Lendas do Folclore Brasileiro

Daniela Diana

As Lendas Folclóricas representam o conjunto de estórias e contos narrados pelo povo que são transmitidas de geração em geração por meio da oralidade.

Conheça as principais lendas e personagens do folclore brasileiro:

Lenda do Saci-pererê

saci

Nome de origem tupi-guarani, o Saci-pererê é uma das lendas brasileiras mais conhecidas.

É representada por um menino negro que possui uma perna só. Além disso, fuma cachimbo e usa uma carapuça vermelha que lhe dá poderes mágicos.

Muito brincalhão e travesso, o Saci surge como um redemoinho e gosta de assustar pessoas. Embora o Saci-pererê seja o mais conhecido, existem três tipos de saci: O Pererê, o Trique e o Saçurá.

Não pare por aqui! Temos certeza que vai vai gostar dos artigos do Saci que preparamos para você:

Lenda do Curupira

curupira

Personagem travesso do folclore brasileiro, o Curupira é a representação de um menino com cabelos vermelhos e pés virados para trás. A origem do nome é tupi-guarani e significa "corpo de menino".

Protetor da fauna e da flora, o Curupira assobia e deixa pegadas com seus pés virados. O objetivo é enganar os exploradores e destruidores da natureza.

Lenda da Mula sem Cabeça

mula sem cabeça

A mula sem cabeça é um monstro do folclore brasileiro que se manifesta quando uma mulher namora um padre. Por maldição ela é transformada em mula.

Esta personagem folclórica é representada, literalmente, por uma mula sem cabeça, que solta fogo pelo pescoço e assusta pessoas e animais. No entanto, há versões que variam de região para região do Brasil.

Lenda do Lobisomem

lobisomem

A lenda do Lobisomem tem origem europeia. Ela retrata um monstro violento com formas humanas e de lobo, que se alimenta de sangue.

Acredita-se que quando uma mulher tem sete filhas e o oitavo filho é homem, esse último provavelmente será um Lobisomem.

Em algumas versões, a lenda apresenta outras características, como a manifestação do Lobisomem em crianças não batizadas.

A transformação do homem em Lobisomem ocorre nas encruzilhadas em noites de lua cheia por volta da meia-noite. Ao amanhecer, ele torna-se novamente humano.

Muitos acreditam que o Lobisomem se transforma nas noites de sexta-feira, por isso, não pare por aqui: Sexta-feira 13: entenda a origem desse mito.

Lenda do Boitatá

boitatá

O Boitatá é uma lenda folclórica conhecida em outras regiões do Brasil pelos nomes Baitatá, Biatatá, Bitatá e Batatão.

Na língua indígena Tupi-Guarani significa "cobra de fogo". Esse personagem folclórico é representado por uma grande serpente de fogo que protege os animais e as matas.

Originalmente foi encontrado num texto do século XVI do Jesuíta José de Anchieta. Sua narrativa sofreu muitas modificações ao longo do tempo, de modo que existem diversas versões conforme a região do país.

Lenda do Boto

lenda o boto

A lenda do Boto é originária da região amazônica sendo também conhecida pela denominação "boto cor-de-rosa" ou "Uauiará".

Reza a lenda que nas noites de Festas Juninas, o boto, animal dos rios da Amazônia, sai dos rios e transforma-se num homem muito atraente.

Seu objetivo é atrair e seduzir as mulheres para levá-las ao fundo dos rios e acasalar. Por este motivo, a cultura amazônica costuma afirmar que o boto é o pai de todos os filhos de origem desconhecida.

Lenda da Cuca

a cuca

De origem portuguesa, a lenda da Cuca está associada muitas vezes com o “bicho papão”. Ela é uma personagem muito temida pelas crianças, representada por velha feia e malvada com cara de jacaré que raramente dorme.

Sua personagem está associada com o rapto de crianças desobedientes e que não querem dormir. Por isso, a tradicional cantiga de ninar crianças diz: “Nana neném que a Cuca vem pegar”.

Lenda do Negrinho do Pastoreio

negrinho do pastoreio

De origem afro-cristã e pertencente ao folclore do sul do país, o Negrinho do Pastoreio conta a história de um menino escravo que tinha um patrão maldoso. Quando foi pastorear os cavalos, acabou por perder um cavalo baio.

Depois de ter sido violentamente agredido pelo fazendeiro e jogado num formigueiro, o Negrinho do pastoreio aparece sem marcas no corpo. Ele surge ao lado da Virgem Maria e montado no cavalo baio.

Muitas vezes as pessoas que perderam algum objeto acendem uma vela e pedem para o Negrinho os ajudar a encontrar.

Lenda da Iara

iara

Conhecida como Iara ou Uiara, a lenda da mãe d’água é de origem tupi. Iara significa “Senhora das Águas”. Esta personagem é representada por uma sereia belíssima que atrai os pescadores com suas doces canções a fim de matá-los.

Antes de ser uma sereia, Iara era uma índia bela e inteligente que despertava muita inveja, inclusive de seus irmãos. Assim, para acabarem com o problema, os irmãos resolvem matá-la.

No entanto, é ela que os mata. Como punição, Iara é lançada no encontro do Rio negro e solimões e, a partir daí, torna-se uma sereia com objetivo de matar os homens.

Outras lendas populares

Além dessas, há outras lendas que fazem parte do folclore brasileiro:

Lenda do Acutipuru Criatura que hora é homem, hora é mulher. Com corpo masculino, fecunda mulheres que tem meninos valentes, enquanto com o corpo feminino,dá à luz, a belas meninas.
Lenda do Ahó Ahó Monstro parecido com uma ovelha que devora as pessoas, especialmente os índios que fugiam das missões jesuítas para regressar as suas aldeias.
Lenda da Alamoa Mulher atraente que seduz marinheiros e pescadores, tal como as sereias, e se transforma numa figura monstruosa desaparecendo com as suas vítimas.
Lenda do Barba Ruiva Homem encantado que, ao longo do dia é capaz de se transformar em menino, moço e velho. Abandonado por sua mãe, ele foi acolhido por Iara.
Lenda do Bicho-papão Monstro que fica embaixo da cama, atrás da porta ou dentro do armário e assusta as crianças malcriadas e mal-educadas durante a noite e que, ainda, pode comer as mais teimosas.
Lenda do Bradador Alma penada que sai vagando pelo mato às sextas-feiras depois da meia-noite. O motivo de ter sido devolvido à terra depois de enterrado é o morto não ter pagado todos os seus pecados.
Lenda do Caipora Criatura, homem ou mulher, que é a protetora dos animais e das florestas. Além de assustar os caçadores com uivos altos, ela os distrai com pistas falsas, fazendo eles se perderem na floresta.
Lenda do Cobra Grande Também conhecida como Cobra Honorato ou Norato, seu pai é uma cobra gigante e sua mãe é uma índia, que abandona seus dois filhos no rio após dar à luz e verificar que ambos têm aspecto de cobra.
Lenda do Guaraná Os olhos de um indiozinho muito estimado na tribo foi plantado a fim de que nascesse uma plantinha que desse energia às pessoas, dando origem ao guaraná. O menino tinha sido morto pelo invejoso deus da escuridão.
Lenda do Jurupari Deus da escuridão, visitava os índio durante o sono para provocar pesadelos. Em outras versões da lenda, Jurupari é um legislador de povos indígenas, que ao nascer revelou que traria leis aos homens.
Lenda da Mãe-de-Ouro Uma bonita mulher que voa, assume a forma de bola de fogo, e consegue encontrar ouro escondido para o proteger da extração, motivo pelo qual é conhecida como "protetora dos tesouros".
Lenda da Mandioca Mani, uma indiazinha muito querida, morreu e foi enterrada por sua mãe na sua oca, que com seu choro parecia regar a terra. Nesse lugar, nasceu um tubérculo nutritivo, a mandioca.
Lenda do Papa-Figo Um velho corcunda e barbudo, também conhecido como “homem do saco”, justamente por vagar pelas ruas com um saco nas costas onde guarda crianças desobedientes para, de seguida, comer os seus fígados.
Lenda do Papai Noel Velhinho simpático que, na noite de Natal, visita as casas a fim de distribuir presentes, que deixa debaixo da árvore, às crianças que se portaram bem durante o ano.
Lenda da Vitória-Régia Uma índia que se apaixonou por Jaci, o deus da Lua, esperava por ele todas as noites. Vendo a luz de Jaci refletida no rio, a índia Naiá inclina-se para beijá-lo e morre afogada, sendo transformada em uma planta conhecida como“estrela das águas”.

Você também pode se interessar por:

Dia do Folclore

No Brasil, o Dia do Folclore é comemorado dia 22 de Agosto.

A palavra "Folclore", de etimologia inglesa, representa a "cultura do povo". Enquanto Folk significa "povo", lore corresponde ao "conhecimento".

Saiba mais sobre o folclore brasileiro e suas diversas manifestações:

Quiz do Folclore

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.