos alunos é realizada em dois momentos:

1 - Por observação durante a aula.

2 - Pela resolução das atividades em folha.

Referências Medidas de Comprimento

Folha de atividade de Matemática 2º ano do EF. Medidas de comprimento.

Clique na imagem para imprimir.

Plano de aula 5 - Adição e subtração

Plano de aula de Matemática 2º ano do fundamental
Tema Operações de adição e subtração
Unidade temática Números
Objetos do conhecimento Problemas envolvendo diferentes significados da adição e da subtração (juntar, acrescentar, separar, retirar)
Habilidade da BNCC (EF02MA06) Resolver e elaborar problemas de adição e de subtração, envolvendo números de até três ordens, com os significados de juntar, acrescentar, separar, retirar, utilizando estratégias pessoais ou convencionais.
Objetivos
  • Efetuar cálculos de adição e subtração com números de até três ordens.
  • Significar a adição como processos de juntar e acrescentar.
  • Significar a subtração como processos de separar e retirar.
Conteúdo Operações de adição e subtração.
Duração 50 minutos
Recursos didáticos
  • Uma cópia da folha de atividades por aluno.
  • Lousa e caneta para lousa.
  • Conjunto de esferas coloridas. (Ou outros objetos colecionáveis coloridos)
  • Caixa ou sacola para a urna.
  • Conjuntos de jogos de varetas. (Pode-se utilizar canudos coloridos)
Metodologia

Somando os sorteados

Em uma caixa ou sacola que sirva de urna, coloque as esferas coloridas e defina uma pontuação para cada cor. Você pode utilizar dezenas inteiras ou números naturais diversos. Escreva na lousa a correspondência destes valores.

Ao retirar uma esfera, os alunos devem anotar a cor e o seu valor no caderno. Após a segunda esfera sorteada, eles deverão somar estes valores e anotá-los.

O jogo continua com o professor sorteando as próximas esferas. A cada etapa, os alunos somam a quantidade obtida a quantidade anterior. É interessante que o professor realize as operações na lousa, a cada etapa.

O partida termina quando todas as esferas tiverem sido sorteadas.

A subtração das varetas

Forme as duplas para cada partida. A ideia é a mesma do jogo tradicional de varetas. Cada jogador deve retirar uma vareta sem deixar as outras se moverem. Defina uma quantidade de pontos iniciais, por exemplo 100.

Como na atividade anterior, cada cor vale uma pontuação. A cada vareta retirada, os alunos realizam as subtrações no caderno. Vence a partida aquele que retirar mais pontos ou chegar a zero primeiro.

Atividade de fixação

Os alunos responderão as atividades propostas na folha de atividades.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos alunos é realizada em dois momentos:

1 - Por observação durante a aula.

2 - Pela resolução das atividades em folha.

Referências

Folha de atividade de Matemática 2º ano do EF. Exercícios de subtração.

Clique na imagem para imprimir.

Imprima também:
Oito folhas de atividades de Matemática
Atividades de matemática para o 4º ano

Você pode ser interessar por:
Atividades de Matemática para educação infantil
Plano de aula (como fazer, modelos e exemplos)
Plano de aula remota (como fazer, modelos e exemplos)

Publicado em
Rafael Asth
Escrito por Rafael Asth
Se graduou em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro e Licenciatura em Matemática pela Universidade Cruzeiro do Sul. É pós-graduado em Ensino da Matemática e Física pela Universidade Cândido Mendes.